Fale Conosco

5 de abril de 2013

Governo do Estado oferece exames com qualidade e eficiência à população



O Dia Mundial de Luta Contra o Câncer é comemorado nesta segunda-feira (8) e o Governo do Estado vem implementando ações pontuais para combater a doença e oferecer aos pacientes medicamentos gratuitos e equipamentos para o tratamento. Um dos serviços especializados e que oferece exames com qualidade e eficiência à população paraibana é o Centro Especializado de Diagnóstico do Câncer (CEDC).  O Centro viabiliza 15 tipos de exames de diagnóstico do câncer. Os pacientes têm que ser encaminhados pelas unidades básicas de saúde e pela Central de Regulação.

Fundado em 1998 para rastrear o câncer do colo do útero, em pouco tempo o Laboratório de Anatomia Patológica do CEDC tornou-se o único de referência no atendimento da rede pública de saúde na Paraíba.  O serviço atende uma média de 100 municípios paraibanos e disponibiliza os laudos dos exames citopatológicos, via e-mail, propiciando o aumento da produtividade e reduzindo o tempo de atendimento total.

De acordo com a diretora geral do serviço, Roseane Soares da Nóbrega Machado, o CEDC realiza mensalmente cerca de 10 mil exames com destaque para os citopalógicos, que previnem o câncer de colo de útero. Mensalmente, são realizados cerca de 8 mil procedimentos dessa natureza. Em segundo lugar, estão os exames anatomopatológicos, com 1.200.  O Centro também é o responsável pela realização do Monitoramento Externo de Qualidade dos exames citopatológicos de colo de útero realizados em toda a Rede SUS da Paraíba.

Roseane Soares destacou a qualidade do atendimento oferecido gratuitamente pelo SUS, especialmente no que se refere aos profissionais envolvidos. “Oferecemos atendimento especializado e comprometido com a saúde não só da mulher, como da população em geral. Possuímos, por exemplo, profissional especializado em procedimentos de detecção do câncer da tireoide, em que nota-se um crescente número de casos”, revelou.

Outra ação importante do Governo do Estado no combate ao câncer é a construção do Centro de Oncologia do Hospital Regional de Patos. Será o primeiro centro de oncologia do semiárido nordestino. Serão investidos em torno de R$ 6 milhões, em uma parceria entre os Governos Estadual e Federal, incluindo os recursos destinados à aquisição dos equipamentos.

Depois de concluído, o centro vai beneficiar sete Gerências Regionais de Saúde (6ª, 7ª, 8ª, 9ª, 10ª, 11ª e 13ª GRS), o que representa a melhoria de acesso ao serviço para uma população de 902.310 habitantes.  A unidade terá 10 poltronas para atendimento na área de quimioterapia,  uma sala de atendimento emergencial com dois leitos e dois consultórios de oncologia. “Com esse serviço, muitos pacientes do interior do Estado não precisarão mais viajar para Campina Grande ou João Pessoa a procura de atendimento especializado, pois o Centro irá oferecer esse tipo de atendimento”, disse o secretário de Estado da Saúde, Waldson Dias de Souza.

A construção do Centro de Oncologia será possível graças a uma parceria com o Ministério da Saúde (MS), a partir de prioridades definidas pelo governo estadual. O centro vai contribuir com a implantação da Rede de Atenção em Oncologia do Estado, sem a necessidade dos pacientes terem que se dirigir a Campina Grande ou João Pessoa, onde se encontram atualmente os dois únicos centros de oncologia, com hospitais filantrópicos conveniados com o SUS.

A meta do Governo do Estado não é apenas construir unidades de saúde, mas organizar a rede e construir um cenário com serviços de qualidade e atendimento humanizado. “Reduzir o sofrimento do paciente e de sua família e melhorar sua autoestima serão resultados imediatos quando o centro entrar em funcionamento. Do ponto de vista da administração pública, haverá redução de gastos gerada pela descentralização dos serviços”, destacou o secretário Waldson Souza.

Capacitações – Com o objetivo de melhorar o diagnóstico, principalmente com relação ao câncer de colo de útero, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde e em parceria com as Gerências Regionais de Saúde, vem realizando capacitações sobre coleta de exame citopatológico para os profissionais das equipes de Saúde da Família (Rede de Atenção Básica).

De acordo com a psicóloga sanitarista da Área Técnica da Saúde da Mulher da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Charlene de Oliveira Pereira, no nível primário de atenção à saúde, a qualificação da coleta do citopatológico é um dos componentes essenciais para se garantir o sucesso do rastreamento e do diagnóstico precoce do câncer do colo do útero, contribuindo na redução da incidência e mortalidade por este tipo de câncer.

Medicamentos – O Governo do Estado também distribui vários medicamentos para o tratamento do câncer, beneficiando centenas de pacientes cadastrados. Os remédios são distribuídos pelo Almoxarifado Central da Secretaria da Saúde. Esses remédios são de alto custo e o tratamento final para cada paciente pode chegar a cerca de R$ 100 mil. No Almoxarifado Central são oferecidos os seguintes medicamentos: Sunutinib (Sutent) Tarceva, Mablitera (Rituximabe), Herceptin, Thyrogen, Novaldex D (Tamoxifeno), Temodal e Velcade (Bortezomide).

Equipamento – O Governo do Estado também adquiriu com recursos próprios um acelerador linear para o Hospital Napoleão Laureano, que é referência no diagnóstico e tratamento do câncer na Paraíba. O equipado custou R$ 2,1 milhões e está beneficiando uma média de 100 pacientes por mês.

Recursos – O convênio com a Fundação Assistencial da Paraíba, mais conhecido como Hospital da FAP, em Campina Grande, também foi renovado.  O Estado repassou, em 2012, cerca de R$ 840 mil à unidade de saúde, que é uma entidade filantrópica, com vistas à aquisição de medicamentos para cerca de dois mil pacientes acometidos ou portadores de câncer em tratamento quimioterápico. Os recursos são do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza no Estado da Paraíba (Funcep).

A doença – Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo. A palavra câncer tem origem no latim, cujo significado é caranguejo. Tem esse nome, pois as células doentes atacam e se infiltram nas células sadias como se fossem os tentáculos de um caranguejo. Atualmente, foram identificados mais de 100 tipos desta doença, sendo que a maioria tem cura (benignos), desde que identificados em um estágio inicial e tratados de forma correta.

Outros dados – Os Centros que tratam especificamente o câncer na Paraíba são o Hospital Napoleão Laureano e a FAP (Campina Grande), que fornecem o tratamento com radioterapia. O câncer está em segundo lugar em causa de óbitos na Paraíba, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. De acordo com dados da Gerência Operacional de Resposta Rápida da SES, em 2011 o câncer matou 3.222 pessoas na Paraíba e no ano passado foram 3.379 óbitos. Em 2011 o câncer de próstata liderou com 296 mortes, seguido pelo câncer de estômago com 281 e em terceiro lugar ficou o câncer de pulmão com 280 óbitos. Em 2012, o câncer que mais matou foi o de pulmão com 327 óbitos, seguido do de próstata com 267 e estômago com 257.