Fale Conosco

16 de junho de 2011

Governo e Ministério da Integração assinam contrato para obras hídricas



O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, assinam nesta sexta-feira (16) o Protocolo de Intenções para a construção da nova Barragem de Camará e de Pitombeiras, às 13h30, na Araçá da Cultura, em Esperança. Na sequência, Ricardo Coutinho e o ministro assinam o Termo de Compromisso do Projeto Executivo para construção do Eixo Integração das Vertentes Litorâneas, solenidade que acontece no Palácio da Redenção, às 15h30, em João Pessoa.

Na oportunidade, o ministro fará o anúncio do convênio para a realização dos estudos da distribuição da água da Transposição do São Francisco. A assinatura dos protocolos formaliza o aporte de recursos que o Governo Federal havia previsto para construção da barragem de Manguape, mas que agora serão transferidos para a nova Barragem de Camará e de Pitombeiras em benefício de 175 mil habitantes da Região do Brejo paraibano.

A reconstrução de Camará vai integrar o Sistema Nova Camará, que também será formado pela construção da Barragem de Pitombeira e a construção do Sistema de Adutoras Nova Camará. O investimento global para essas ações é de R$ 82,5 milhões. Já os estudos para elaboração dos projetos da integração das bacias e da distribuição das águas da Transposição do São Francisco vão custar R$ 14,5 milhões.

A Barragem de Camará, orçada em R$ 29 milhões, vai atender a população dos municípios de Remígio, Esperança, São Sebastião da Lagoa de Roça, Alagoa Nova, Matinhas, Lagoa Seca, Areial, Barra de São Miguel, Lagoa do Mato, Montadas e o Povoado de Cepilho.

“O restante do valor previsto inicialmente de R$ 80 milhões para a barragem de Manguape será destinado à construção do sistema de adutoras de integração das águas de Camará que irá abastecer todos os municípios beneficiados com a nova barragem. Graças ao empenho do governador do Estado, este processo de construção da nova barragem foi um ganho para a população, uma vez que seria inviável a construção de Manguape por conta da falta de potabilidade da água”, explicou.

Para o Projeto Executivo das Vertentes Litorâneas, o recurso destinado é da ordem de R$ 16,34 milhões. Esse projeto faz parte da sustentabilidade hídrica das bacias dos rios Paraíba, Gurinhém, Miriri, São Salvador, Mamanguape, Araçagi e Camaratuba localizados nas regiões do Agreste e Litoral e está orçado em R$ 900 milhões, que deverão vir posteriormente quando no início das obras.

Com a integração dessas bacias, mais de 76 mil habitantes dos municípios de Itatuba, Ingá, Mogeiro, Itabaiana, São José dos Ramos, Sobrado, Riachão do Poço, Sapé, Mari, Cuité de Mamanguape, Araçagi, Itapororoca e Curral de Cima serão beneficiados.