João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado participa de seminário nacional de avaliação do Programa Mais Médicos

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 - 11:33 - Fotos:  Secom-PB

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participou na noite da quinta-feira (8), da abertura do Seminário Nacional Rede-Observatório do Programa Mais Médicos. O evento foi realizado no auditório do Centro de Ciência Médicas, na UFPB, e contou com as presenças da secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath; do coordenador geral da Rede Unida, Júlio César Schweickardt; do ex-coordenador Nacional do Programa Mais Médicos, Felipe Proenço; do representante da Rede-Observatório do Programa Mais Médicos, Luciano Bezerra Gomes; e da vice-presidente do Cosem-PB, Sandra Núbia.

O evento é promovido pela Rede-Observatório do Programa Mais Médicos, formada por pesquisadores, técnicos, estudantes de graduação e pós-graduação, trabalhadores da educação e da saúde e instituições mobilizadas por essa temática, que desenvolvem diversas pesquisas da gestão da educação e do trabalho na saúde, sobre atenção básica, entre outros temas. Este já é o terceiro seminário sobre o assunto. O primeiro ocorreu em São Paulo e o segundo em Manaus.

Durante a abertura, o ex-coordenador Nacional do Programa Mais Médicos, Felipe Proenço, lembrou que em 2013, ano em que o programa foi lançando, 700 municípios no país não contavam com um médico para garantir o atendimento junto às equipes de Saúde da Família. “A realidade que vemos três anos depois é completamente diferente, o que representa inclusive um momento de renovação das expectativas do Mais Médicos, de fortalecimento, por isso a importância de divulgar os resultados positivos. A população reconhece como o acesso ao atendimento na Atenção Básica melhorou, o que diminuiu consideravelmente as internações hospitalares, assim como aumentou a resolutividade. Esse é um momento também de reafirmarmos as ações de formação do programa. Hoje, 63 milhões de brasileiros são atendidos pelos mais de 18 mil médicos que fazem parte do Mais Médicos”, pontuou.

O representante da Rede-Observatório do Programa Mais Médicos, Luciano Bezerra Gomes, explicou que a Rede, desde o primeiro semestre de 2015 já via a necessidade de se produzir estudos consistentes, com uma avaliação pontual onde fosse possível pensar nas estratégias mais continuadas de curto, médio e longo prazo que permitissem compreender, analisar e apontar avanços e limitações do Mais Médicos nas principais vertentes. “Podemos afirmar que o Programa Mais Médicos teve impacto na produção dos serviços de saúde, na distribuição dos profissionais médicos no território brasileiros e na ampliação do tipo de ações que são desenvolvidas nas Unidades Básicas. Em São Paulo, o programa reduziu a mortalidade infantil de forma considerável. Esse seminário é importante para que a gente possa avaliar, melhorar e avançar com o programa, para que assim tenhamos um sistema único público, universal, gratuito e de qualidade”, disse Luciano.

A vice-presidente do Cosem-PB e secretária de saúde do município de São Bento, Sandra Núbia, falou sobre a transformação que o Mais Médicos promove no atendimento da Atenção Básica daquele município. “Lembro que há quatro anos, de 12 Unidades Básicas de Saúde, cinco não tinham médicos, e desde que o Programa Mais Médicos foi implantado até ampliamos o número de unidades e nunca mais uma unidade sequer ficou sem um profissional médico, então posso dizer que a transformação, o impacto que o programa trouxe foi de fato muito grande, beneficiando a população”, explicou.

A secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath, destacou o significado do trabalho com saúde da família não só para a população, mas para os profissionais médicos. “Há quinze anos, quando concluí a residência, optei por fazer uma especialização em Saúde da Família, onde pude aprender com a população, com as famílias, as mães. Com esse trabalho, percebi que tinha muito que aprender apenas com a mudança do olhar. O trabalho dos profissionais médicos na Saúde Família é um trabalho humanizado. Os médicos, ao entrarem no interior dos lares, recebem muito mais do que podem oferecer, aprendendo assim com a troca dessa convivência”, ressaltou Roberta.

Depois de encerrada a mesa, houve o lançamento de três livros: “A Colônia”, “Além mar” e “O médico e a benzedeira”. Cada livro tem uma história elaborada a partir de experiências desencadeadas no âmbito do Mais Médicos, com textos de Antônio Lino Júnior e fotos de Araquém Alcântara. O Seminário continua, nesta sexta-feira (9), com a realização de debates.