Fale Conosco

23 de março de 2016

Governo do Estado faz balanço de ações contra o Aedes aegypti em webconferência com o Ministério da Saúde 



Com o objetivo de fazer um balanço das ações de combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus – o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participou, na manhã desta quarta-feira (23), de webconferência com equipe da Sala de Situação Nacional (Ministério da Saúde – Brasília). Nessa reunião, são repassadas recomendações e direcionamentos adequados às diretrizes nacionais no que diz respeito ao combate ao mosquito e estudo dos agravos causados por ele.

Participaram da reunião representantes da SES (Vigilância Ambiental, Vigilância em Saúde), 1ª Gerência Regional de Saúde, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), além da equipe de apoio do Ministério da Saúde. Por vídeo, participaram ainda representantes do Piauí, Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte.

“Foi mais um momento de avaliação das ações do Governo do Estado para o combate ao mosquito Aedes aegypti. Recebemos orientações sobre o primeiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (Lira) de 2016, que acontecerá em abril. Além disso, estamos próximos do final do segundo ciclo de visitas casa a casa, então alertamos que todos os municípios reforcem as atividades para que possamos atingir um número cada vez maior de imóveis livres da ação do Aedes”, informou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Renata Nóbrega. Ela reforçou o alerta para que os gestores continuem alimentando as planilhas diariamente.

A implantação das Salas Municipais de Coordenação e Controle do Mosquito também entrou em pauta. “Até então, 44 municípios já informaram que têm coordenadores nas Salas de suas sedes. Agora nosso incentivo é para que sejam criados os Comitês Municipais das Ações de Combate ao Aedes com engajamento de todos os segmentos da sociedade civil organizada, dando ênfase na articulação de ações de combate ao vetor”, pontuou Renata.

Também foram discutidas na webconferência as ações da grande Mobilização Nacional contra o Aedes que acontecerá de 4 a 9 de abril. “Será uma semana de enfrentamento do mosquito em todo o Brasil. As atividades vão envolver, inclusive, a Caixa Econômica, o Banco do Brasil e o Ministério da Educação (MEC). Já começamos a organizar as ações e estratégias para o Estado”, disse Renata.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES comentou, ainda, que durante esta semana aconteceu o Manejo Clínico da Dengue, Chikungunya e Zika para profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e coordenadores de Vigilância Epidemiológica e de Atenção Básica) da 1ª, 2ª, 8ª e 12ª Gerências Regionais de Saúde. O objetivo do manejo clínico é alertar esses profissionais sobre como identificar precocemente os pacientes sintomáticos. “Foram abordados temas como sinais, sintomas, diagnóstico e tratamento da dengue, zika e chikungunya. Além do comportamento dessas doenças, foi abordada também a parte de Vigilância Epidemiológica, quando orientamos os coordenadores e os profissionais de saúde sobre como notificar um caso, como encaminhar uma amostra e encerrar esses casos no sistema”, explicou Renata Nóbrega.

Ações – Os ciclos de visitas são planejados, ininterruptamente, de forma que a totalidade dos imóveis seja inspecionada de acordo com o seguinte cronograma:

1º ciclo – Concluído em 29 de fevereiro.

2º ciclo – Conclusão até 31 de março.

3º ciclo – Conclusão até 30 de abril.

4º ciclo – Conclusão até 30 de junho.

Aedes na Mira - O aplicativo “Aedes na Mira” tem o objetivo de agilizar o combate ao mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika, chikungunya). Para isso, foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Companhia de Processamento de Dados da Paraíba (Codata), para celulares das plataformas android e IOS. Do aplicativo as demandas são enviadas, de forma imediata, para a Sala de Situação Estadual, localizada na sede da SES, na capital, de onde são encaminhadas para as Secretarias de Saúde dos municípios para as providências.

Além do aplicativo, as denúncias podem ser feitas pela Central Telefônica (083 3218-7455 ou 0800 083 1341) e via WhatsApp (083 98822-8080). Para facilitar o processo, as pessoas podem encaminhar fotos para que a equipe da SES analise a demanda e as providências sejam tomadas rapidamente.