Fale Conosco

26 de julho de 2009

Governo do Estado presta homenagem à memória de João Pessoa



O Governo do Estado realizou na manhã deste domingo (26), eventos em memória do presidente João Pessoa, falecido em 26 de julho de 1930.  ele governou a Paraíba de 1928 a 1930. As homenagens  tiveram início às 9 horas com uma Missa na Igreja da misericórdia, centro da capital. O vice-governador Luciano Cartaxo, representando o governador José Maranhão, fez a 1ª Leitura da Missa. O Monsenhor Edinaldo Araújo, da Paróquia Santíssima Trindade, no Valentina Figueiredo, presidiu a Missa que teve a concelebração do Monsenhor Nilson Nunes, e do padre Assis. Antes do Evangelho Monsenhor Edinaldo fez referências à importância política e histórica de João Pessoa para o Estado da Paraíba e enalteceu suas qualidades. A vice-presidente da Funesc e cantora lírica, Ana Gouveia, encerrou a missa com uma oração.

O vice-governador Luciano Cartaxo, destacou que João Pessoa está na memória dos paraibanos porque trata-se de uma história forte, escrita com sangue e que faz parte da nossa Paraíba e o Governo do Estado tem esse papel de não só preservar mas também valorizar cada vez mais a nossa história. “Esse é um momento de reflexão para todos nós e o Governo homenageia a Paraíba ao homenagear João Pessoa”, revelou.

Em pronunciamento na Praça João Pessoa, representando a família, o jornalista Abelardo Jurema sugeriu que o Governo da Paraíba, no próximo ano, nos 80 anos de morte de João Pessoa, programe um evento que marque sua trajetória também junto aos estudantes nas escolas públicas e privadas.

O vice-governador Luciano Cartaxo, em discurso, referendou a proposta de Abelardo e comunicou que apresentará a sugestão da família ao governador José Maranhão para que em 2010 os 80 anos de morte de João Pessoa provoque amplo debate.

O historiador e escritor, Wellington Aguiar, revelou que há 19 anos se pronuncia sobre a memória de João Pessoa no ato cívico da praça. Neste domingo, citou várias passagens da vida do ex-presidente da Paraíba publicadas em seu livro João Pessoa – O Reformador. A obra tem 350 páginas.

Dezenas de familiares de João Pessoa, autoridades e populares, participaram da missa que teve acompanhamento musical do Grupo da Paróquia do Valentina de Figueiredo e da Banda de Música da Polícia Militar. O sobrinho-neto de João Pessoa, Fernando Pessoa de Aquino, revelou que o presidente da Paraíba foi um homem honrado, e grande administrador.

Um outro sobrinho-neto, o jornalista Abelardo Jurema, afirmou que a família sempre fica comovida pelas homenagens mesmo passados 79 anos de sua morte. Disse que João Pessoa não é esquecido pela coragem que ele teve, pela importância histórica e perfil reformador. “Enquanto houver esse sentimento prevalecendo, João Pessoa será imortal, pra sempre”, disse Abelardo.

As homenagens à memória do ex-governador da Paraíba se encerraram ao meio dia com a família depositando no mausoléu, no Palácio da Redenção,  uma coroa de flores enviada pelo governador José Maranhão.

Várias autoridades participaram das comemorações, a exemplo da secretária de Comunicação Institucional, Lena Guimarães, o secretário da Casa Civil, Élson Pessoa de Carvalho, o secretário de Esportes, coronel Francisco, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Carvalho, o deputado estadual João Gonçalves, representante da Assembléia Legislativa, a presidente da Fundação Casa de José Américo, Letícia Maia, dentre outras personalidades.

Josélio Carneiro, com fotos de João Francisco, da Secom-Pb