João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado inicia campanha de vacinação contra gripe para funcionários da saúde

segunda-feira, 5 de maio de 2014 - 15:53 - Fotos:  Ricardo Puppe

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Núcleo de Imunização, iniciou na manhã desta segunda-feira (5) a vacinação contra a gripe para os funcionários. A ação ficará disponível até a próxima sexta-feira (9), das 9h às 17h, e a meta é vacinar, no mínimo, 80% dos servidores da SES.

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, todos os anos a Secretaria abre um posto de vacinação para os funcionários. “A intenção é facilitar a vida daquelas pessoas que aqui trabalham, para que elas tenham a oportunidade de tomar a vacina sem precisar se ausentar do trabalho”, disse. Tudo é pensado de maneira organizada para que não haja empecilhos. “Nós fazemos um cronograma com os enfermeiros daqui do setor para que todos os servidores sejam beneficiados. O ideal é que 100% deles sejam vacinados”, alertou.

Gerson Gadelha é médico pneumologista, tem 63 anos, e já deu o exemplo. Foi um dos primeiros funcionários a chegar ao posto de vacinação na SES. “A vacina é extremamente importante para prevenir a gripe, que é uma doença sazonal que tem um vírus mutante. É preciso renovar essa prevenção e aqui estou eu mais uma vez”, afirmou.

Campanha no Estado – Na Paraíba, foram distribuídas pouco mais de um milhão de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde para este ano (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B). Até então, já foram imunizadas, em todo Estado, 250 mil pessoas, entre elas, 91 mil crianças e 118 mil idosos.

A campanha tem prazo de encerramento na próxima sexta-feira, dia 9, e o Ministério da Saúde ainda não se pronunciou quanto à prorrogação do período. A chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Isiane Queiroga, lembra que quem não se vacinou ainda pode procurar os postos de saúde do seu município.

A meta do Estado é imunizar 80% do público selecionado para a vacinação, o que representa 946.099 pessoas. Em todo país, a cobertura está em 24%.

Saiba mais – A campanha deste ano tem como novidade a ampliação da faixa etária infantil para crianças de seis meses a menores de cinco anos. No ano passado, o público infantil foi de seis meses a menores de dois anos. Também são imunizadas pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.

Reações adversas – Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor no local da injeção, rubor inflamatório e endurecimento do tecido. São manifestações consideradas benignas e, na maioria das vezes, seus sintomas passam em até 48 horas. A vacina é contra-indicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para quem tem alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.

Prevenção – A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Ocorre também por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Em caso de síndrome gripal, deve-se procurar um serviço de saúde o mais rápido possível.

Novidades – Além de ampliar a vacina para crianças de seis meses a menores de cinco anos, este ano a campanha foi estendida também para funcionários do sistema prisional e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Síndrome de Warkany, dentre outras trissomias).

Outra novidade é que a vacinação do grupo com comorbidade (pessoas com doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias) passa a ser realizada em todos os postos de vacinação, deixando de ser feita exclusivamente no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) e subunidades.