João Pessoa
Feed de Notícias

Governo e familiares homenageiam os 83 anos da morte de de João Pessoa

sexta-feira, 26 de julho de 2013 - 17:55 - Fotos:  Kleide Teixeira / Secom-PB

Uma missa na Igreja da Misericórdia e uma solenidade cívica na Praça João Pessoa, seguida de visita ao mausoléu, lembraram, nesta sexta-feira (26), o 83º aniversário de morte do ex-presidente João Pessoa, assassinado em 26 de julho de 1930, no Recife. O vice-governador Rômulo Gouveia representou o governador Ricardo Coutinho no ato solene.

Celebrar o 26 de julho na Paraíba é acima de tudo o resgate da história, da memória, para que as novas gerações possam conhecer seus grandes vultos e a Paraíba é rica na história e nos homens que dignificaram a política, a música, a cultura, e é responsabilidade do Governo registrar essa data junto com a família do ex-presidente João Pessoa”, destacou o vice-governador Rômulo Gouveia.

As celebrações tiveram início com missa na Igreja da Misericórdia, no centro da capital. A missa foi celebrada pelo padre Rui Braga, pároco da Basílica Nossa Senhora das Neves. O religioso exaltou as virtudes do ex-presidente João Pessoa.

O jornalista Abelardo Jurema Filho representou a família do homenageado e fez a leitura das preces da comunidade, pedindo “para que os exemplos de civismo do presidente João Pessoa permaneçam sempre vivos no coração dos paraibanos”. O secretário chefe da Casa Civil do Governador, Lúcio Flávio Vasconcelos, e a superintendente da Rádio Tabajara, Maria Eduarda, participaram da missa representando o Governo do Estado, enquanto o deputado estadual João Gonçalves representou a Assembleia Legislativa.

O historiador Wellington Aguiar, em seu pronunciamento, declarou que os paraibanos podem se orgulhar do presidente João Pessoa. “Ele simbolizou a grandeza, a coragem, o civismo, a correção que varreram esta terra em 1930”, enfatizou.

A senhora Nara Pessoa Jurema falou em nome da família na solenidade da Praça João Pessoa: “Hoje, o Négo da nossa bandeira não significa tão somente a rebeldia e o brio de João Pessoa ante à opressão e à imposição dos que se consideravam donos da República, porém, o grito permanente do povo àqueles que eventualmente se insurgem contra o nome de nossa capital, afinal pessoense, sempre pessoense”.

Em seguida, os familiares de João Pessoa e as autoridades depositaram uma coroa de flores no mausoléu do ex-presidente, localizado nos jardins do Palácio da Redenção.