Fale Conosco

16 de abril de 2012

Governo do Estado inicia curso de capacitação para enfermeiros que atuam em salas de vacinas



O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, (SES), iniciou, na tarde desta segunda-feira (16), o Curso para Capacitação em Sala de Vacinas. O evento, que se estende até a próxima sexta-feira (20), é destinado para cerca 90 enfermeiros de todas as Gerências Regionais de Saúde de alguns municípios.

O enfermeiro é o profissional responsável por todo o processo de imunização, segundo normas do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa). Para ser coordenador de imunização, obrigatoriamente, esse profissional tem que ter o registro do Conselho de Enfermagem (Corem).

A chefe do Núcleo de Imunização da SES, Missânia Moreira, explicou que essa capacitação tem como principal objetivo qualificar esses profissionais em salas de vacina. ‘Esses enfermeiros vão receber noções sobre os procedimentos básicos de vacinação, a exemplo de calendário das vacinas, conservação dos imunizantes, eventos adversos, cálculos de coberturas vacinais, dentre outros assuntos.

Depois de capacitação, segundo informou Missânia Moreira, esses profissionais se transformarão em agentes multiplicadores e com isso não será mais necessário a Secretaria de Saúde do Estado deslocar um técnico até a Gerência ou até o município para prestar quaisquer informações sobre os imunizantes.

 

De acordo com a Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da SES, Júlia Vaz, a imunização é a mais potente forma de prevenção de algumas doenças e qualificar o processo de trabalho que envolve a imunização vai melhorar a qualidade dos imunobiológicos ofertados, melhorar as técnicas de aplicação, como também melhorar o suporte técnico as secretarias municipais de saúde.  “Como resultados desse trabalho teremos melhores coberturas e menores números de doenças imunopreveníveis”, disse Júlia Vaz.

 

Entre as doenças que podem ser prevenidas pela vacina estão a pólio, a tuberculose, a hepatite, as gastroenterites, a difteria, o tétano, o sarampo, rubéola, febre amarela, gripe sazonal e a gripe A, meningite C e a coqueluche. Muitas dessas doenças para serem prevenidas precisam de mais de uma dose do imunizante.