João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado avalia PNAE com agricultor familiar

terça-feira, 8 de novembro de 2011 - 20:25 - Fotos:  Antonio David/Secom-PB

Reunião do PNAE aconteceu no auditório da Federação dos Trabalhadores na Agricultura . Foto: Antonio David/Secom-PB

Nesta quarta-feira (9), no auditório da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag), o Governo do Estado dá prosseguimento aos seminários de monitoramento da execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O encontro começa às 8h30 e está sendo realizado por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e da Emater Paraíba, com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e de outros parceiros.

O objetivo destes seminários é identificar os avanços em relação à compra do percentual obrigatório de, no mínimo, 30% da alimentação escolar dos agricultores familiares e suas organizações, além de identificar possíveis problemas na execução do programa e apontar encaminhamentos que garantam a sua continuidade.

Mata Norte –Vários eventos semelhantes estão sendo realizados em outras regiões do Estado, a exemplo do que aconteceu na manhã desta terça-feira (8), na cidade de Mamanguape, quando dezenas de agricultores familiares, representantes das prefeituras municipais, das secretarias de Educação dos municípios, nutricionistas, associações de produtores rurais, cooperativas e sindicatos, conselhos de Desenvolvimento Rural e de outros parceiros, discutiram o andamento do PNAE na região da Mata Norte.

O que se pode constatar dessa reunião foi a satisfação por parte dos executores do programa, e, sobretudo, dos agricultores, que têm um mercado garantido para seus produtos. “Depois que os técnicos da Emater me procuraram, passei a integrar a lista de fornecedores do PNAE e tudo mudou muito, porque fiquei livre dos atravessadores que levavam todo o seu lucro”, disse o agricultor Antônio Ambrósio da Silva, do Sítio Curralinho, em Mamanguape, que trabalha com hortaliças e um plantio de menos de um hectare de mamão papaya.