Fale Conosco

18 de junho de 2012

Caso Queimadas: Governo presta apoio às famílias das vítimas



O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, está prestando total assistência às vítimas do estupro coletivo ocorrido na cidade de Queimadas, no dia 12 de fevereiro deste ano, cujo crime culminou com duas mulheres assassinadas. Desde a manhã desta segunda-feira (18), acontece a segunda audiência de instrução com as testemunhas e os acusados de participarem do crime, conduzida pela juíza Flávia Baptista Rocha. Até às 18h, haviam sido ouvidos cinco dos sete réus, incluindo os dois irmãos acusados de serem os mentores dos crimes praticados. A secretária executiva da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta dos Santos Soares, e a gerente de Enfrentamento à Violência contra Mulher, Cândida Moreira, acompanharam a audiência no Tribunal do Júri do Fórum de Queimadas.

A secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Iraê Lucena, reafirmou que o Governo do Estado tem dado total apoio na questão psicológica, com assistência também aos familiares das vítimas. No dia 12 de março, um mês após o fato, a Secretaria participou de um ato público em Queimadas, inclusive com a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, Aparecida Gonçalves, que representou  a ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Eleonora Minicucci, da Presidência da República. “O Estado imediatamente se colocou à disposição do acompanhamento das vítimas e familiares com serviços de profissionais”, destacou a secretária Iraê Lucena.

Ela citou ainda que o prefeito de Queimadas, Carlinhos de Tião, assinou o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher e criou a Comissão dos Direitos da Mulher e da Diversidade Humana. A secretária Iraê Lucena revelou que está em estudo uma capacitação para os profissionais da área de assistência social do município, a fim de melhorar a qualidade da assistência prestada às mulheres vítimas de violência.

Os acusados, que estão detidos no Complexo Penitenciário Romeu Gonçalves de Abrantes (PB-1 e PB-2) foram levados a Queimadas, onde chegaram às 9h. A audiência acontece no Tribunal do Júri. A primeira audiência de instrução foi realizada no dia 4 de junho. A denúncia do Ministério Púbico Estadual e as investigações da Polícia Civil apontam que cinco mulheres foram estupradas e em seguida duas das vítimas foram assassinadas.

Contra os envolvidos pesam as acusações por estupro, cárcere privado, lesão corporal, formação de quadrilha. Contra o mentor dos crimes, também há acusação por duplo homicídio e posse ilegal de arma. Uma das mulheres foi morta com quatro tiros e a outra com três tiros. Três adolescentes que participaram do crime já cumprem medidas socioeducativas.

No no dia 12 de fevereiro, a professora Isabela Pajuçara, 28 anos, e a secretária Michelle Domingos, 29, foram assassinadas a tiros depois de estupradas. Participaram das prisões policiais do Bope, do 2º e 10º  Batalhões de Polícia Militar e da Polícia Civil.  Sete acusados estão presos aguardando decisão judicial e três adolescentes já foram sentenciados com três anos de internação. O caso ganhou repercussão internacional.