João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado realiza oficinas de férias no Cearte

quinta-feira, 18 de julho de 2013 - 10:11 - Fotos:  Roberto Guedes/Secom-PB

As oficinas de férias oferecidas no Centro Estadual de Arte (Cearte), localizado no Mosteiro de São Bento, começaram e cerca de 200 alunos, de todas as idades, participam de diversas atividades nas áreas de fotografia, teatro, cinema, música, literatura, dança e artes plásticas.

De acordo com a coordenadora do Cearte, Laura Moreno, as oficinas oferecem uma metodologia de ensino horizontal, onde há a troca de experiências entre professores e alunos. “Esta foi uma iniciativa que damos início em janeiro com os cursos de férias, mas deu tão certo que repetimos em julho. Não podemos ficar parados porque existe uma demanda muito grande, tanto que ampliamos nossos projetos para os cursos de extensão nas comunidades que daremos início no mês de agosto. Até mesmo os alunos dos cursos semestrais resolveram participar e ficamos felizes com isso”, destacou.

Entre as principais oficinas oferecidas estão a de Reencantamento do Verso, do Gesto, do Olhar, do Jogo, do Movimento; Jogos Cênicos; Desenho; O Figurino do Cinema; Fotografia Artesanal; Harmonia e Improvisação Musical e Percepção do Olhar.

Para a professora da oficina O Figurino do Cinema, Tainá Macedo, o curso é uma oportunidade para que os alunos, em sua maioria estudantes de comunicação e moda, estudem os fundamentos do figurino como significante cênico nas produções audiovisuais através da análise de filmes.

Essa oficina é importante para que eles criem uma visão crítica e entendam o que estão por trás das câmeras. É importante estudar e pesquisar a concepção de cada figurino. Até o final do ano ocorrerão outras oficinas, como a de figurino no teatro, na dança, na música, na performance e, por fim, uma oficina prática”, explicou a professora.

A estudante do curso de Produção de Moda, Bruna Cairo, escolheu participar da oficina de figurino para ampliar seus conhecimentos na área. “Estou terminando o curso de moda que só me proporcionou aprender sobre coleções e não sobre composições de personagens. É sempre bom aprender coisas novas e agora estou tendo oportunidade de aprender sobre figurino e aliar ao meu conhecimento nessa área”, disse a jovem.

Outra oficina oferecida é a de Desenho, com o professor Martinho Patrício. Com faixa etária livre, o curso tem o objetivo de proporcionar aos alunos através da experimentação do desenho um pensamento crítico e reflexivo, estimulando a discussão, a participação coletiva e a troca.

Não queremos tratar apenas de paisagens e figuras, mas fazer com que os alunos questionem com cada desenho o que eles estão querendo representar. Meu interesse é que saiam com mais dúvidas do que respostas, pois só assim eles irão em busca de aprender mais com novos pensamento. Além disso, abordarmos o desenho contemporâneo de como encontrar novas figuras e paisagens, trazer novos significados para antigas e novas questões”, informou.

A oficina de Jogos Cênicos também tem sido bastante procurada pelos jovens de faixa etária entre 8 e 14 anos. Coordenado pelas professoras Joana Vieira e Luciana Portela, o laboratório tem por objetivo desenvolver a expressividade dos participantes e visa a criação de cenas a partir de jogos teatrais e rítmicos, brincadeiras, rimas e histórias das expressões populares brasileiras.

Ela traz uma diversidade das linguagens artísticas para os alunos que aprendem de maneira lúdica sem perceber. É uma fase especial da vida deles de pré-adolescência, onde muitos aprendem a deixar a timidez de lado e ganham reforço na formação da individualidade e identidade de cada um”, destacou a professora.

O pequeno Wanderlan Bezerra, de apenas 8 anos, aproveitou o período de férias escolares para participar da oficina. “Eu não sabia o que era jogos cênicos e aqui eu descobri com meus colegas. Aprendi a contar histórias, desenhar, novas brincadeiras, fazer bonecos de papel e muita coisa que nunca fiz na escola”, revelou.

A oficina de fotografia sensorial Percepção do Olhar, coordenada pelo professor e fotógrafo Ricardo Peixoto, atraiu diversos alunos pela peculiaridade das aulas, que utilizam a linguagem visual através de exercícios com jogos, rodas, dramatizações e técnicas de sensibilização, ampliando o contato direto com as sensações e emoções das pessoas. A educação dos sentidos também foi praticada através de um exercício onde os alunos saíram nas ruas, enfileirados, com os olhos vendados.

A visão chega a ser nosso instrumento principal de percepção e quando se desenvolve atividades como esta as pessoas passam a valorizar os outros sentidos como o da audição, olfato, tato e paladar. Elementos essenciais que despertam novos conceitos, questionamentos e atitudes essenciais ao estudo da linguagem fotográfica”, disse Laura Moreno.

Cursos semestrais – Os cursos semestrais voltam do recesso no dia 6 de agosto. Por isso, estão mantidas as inscrições e a taxa de matrícula custa R$ 30,00 para alunos da rede pública e R$ 80,00 para o público em geral.

Os cursos oferecidos são: artes visuais (fotografia, pintura e desenho), dança (clássica, contemporânea, salão e do ventre), música (canto lírico, canto popular e teclado) e teatro (jogos teatrais, improvisação, encenação e clown – palhaço).

Serviço – Os interessados podem procurar o Centro Estadual de Arte, que está instalado no Mosteiro de São Bento, na Rua General Osório, 36, no Centro da Capital. Para informações adicionais, podem entrar em contato através dos telefones 3214-2923 e 3214-3412.