João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado apresenta Plano Estadual para Contingência da Dengue

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 - 15:36 - Fotos: 
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) apresentou na manhã desta sexta-feira o Plano Estadual para Contingência da Dengue 2011. O objetivo geral é a diminuição da morbimortalidade relacionada a possíveis epidemias de dengue na Paraíba. De acordo com informações do boletim epidemiológico da SES, o Estado apresenta para 2011 o cenário de 60 municípios com risco muito alto, 57 com risco alto, 51 com risco moderado e 55 com risco baixo para epidemia de dengue.
 
O Plano segue as orientações do Ministério da Saúde, que este ano elaborou uma nova matriz de identificação para as ocorrências de dengue em todo o Brasil. “Com a portaria 104 do Ministério da Saúde, (MS) os casos graves, os óbitos e os do tipo quatro estão entre as doenças de notificação imediata. Para isso, precisamos qualificar os profissionais quanto à classificação de risco da doença e monitorar a circulação viral para informar ao MS”, explicou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Júlia Vaz.
     
O novo Plano de Contingência também vai contar com um grupo operativo composto por profissionais de vários setores da SES. “Estamos formando um grupo operativo que vai fazer o diferencial na luta contra a propagação da dengue, porque ele é interssetorial e vai ter o olhar de um representante de cada gerência executiva da SES”, acrescentou.   

Números da dengue – Até a terceira semana de janeiro deste ano, a SES notificou parcialmente 104 casos de dengue. Um aumento de 48 casos em relação ao mesmo período do ano passado.

Em 2010, foram notificados 8.241 casos. Desses, foram confirmados 6.160, sendo 6.065 de dengue do tipo clássica, 62 com complicação, 29 do tipo hemorrágica e quatro com a síndrome do choque da dengue. Três pessoas morreram vítima da dengue no ano passado, uma em João Pessoa, uma em Areial e uma em Campina Grande.

As cidades com o maior número da doença em 2010 foram: João Pessoa (1.027), Cabedelo (537), Campina Grande (392), Monteiro (284), Uiraúna (281), Catolé do Rocha (275), São José de Piranhas (202), Brejo dos Santos (175), Cajazeiras (141) e Patos (134).                
   
Objetivos específicos de combate a Dengue do Plano Estadual 2011:

 
- Estimular e apoiar as ações de mobilização social e controle vetorial de forma interssetorial e interinstitucional;
 
- Qualificar profissionais para o atendimento baseado na classificação de risco;
 
- Qualificar / atualizar profissionais de Vigilância Ambiental nas ações de controle vetorial;
 
- Implantar uma sala de situação com o objetivo de monitorar e avaliar de forma contínua o perfil epidemiológico da dengue no Estado;
 
- Definir a rede de laboratório para diagnóstico;
 
- Definir rede hospitalar de referência para atendimento das formas graves da doença;
 
- Estimular e assessorar os municípios na incorporação dos agentes de saúde ambiental nas equipes de Saúde da Família;
 
- Realizar campanha publicitária para educação e sensibilização da população;
 
- Monitorar a circulação viral no Estado;
 
- Assessorar os 16 municípios prioritários (João Pessoa, Guarabira, Campina Grande, Itabaiana, Cuité, Monteiro, Patos, Princesa Isabel, Piancó, Catolé do Rocha, Sousa, Cajazeiras, Bayeux, Cabedelo, Santa Rita e Conde) na estruturação do Plano Municipal de Contingência da Dengue;
 
- Assessorar municípios com risco de vulnerabilidade para a dengue muito alto e alto na construção de um plano de ação para 2011;
 
- Estimular as doações de sangue na hemorrede do Estado;
 
- Instituir um Comitê Estadual para o Enfrentamento da Dengue no Estado da Paraíba através de ato normativo interno;
 
- Realizar ações educativas de prevenção e controle da dengue em parceria com a Secretaria de Educação na rede de ensino até a 5ª série dos municípios com maior incidência de dengue no 1º trimestre do ano;
 
- Prestar assessoria técnica aos municípios;
 
- Monitorar a letalidade da doença;
 
- Ampliar a rede Sentinela para NS1 na Capital;
 

- Fortalecer a capacidade institucional através da aquisição de insumos, equipamentos e medicamentos.