João Pessoa
Feed de Notícias

Governo e BNB discutem agenda positiva para impulsionar investimentos na PB

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 - 18:18 - Fotos:  Francisco França / Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho e o presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Ary Joel Lanzarin, em audiência nesta quinta-feira (13), discutiram a construção de uma agenda positiva para impulsionar os projetos e investimentos na Paraíba.

Durante o encontro, realizado no Palácio da Redenção, os diretores do banco informaram os resultados financeiros da instituição na Paraíba, que atingirão, até o final do ano, a marca de R$ 1 bilhão em contratações de investimentos.

De acordo com o presidente do BNB, até outubro deste ano, foram investidos mais de R$ 891,8 milhões em crédito, o que representa um crescimento de 39% com relação ao mesmo período do ano passado, quando foram investidos R$ 639,9 milhões. Também foi apresentado balanço de outros programas como Pronaf, com R$ 102 milhões até outubro, crédito para a seca no valor de R$ 137 milhões (maio a novembro), Cred Amigo R$ 304,7 milhões no ano e micro e pequenas empresas R$ 120 milhões no ano.

O governador Ricardo Coutinho afirmou que os investimentos são expressivos na base da economia e que interessa ao Estado intensificá-los para abertura de novas empresas, potencialização de projetos de agricultura familiar, irrigação de pequenas comunidades e modernização do Porto de Cabedelo. “Nosso foco é desenvolver a economia macro com a vinda de grandes empresas, mas também desenvolver a base da economia e o desenvolvimento integrado das regiões”, explicou Ricardo.

De acordo com Ary Joel, os projetos desenvolvidos pelo banco estão totalmente aderentes ao programa de governo, o que contribuiu para a superação da marca inédita de R$ 1 bilhão de contratações em 2012. “São investimentos em vários segmentos que contribuem para o crescimento do Estado e dos paraibanos”, completou.

O presidente do Banco do Nordeste adiantou que as áreas que concentraram os maiores investimentos foram os projetos no comércio e serviços, na agricultura e no investimento industrial com três projetos para implantação de empreendimentos no Distrito Industrial de Caaporã. “São projetos que demonstram o desenvolvimento econômico vivenciado pela Paraíba”, explicou Ary Joel

Novas agências- Os dirigentes do BNB também anunciaram que até o final de 2013 serão abertas sete agências na Paraíba. Três delas serão inauguradas na próxima semana nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Santa Rita. Outras estão previstas para Cabedelo, Picuí e Soledade.

Atualmente, o banco possui 14 agências no Estado e chegará a 21. “A economia do Estado está crescendo e a nossa participação também. Temos uma participação de 78% do crédito rural na Paraíba e nada mais natural do que abrirmos novas agendas para aproximar a instituição dos clientes e da população”, afirmou.

O secretário de Desenvolvimento Agrário, Marenilson Batista entregou à presidência do BNB pleitos relacionados à aceleração e alinhamento dos créditos do banco, principalmente no período de seca, com os Arranjos Produtivos Locais (APL) desenvolvidos no Estado como a apicultura, psicultura, caprinocultura, floricultura. “Essa foi uma proposta muito bem recebida pelo banco e nos abre uma perspectiva de que os investimentos em infraestrutura aumentem a produção e melhorem a qualidade dos arranjos produtivos”, comentou.

Marenilson destacou os investimentos no Pronaf, que superaram a marca dos R$ 102 milhões até outubro, representa um crescimento de 79% em relação a 2011. “Isso se deve a um trabalho conjunto durante todo o ano em que o Governo do Estado e a Emater realizaram as jornadas de inclusão produtiva que possibilitou  impulsionar a aplicação dos Pronaf e também do FNE Seca”, observou.

O presidente do Porto de Cabedelo, Wilbur Jacome, apresentou uma lista de projetos de manutenção e organização da infraestrutura portuária,  no valor de R$ 34 milhões. “Recebemos a orientação de encaminhar carta consulta com estudo de viabilidade econômica para a descrição dos projetos de engenharia para aproveitarmos o modelo de crédito de 2,5 % de juros ao ano”, informou.

De acordo com Wilbur, a Paraíba vive um processo de industrialização intenso e isso gera a necessidade do porto se modernizar e melhorar a capacidade logística. Ele citou o caso das termoelétricas que vão gerar a necessidade de tancagem do combustível naval para atender as termoelétricas e aos próprios navios. “O Banco do Nordeste viu uma oportunidade real e ficou interessado na viabilidade disso, porque tem o foco na iniciativa privada”, completou.