João Pessoa
Feed de Notícias

Governo e Fundação Cidade Viva promovem atividades em presídios

segunda-feira, 28 de novembro de 2011 - 14:01 - Fotos:  Assessoria

“Tenho quatro filhos e procuro emprego há três meses. Acredito que esse cadastro vai me ajudar a encontrar a oportunidade que preciso”, disse Alex da Silva Santos, que cumpre pena no regime semi-aberto no Presídio de Média Segurança de João Pessoa, onde a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) e a Fundação Cidade Viva cadastraram detentos dos regimes semi-aberto, aberto e egressos do sistema prisional para o “Banco de Oportunidades”.

Atividade ocorreu no sábado (26) durante o Godstock, evento organizado pela Fundação em que são promovidas ações voluntárias. No “Banco de Oportunidades”, os detentos fizeram um cadastro profissional, com currículo, encaminhamento ao mercado de trabalho.

A programação do Godstock se estendeu ao Presídio Feminino da Capital, onde foi promovida a “Manha de princesa”, em que as detentas tiveram cuidados de estética, como corte de cabelo e escova, sobrancelha e maquiagem. Também assistiram uma peça teatral, ganharam uma biblioteca e, no final da tarde, participaram de culto e louvor ministrado pelo presidente da Fundação Cidade Viva, o pastor Sérgio Augusto de Queiroz. A programação se encerrou com um jantar.

O evento fez parte da programação do “Godstock 2011” que com mensagens de amor, ações sociais pretende preencher algumas lacunas da sociedade atual.

“Se o cristianismo não promover esse tipo de ação não é cristianismo. No Godstock passamos em abrigos e hospitais distribuindo panfletos. Essas são áreas neutras na sociedade. Encerrar o Godstock nos presídios é uma forma de dar atenção a essa área vulnerável dentro da sociedade, é nela que precisamos expressar mais amor. A gente age crendo que sementes são plantadas”, explicou o pastor Sérgio Augusto.

A Fundação Cidade Viva é parceira do Governo no Programa Cidadania é Liberdade – voltado para a qualificação profissional de detentos e seus familiares – e age dentro do presídio Feminino levando assistência jurídica, médica e odontológica. Segundo o presidente da Fundação, o próximo passo será a capacitação das detentas com o curso de gastronomia.

O secretário de Administração Penitenciária, Harrison Targino, disse que o evento demonstra a efetividade das parcerias entre o governo e a sociedade: “Poder público e a sociedade civil organizada podem fazer a diferença. O Governo, pelo programa de ressocialização, busca capacitar e qualificar os apenados do sistema prisional paraibano. Essas parcerias nos ajudam a quebrar o ciclo de violência e a máquina do crime”, concluiu.