João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado capacita profissionais de saúde sobre vigilância do óbito e busca ativa

quinta-feira, 8 de agosto de 2013 - 16:37 - Fotos: 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, está realizando mais uma Oficina de Vigilância de Óbito e Busca Ativa. O evento, iniciado no último dia 6, será encerrado nesta quinta-feira (8), no auditório do Flat Tambaú, em João Pessoa. Profissionais da área de Vigilância Epidemiológica de 40 municípios das 3ª, 4ª e 5ª Regionais de Saúde estão participando do evento.

A supervisora de Ações e Análises Epidemiológicas da Gerência Operacional de Resposta Rápida da Secretaria de Estado da Saúde, Ângela Pontes de Aquino, explicou que os 40 municípios foram escolhidos para participar da oficina porque registraram o maior número de óbitos e nascimentos  no Sistema de Informação de Mortalidade  e  no Sistema Informação de Nascidos Vivos.

Ela explicou que a partir dessa oficina o Governo do Estado pretende implementar ainda mais o serviço de busca ativa de óbitos e nascidos, aumentando a cobertura e com isso melhorar os indicadores epidemiológicos e a qualificação da informação, o que vai ajudar na construção e de políticas públicas.

Ângela Aquino lembrou que essa capacitação já foi realizada para os profissionais de saúde da 8ª, 6ª e 11ª Gerências Regionais de Saúde e que o objetivo do Governo do Estado é atender a todos os 223 município paraibanos. “Estes profissionais estão sendo capacitados para fazer busca ativa sobre óbitos e nascidos vivos no serviços de saúde, além de cartórios, cemitérios e Igrejas”, disse.

De acordo com a Gerente Operacional de Resposta Rápida, Diana Pinto, o objetivo dessa oficina é qualificar e aperfeiçoar o conhecimento de profissionais de saúde para desenvolver a vigilância dos óbitos materno, infantil e fetal e atuarem em conjunto com os comitês de mortalidade, a fim de propor medidas de intervenção. “A investigação do óbito é uma estratégia fundamental para o alcance dos objetivos do Pacto pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal”, destacou.

Ela explicou também que essa  capacitação faz parte das estratégias de qualificação e sensibilização voltadas para os municípios e tem como principal objetivo melhorar os indicadores referentes aos óbitos. Diana Pinto afirmou que o aprimoramento da coleta de dados e as investigações desses óbitos constituem um passo fundamental para o desenvolvimento de ações de combate às causas determinantes desses óbitos, subsidiando a adoção de uma série de medidas que visam diminuir a desigualdade social e melhorar os índices de desenvolvimento humano no Estado.

Josefa  Pontes de Aquino, afirmou que a vigilância da mortalidade materna, infantil e fetal é uma das prioridades do Ministério da Saúde, contribuindo para o cumprimento de compromissos assumidos pelo Governo Federal, que tem como meta a redução da mortalidade infantil e da taxa da mortalidade materna. Ela explicou também que, a partir dessa qualificação, a SES terá mais subsídios para melhorar as ações de vigilância e prevenção sobre as causas dos óbitos.