João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado realiza II Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 - 18:46 - Fotos: 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEE),  realiza até o dia 15 deste mês a II Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena (Coneei), etapa das Comunidades Educativas dos Povos Potiguara e Tabajara da Paraíba, contemplando quatro municípios onde estão inseridas as comunidades indígenas no Estado. São eles: Baía da Traição, Rio Tinto, Marcação e Conde. Nos três primeiros municípios prevalece o povo Potiguara e no Conde prevalece o povo Tabajara.

O evento está sendo organizado pelo Núcleo Indígena da Gerência de Diversidade e Inclusão (Gedi) da SEE e teve início nesta quinta-feira (1), no município de Baía da Traição. De acordo com a responsável pelo Núcleo Indígena da Gedi, Fernanda Tavares, o evento contou com a participação de cerca de 70 pessoas entre integrantes do povo Potiguara, representantes das 10 escolas estaduais indígenas, representantes das escolas municipais da região, professores, estudantes, pais, lideranças indígenas, indigenistas, organizações ligadas ao movimento indígena e pesquisadores.

O tema central da conferência é “O Sistema Nacional de Educação Indígena: regime de colaboração, participação e autonomia dos povos indígenas”. Também foram discutidos temas como a “Organização e Gestão da Educação Escolar Indígena”; “Práticas Pedagógicas Diferenciadas da Educação Escolar Indígena”; “Formação e Valorização dos Professores Indígenas”; “Práticas de Atendimento à Educação Escolar Indígena na Educação Básica” e “Ensino Superior e Povos Indígenas”.

A II Coneei foi convocada por meio da Portaria nº 421/MEC, de 09 de maio de 2014, com os objetivos de avaliar os avanços, impasses e desafios da Educação Escolar Indígena a partir da I Coneei, realizada em 2009; construir propostas para a consolidação da Política Nacional de Educação Escolar Indígena; reafirmar o direito a uma educação escolar indígena específica, diferenciada e bilíngue/multilíngue; e ampliar o diálogo para a construção de regime de colaboração específico para a educação escolar indígena, fortalecendo o protagonismo dos povos indígenas e de suas organizações.