Fale Conosco

8 de maio de 2015

Governo do Estado lança oficialmente a campanha contra febre aftosa



O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap)/ Gerência de Defesa Agropecuária (Geda), lançou oficialmente, nesta sexta-feira (8), na Fazenda Serrote Agudo, no município de Catingueira, a primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa de 2015.

A campanha se estenderá até o dia 31 de maio e a meta dos técnicos da Defesa Agropecuária é vacinar 100% do rebanho de bovinos e bubalinos da Paraíba, o que corresponde a mais de um milhão de animais.

Na etapa passada, realizada no último mês de novembro, foram imunizados mais de 95% dos animais, obtendo a cobertura vacinal acima da meta estabelecida pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, (Mapa).

O índice mínimo de cobertura exigido pelo Ministério da Agricultura é de 80% e todos os municípios do Estado ultrapassaram a meta mínima com destaque para os municípios da região de Patos, com índice superior a 98%.

A Defesa Agropecuária alerta que, após o término da campanha, o criador tem até 10 dias para fazer a declaração da vacina – documento obrigatório que comprova que os animais foram vacinados – e atualizar os dados cadastrais nos escritórios do órgão de defesa existentes em todo o Estado.

Para fazer a declaração, o criador deve apresentar a nota fiscal de compra da vacina. Quem não fizer a declaração estará sujeito ao pagamento de multa no valor de R$ 164,00 e estará impedido de retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), além de ficar inadimplente junto ao órgão de defesa agropecuária estadual.

O secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, abriu a solenidade destacando a importância de vacinar os animais. “Queremos vacinar 100% e todos os criadores devem vacinar seu rebanho, não só por causa das sanções estabelecidas pelos órgãos de Defesa, mas pela importância que a vacinação representa para o estado e para o País. A meta do Ministério é erradicar a aftosa no Brasil e o nosso papel é contribuir para que isso aconteça”, ressaltou o secretário.

João Pereira, que é agropecuarista na região, diz que vai vacinar todo seu rebanho. “Não tem motivo para deixar de vacinar. A vacina é barata e a multa custa caro, então, o bom mesmo é estar tranquilo e com o rebanho protegido”, disse.

Os criadores podem comprar a vacina nas farmácias e lojas de produtos agropecuários ao preço variável de até R$ 2,00.