Fale Conosco

31 de outubro de 2015

Governo do Estado participa de conferência nacional de segurança alimentar em Brasília



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Humano (Sedh) e Secretaria Executiva de Segurança Alimentar e Nutricional e Economia Solidária (Sesaes), em parceira com o Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), participa da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (5ª CNSAN). O encontro ocorre de 3 a 6 de novembro, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília, sob o lema “Comida de verdade no campo e na cidade, por direitos e soberania alimentar”. 

Os participantes são delegados que foram eleitos em etapas preparatórias nos 26 estados e Distrito Federal. A Paraíba será representada por 45 delegados, 15 do poder público, como Sesaes, OD, Cooperar, Funai, Secretaria das Mulheres, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e 30 delegados da sociedade civil.

Cerca de dois mil convidados participarão do evento. Todos os estados estarão representados, respeitando-se a diversidade e a pluralidade do país. Dois terços da delegação, formada pela sociedade civil, terá entre seus integrantes representantes indígenas, quilombolas, população negra, povos de terreiro, além de outros povos e comunidades tradicionais e a população em geral.

O objetivo principal da 5ª Conferência Nacional é ampliar e fortalecer os compromissos políticos para a promoção da soberania alimentar, garantindo a todos o direito humano à alimentação adequada, assegurando a participação social e a gestão intersetorial no sistema, na política e no Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

A titular da Secretaria Executiva de Segurança Alimentar e Economia Solidária, Ana Paula Almeida, considera que a 5ª Conferência Nacional é um evento estratégico e privilegiado para toda estrutura do sistema estadual de segurança alimentar. “Sobretudo, porque foi através das 11 conferências que reunimos 1.200 pessoas em várias regiões do Estado, dialogando estratégias e ações que o governo vai desenvolver no campo da segurança alimentar. Foi um período importante para avaliarmos também os trabalhos dos programas, como cisternas, pão e leite, restaurantes, enfim, todas as politicas de segurança alimentar”, completou.