Fale Conosco

15 de dezembro de 2017

Governo do Estado realiza seminário em Patos sobre Política Nacional de Alimentação e Nutrição



A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Gerência Executiva de Atenção à Saúde e da Área Técnica de Alimentação e Nutrição, realizou na quinta-feira (14), no auditório do Hotel JK, na cidade de Patos, um seminário para discutir as ações dos diversos programas que fazem parte da PNAN – Política Nacional de Alimentação e Nutrição.

Participaram da atividade, representantes da Atenção Básica da 3ª e 4ª Macrorregiões de Saúde. O encontro foi idealizado pelos próprios gestores municipais, com interesse em conhecer os programas, suas abordagens, os sistemas que os envolvem, para que possam planejar suas ações. Vários temas foram abordados no contexto alimentação e nutrição, como o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN), sobrepeso e obesidade, NutriSUS, programa Bolsa Família, dentre outros.

Morgana Agra de Brito, da Gerência Operacional de Ações Programáticas e Especiais da SES, lembrou a importância do acompanhamento de todas as condicionalidades que envolvem o Programa. “Há questões relacionadas à alimentação, vacinação, orientações que trazem uma vida saudável ao beneficiário”, acrescentou Morgana.

O Seminário vem ocorrendo em todo o Estado, abordando a PNAN. São programas de suma importância para serem trabalhados com a população, desde a prevenção e promoção, até a assistência junto aos usuários, especialmente em um momento em que os números acusam o sobrepeso e obesidade.

Esta é uma das maiores preocupações em se tratando de saúde pública no Brasil na atualidade, pelas consequências que provocam, com um olhar bem atento às crianças e adolescentes. Pesquisas do IBGE de 2014 já apontavam que 15% das crianças entre 5 a 9 anos e 25% dos adolescentes apresentavam sobrepeso ou obesidade.

Há vários fatores para que isso ocorra, desde genéticos, ambientais, individuais e patologias, que podem desencadear também a obesidade. Muitos males podem surgir daí, como hipertensão, diabetes, fatores oncológicos, psicossociais, ortopédicos. Os participantes do seminário receberam material sobre uma alimentação e nutrição ideais, com receitas, orientações que vão auxiliá-los  no planejamento de suas ações nas unidades básicas de saúde. Um bom exemplo a ser trabalhado com usuários do SUS é a substituição de alimentos industrializados, ricos em açúcares, gorduras e alto teor calórico por frutas, verduras e peixes.