João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado lança Projeto Eco produtivo como modelo de gestão rural

sexta-feira, 9 de outubro de 2015 - 11:36 - Fotos:  Secom-PB

Buscando impulsionar a agricultura familiar na Paraíba, o Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), implantará quatro projetos pilotos denominados “Eco produtivos”, visando o desenvolvimento rural sustentável e o fortalecimento socioeconômico das comunidades, inicialmente atendendo diretamente a 482 famílias e indiretamente, 2.420 pessoas. O primeiro projeto implantado será no Assentamento Bartolomeu I, em Bonito de Santa Fé, nesta quarta-feira (14), contemplando 17 famílias agricultoras.

O Plano de Ação do Projeto Eco produtivo a ser lançado pela diretoria colegiada da GU, presidida pelo técnico Nivaldo Magalhães, contará com a participação de integrantes da comunidade, da prefeitura municipal, de secretários municipais, de pesquisadores, de extensionistas, de representantes de associações comunitárias rurais e Conselhos Municipais de Desenvolvimentos Rurais Sustentáveis (CMDRs), além de órgãos parceiros envolvidos no projeto. “O objetivo é buscar a sustentabilidade das áreas produtivas em assentamentos e comunidades quilombolas, contribuindo para o fortalecimento socioeconômico e ambiental das unidades familiares”, comentou Nivaldo.

A proposta é difundir um modelo de exploração sustentável para as comunidades rurais no Estado. O projeto contribuirá para o desenvolvimento econômico e social, dando ênfase ao fortalecimento do agronegócio, a preservação das nascentes, matas ciliares e formação de agentes multiplicadores dessas ações. Visa também respeitar a capacidade de suporte de certo sistema ou bioma, sem a utilização de agroquímicos, e está intimamente ligado ao conhecimento tradicional e comunitário das famílias agricultoras.

Diagnóstico Rural – Todo o projeto foi construído com a participação efetiva dos comunitários beneficiários, por meio da aplicação do Diagnóstico Rural Participativo (DRP), ocasião em que as famílias agricultoras relatavam a realidade apresentando os problemas e potencialidades existentes, identificando as possíveis soluções e a busca de parceiros externos. O DRP foi aplicado através de desenhos, números, mapas, fluxograma, matrizes, maquetes e diagramas, finalizando com a construção do plano de ação de cada comunidade.

Programação – De acordo com, a programação, após o lançamento do primeiro projeto, na comunidade Bartolomeu, na terça-feira (14), onde são beneficiadas 17 famílias, será a vez do Quilombolas de Pitombeira, no município de Várzea, com 65 famílias, na quinta-feira (15). Já no Assentamento Oziel Pereira, em Remígio, com 50 famílias, o lançamento será no dia 20 deste mês e, finalizando, acontecerá no dia 22, em Alagamar, em Salgado de São Félix com 350 famílias. Todas as comunidades tiveram efetiva participação na elaboração do Diagnóstico Rural Participativo.

Para as comunidades atendidas, serão disponibilizadas mudas frutíferas, implantação de pomar individual, hortas caseiras e quintais produtivos. Também serão produzidas mudas nativas florestais visando a recuperação das nascentes e matas ciliares. Consta, ainda, a plantio de campos de palma forrageira para suplementação de ração animal. Está sendo previsto também o desassoreamento de açudes, lagos e lagoas, perfuração de poços, construção de barragens subterrâneas e instalações de dessalinizadores.

Os integrantes das comunidades beneficiárias poderão participar de cursos sobre educação ambiental, resíduos sólidos e coleta seletiva, segurança alimentar, processamento de frutas, associativismo, manejo sobre criação de caprinos e ovinos. Também serão estimulados a trabalhar com apicultura, suínos, avicultura, piscicultura e bovinos, bem como na melhoria da infraestrutura com a construção de passagens molhadas e melhoramento de estradas vicinais.