João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado investe para desenvolver setor mineral

quarta-feira, 5 de outubro de 2011 - 18:52 - Fotos:  Claudio Goes/Secom-PB

Foto: Claudio Goes/Secom-PB

Na Paraíba, o setor de mineração é um dos arranjos produtivos que mais receberam recursos este ano, por meio dos programas Empreender e Cooperar, totalizando cerca de R$ 3 milhões. Os números foram apresentados pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Minerais (CDRM), Geraldo Nobre, ao participar, nesta quarta-feira (5), da mesa redonda “Políticas públicas de apoio aos APLs de base mineral: associativismo e cooperativismo”.

O debate marcou, pela manhã, o segundo dia do VIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral e o V Encontro da Rede APLmineral, que são realizados até a próxima sexta-feira (7), na sede da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), em Campina Grande. O evento é promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde), em parceria com Sebrae,  Governo Federal e Rede APL Mineral.

Geraldo Nobre revelou que, do total de investimentos, mais de R$ 2 milhões foram destinados às seis cooperativas de mineradores nos municípios Nova Palmeira, Ouro Velho, Pedra Lavrada, Picuí e Várzea. “O governador Ricardo Coutinho está cumprindo o compromisso de dar um passo adiante em relação ao desenvolvimento da mineração paraibana”, ressaltou o presidente da CDRM, órgão vinculado à Setde.

Também participaram da mesa redonda a secretária de Desenvolvimento da Produção, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Heloísa, Regina Magalhães; o secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração, Sérgio Duarte de Castro; o secretário executivo do núcleo estadual da Paraíba de Apoio a APLs, Antonio Teixeira Neto; e o coordenador geral de Promoção do Desenvolvimento Sustentável da Sudene, Carlos Almiro Moreira Pinto,. O moderador foi  Elzivir Azevedo Guerra, coordenador da Rede APLmineral e membro do  Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Abertura – O seminário foi aberto na noite dessa terça-feira (4), pelo titular da Setde, Renato Feliciano, que destacou os investimentos do Governo do Estado no crédito e na orientação para que os mineradores adquiram máquinas e equipamentos, a fim de incrementar a produção e garantir a circulação de recursos na economia paraibana.

O coordenador do Programa Mineral do Estado, Marcelo Falcão, ressaltou que a Paraíba é um Estado com vocação mineral. “Temos a indústria cimenteira no Litoral, argila bentonita na Borborema e rochas ornamentais e riqueza mineral no Seridó, onde atualmente estamos desenvolvendo um trabalho intenso em rede. Cada parceiro desse programa tem papel importante”, acentuou Marcelo.

O superintendente do Sebrae, Júlio Rafael, enfatizou que o seminário “é uma oportunidade para falar das riquezas do nosso Estado e potencializar a troca de informações e mapeamento dessas riquezas”.

O representante do Ministério de Minas e Energia, Carlos Nogueira, parabenizou os organizadores do evento e destacou o Estado pela potencialidade em APLs de Base Mineral. “A Paraíba sempre foi líder em minerais industriais. O setor de minerais do Estado é tem potencial na geração de bens minerais não metálicos. Fomentar esse tipo de atividade nessas microrregiões é gerar emprego e renda, além de fincar o homem no campo”, disse Nogueira.

Potencialidade da PB – A Paraíba possui 17 cidades que compõe o APL de Minério. Há uma estimativa de que oito mil famílias trabalhem diretamente com mineração em toda a Paraíba. Somente a região do Seridó produz mensalmente 15 mil toneladas de caulim ao mês. A produção inclui ainda a participação do estado do Rio Grande do Norte, através das cidades de Equador e Parelhas.

Cerca de 400 pequenos mineradores atuam em seis cooperativas existentes na Paraíba, com o apoio do Governo do Estado. Para 2012, a expectativa é de que esse número cresça em torno de 20%.