Fale Conosco

9 de agosto de 2013

Governo do Estado divulga 10° Boletim Epidemiológico da Dengue



No período de 1º de janeiro a 27 de julho deste ano, foram notificados 10.646 casos suspeitos de dengue na Paraíba, sendo que 3.963 confirmados para Dengue Clássica e 1.491 descartados. Na comparação com o mesmo período do ano de 2012, foi observado um aumento de 16,6% nas notificações. Em contrapartida, o número de óbitos por dengue caiu 20%, com a notificação de oito casos contra 10 registrados em igual período do ano passado.

Além disso, foram notificados um total de 95 casos graves da doença, destes 17 como Febre Hemorrágica da Dengue, quatro casos de Síndrome do Choque da Dengue e 74 como Dengue com Complicações. Os dados constam no 10° Boletim Epidemiológico da Dengue, divulgado ontem pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), segundo o qual o maior número de casos notificados ocorreu nos municípios de João Pessoa (23 casos), Campina Grande (11 casos), Sousa (seis casos), São João do Cariri (três casos) e Santana de Mangueira, Remígio, Itaporanga, Santa Rita e Uiraúna, com dois casos cada um.

De acordo com a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, esse aumento reflete que os profissionais da saúde estão atentos ao agravo e sinalizando a doença por meio das notificações. “Ampliamos em 12% o numero de municípios sinalizando oportunamente a doença para assim melhorarmos as ações necessárias para controle da dengue no Estado. Notificar os casos suspeitos mostra que o município está atento e vigilante, fornecendo informações estratégicas para a organização da assistência, prevenindo, assim, os possíveis óbitos evitáveis”, disse.

Ainda conforme o boletim, além dos oito óbitos por dengue, foram registrados sete óbitos por outras causas e 14 estão em investigação. Esses números são consolidados junto aos municípios e o Sistema Oficial de Notificações (SINAN). “Em relação ao Boletim Epidemiológico anterior, descartamos como causa básica do óbito a dengue em cinco casos que estavam em investigação nos municípios de Mari, Alagoa Grande, João Pessoa, Riachão e Conde. Apenas um óbito que seguia em investigação do município de Santa Rita foi confirmado como a doença. Os 14 demais óbitos seguem em investigação pelos municípios e com apoio da equipe técnica da Vigilância Epidemiológica do Estado”, explicou Talita Tavares.

No mesmo período do ano passado, a Paraíba apresentou 14 óbitos concluídos por outras causas, um em investigação e 10 óbitos para dengue nos municípios de Itabaiana (um óbito), Olho d’água (um óbito), Patos (um óbito) e em João Pessoa (seis óbitos) e Bayeux (um óbito).

Situação Ambiental – O carro fumacê está sendo utilizado em cinco ciclos nos municípios de Campina Grande, Solânea, Santa Terezinha e Itaporanga. “Seguindo os critérios de utilização do carro fumacê, que é nos municípios com alto Índice de Infestação Predial, ocorrência de óbitos e/ou aumento no número de casos notificados no sistema, temos a previsão de iniciarmos os ciclos ainda nesse mês de agosto nos municípios de Prata, Sousa, São Mamede, São João do Cariri e Santana de Mangueira”, completou a gerente de saúde.

A SES, por meio da Área Técnica da Vigilância Ambiental, vem trabalhando junto aos municípios para a consolidação dos dados do 3º Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) dos municípios, que trará um diagnóstico atualizado da situação do agravo e vai auxiliar no trabalho de campo dos agentes de endemias.