João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado participa de audiência pública sobre ações de prevenção e combate ao câncer de mama

quinta-feira, 8 de outubro de 2015 - 10:41 - Fotos: 

O Governo do Estado participou, na tarde da quarta-feira (7), de uma audiência pública para as ações de prevenção e combate ao câncer de mama na Paraíba. A audiência foi realizada na Assembleia Legislativa e contou com a participação de representantes do Poder Legislativo, Governo do Estado, por meio da vice-governadoria e das Secretarias de Saúde e da Mulher e Diversidade Humana, além de ONGs e instituições que atuam no combate ao câncer na Paraíba.

Durante toda a tarde, foram apresentados dados e discutida a realidade do câncer de mama no Estado. De acordo com a médica mastologista Cristiane Santos Araújo, do Hospital da FAP, em Campina Grande, é preciso continuar investindo em campanhas de conscientização. “O índice de mamografias no nosso país está bem abaixo da média mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), para se ter uma redução da mortalidade é preciso ter um rastreamento de 70% dessas mulheres. Ano passado, aqui na Paraíba, das 296.608 mil mulheres com idade entre 50 e 61 anos, apenas 49.943 fizeram o exame. Esses dados ainda são muito baixos. É necessário continuar e fazer cada vez mais campanhas de conscientização, pois a mulher ainda tem certo medo da mamografia, de sentir dor durante o exame, e isso precisa ser combatido”, disse Cristiane.

Segundo a gerente executiva de Atenção à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Patrícia Assunção, que representou a secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath, o governo vem trabalhando desde 2011 com Redes de Cuidados e Linhas de Atenção Prioritárias, implantando a Rede de Atenção a Doenças Crônicas, onde está incluída a questão da oncologia. “A cobertura de Atenção Básica da Paraíba é de 93%, ou seja, o segundo maior acesso de Saúde das Famílias do país. E tanto a prevenção do câncer de mama, quanto o diagnóstico precoce começa na Atenção Básica. Ela é a porta de entrada pra essa rede de atenção, por isso a gente faz o chamamento para que os municípios, através das suas equipes de Saúde da Família, se organizem para atender essas mulheres”, disse.

A gerente de saúde da SES lembrou também que a realidade dos municípios hoje não é mais a mesma devido a programas governamentais. “Hoje temos equipes completas de saúde nos municípios. Dos 223 municípios, 136 contam com profissionais médicos do Programa Mais Médicos, com um total de 398 profissionais. Trago essa questão para enfatizar que o exame clínico para prevenção do câncer de mama e diagnóstico precoce pode ser feito na Unidade de Saúde da Família, evitando assim a letalidade da doença. As mulheres precisam ter suas demandas e necessidades garantidas nesses serviços, e o Governo do Estado vem trabalhando por isso”, concluiu Patrícia Assunção.