Fale Conosco

7 de maio de 2012

Governo do Estado entrega 23 toneladas de sementes em CG



O Governo do Estado, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater), iniciou nesta segunda-feira (7) a distribuição de 20 toneladas de sementes de milho e 13 de feijão aos agricultores de Campina Grande que estão cadastrados no programa federal Garantia Safra.

Pela manhã, receberam os agricultores dos sítios Fazenda Velha e Massapê, enquanto à tarde foi a vez dos trabalhadores rurais dos sítios Santana e Tatu de Cima. A entrega prossegue até o próximo dia 24.  Mais de 3,4 mil produtores da agricultura familiar estão cadastrados para receber as sementes.

Cada agricultor cadastrado recebe 8 kg de sementes de milho e 4 kg de sementes de feijão. O secretário da Interiorização e da Ação do Governo, Fábio Maia, e a gerente local da Emater, Ana Lúcia Dias, acompanharam a entrega. “A distribuição das sementes neste período é importante porque os agricultores já estão preparando o terreno para plantar. Estamos agora esperando a providência divina na questão das chuvas para uma boa colheita este ano. O Governo do Estado está fazendo o seu papel e acredita em uma grande safra em 2012”, assinalou Fábio.

Depois da colheita, os trabalhadores rurais terão de entregar a mesma quantidade de sementes para o banco comunitário de sementes. Todavia, na hipótese de seca, esta exigência não valerá. “A Emater vai acompanhar o plantio. No final do período de colheita, emitirá um laudo, decidindo se haverá ou não devolução”, explicou Ana Lúcia Dias. Ela explicou que o objetivo da medida é evitar que os pequenos produtores tenham prejuízos com a estiagem.

Agradecimento – Os cadastrados agradeceram a ação do Governo do Estado em defesa dos trabalhadores rurais e confiam em uma boa colheita com o plantio das sementes. Dentre eles,  Celmo Januário, 43 anos, do Sítio Massapê. “É muito importante a gente ter essa semente garantida até porque ninguém aqui tem condições de comprá-la. Agora, só falta chuva para a gente plantar e ter muita fartura”, ressaltou Januário.

Em Fazenda Velha, Maria Barbosa Araújo, 64 anos, disse que a distribuição das sementes gratuitamente assegura a sobrevivência da família. “A semente é nova e limpinha e, se Deus quiser, ainda vai chover muito para a gente colher muito milho e feijão e ter comida para o ano todo”, frisou Maria Barbosa.