João Pessoa
Feed de Notícias

Estado e parceiros realizam 7ª Festival Mundo de música independente

quarta-feira, 30 de novembro de 2011 - 12:43 - Fotos:  Assessoria

Banda Móveis Coloniais de Acajú

Shows, mostra audiovisual, exposição de artes visuais, encenações teatrais, debates, espetáculos de dança, mesas-redondas e oficinas integram a programação da 7ª edição do Festival Mundo, evento anual de música independente que começa nesta quinta-feira (2) e vai até 15 de dezembro na Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), em João Pessoa.

A banda Móveis Coloniais de Acajú, do Distrito Federal, fará o show principal da noite de abertura do festival. Também na quinta-feira se apresentarão os grupos Zé Cafofinho, de Pernambuco, e Autoramas, do Rio de Janeiro.

Grupo Zé Cafofinho

Entre as novidades deste ano estão uma feira cultural, área reservada a esportes radicais e a Ocupação Digital (ilha hacker). A programação completa está disponível no site do evento (http://www.festivalmundo.com.br). Lá também há informações sobre todas as bandas, artistas, palestrantes e filmes, além de detalhes de todas as atividades do Festival.

A 7ª edição do Festival Mundo é uma realização do Coletivo Mundo e Circuito Fora do Eixo, com co-realização do Governo da Paraíba por meio da Funesc e Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Os Reis da Cocada Preta

O evento conta com o apoio do Fundo Municipal de Cultura (FMC), da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Sebrae, Skol, Anid, Soda, Sedes e Imaginária. Outros apoiadores culturais são Joana Darc, Impresso Studio Gráfico, Tintin/ABD, Antares, Sejer, 3efe, Mix FM/Portal Correio, Handful Network e JR Óptica. O festival é filiado à Associação Brasileira de Festivais Independentes (Abrafin).

Música – Tendo a música como ponto de partida, o Festival Mundo leva ao público shows de artistas locais, nacionais e internacionais, tendo como foco a produção cultural independente.  Entre os dias 2 e 11 de dezembro, o evento contará com a participação de nove bandas paraibanas nos dois palcos principais e quatro projetos musicais locais no Planetário. Outras 13 atrações nacionais são esperadas, vindas de sete Estados e do Distrito Federal.

Autoramas

Na abertura haverá vernissage da exposição de artes, às 19h, na galeria Archidy Picado, e apresentações da Camarones Orquestra Guitarrística (RN) e Os Reis da Cocada Preta (PB), no Teatro de Arena. Já nos dias 10 e 11 se apresentam as paraibanas Brasis, Chico Limeira, Monstro, Dalva Suada, Warcursed, Thyresis, Rotten Flies e Zefirina Bomba.

Do Nordeste, o festival escalou a sergipana Plástico Lunar, as baianas Vivendo do Ócio, Baiana System e Malefactor, além da pernambucana Nuda e a potiguar Planant. De São Paulo, os convidados são a banda Cérebro Eletrônico e o MC Kamau. O evento traz, ainda, Macaco Bong (MT), o pernambucano Zé Cafofinho e a carioca Autoramas.

Mostra audiovisual – O Tintin Cineclube apresenta a terceira edição do Tintin Mostra Mundo, no Espaço Cine Digital. Entre os dias 5 e 9 de dezembro, às 19h30, serão exibidos os filmes da Mostra Itinerante do Cine Esquema Novo – festival sediado no Rio Grande do Sul e considerado um dos mais importantes eventos de cinema independente no Brasil.

MC kamau

Em seguida, haverá debates entre a equipe do Tintin e o público. O festival conta também com a Mostra DF5 nos dias 10 (das 16h às 17h30) e 11 (das 18h30 às 20h) no Espaço Cine Digital.

Artes visuais – A exposição de artes coletiva, que anualmente integra a programação, já se tornou destaque do festival por contemplar artistas locais e de outros Estados levando ao público um retrato do que está sendo produzido atualmente nas artes visuais.

Apresentando a temática “Psicodelia”, a exposição tem curadoria de João Faissal e Sidney Azevedo, responsáveis pela seleção de propostas após inscrições realizadas por e-mail.

Os artistas selecionados para esta edição foram: Luciana Urtiga (CG); Igor Tadeu (JP); Tatiana Rodrigues (JP); Coletivo WC (JP); Grupo DIA (JP); Luana Neiwa e Pedro Brito (JP); Leo Rolim e Leonardo Soares (JP); Cris&Dani + Luyse Costa (JP); Thiago Trapo + Diego Nóbrega (JP); Imarginal (Recife); Guilherme Lyra (RJ); Rafael Martins (Salvador); Alex Oliveira, Rafael Martins e Rodrigo Wanderley (Salvador).

Dalva Suada

O vernissage de abertura será nesta sexta (2), às 19h. A exposição poderá ser vista até 15 de dezembro, das 8h às 18h, horário de funcionamento da Galeria Archidy Picado.

Artes cênicas – Pela primeira vez na programação do Festival Mundo, companhias locais de artes cênicas e dança se apresentarão no evento, nos dias 10 e 11. Dois grupos de dança e um de teatro confirmaram participação: a Paralelo Cia de Dança, o Acena Dança e o Grupo Necco.

Formações – O Festival Mundo abre um espaço para partilhar informações. Entre os dias 3 e 9 de dezembro, serão realizados oficinas, debates, mesas-redondas, palestras e encontros contemplando temas relacionados à música, audiovisual, economia criativa, festivais independentes, mídias sociais e política cultural. O acesso às atividades de formação é gratuito.

As oficinas ficarão por conta de Felipe Spencer, Beto Barreto, Hans Ponto e Bruno Kayapi. Já os debates e mesas-redondas contarão com a presença de Daniela Silva (Transparência Hacker-SP), Uirá Porã (CE), Cláudio Prado (Casa de Cultura Digital- SP), Rodrigo Vieira (Ensol-PB), Chico César (Secult-PB), Léo Br (PCult-DF) e Ivan Ferraro (Rede Cem-CE), Talles Lopes (Abrafin), Marcus Franchi (Sociólogo e Consultor Técnico do Fora do Eixo-DF) e Gilberto Monte (ex-Funceb).

Ilha hacker – Durante os dias de shows (10 e 11), haverá a criação e ocupação de uma ilha hacker, um hackspace. As atividades consistirão em apresentações de conteúdo audiovisual de formação, realização de debates, desenvolvimento de aplicações focadas em transparência pública aplicadas ao âmbito cultural, pequenas travessuras através da internet local que demonstrem aos usuários a fragilidade de seus dados em redes wireless públicas, instalação permanente de sistemas GNU/Linux com diversas distribuições disponíveis e pessoas prontas para dar assistência no processo de migração.

O destaque fica para a presença de cinco convidados da Transparência Hacker / Casa de Cultura Digital, de São Paulo-SP, que estarão participando em tempo integral.

Feira cultural – É o espaço do Festival destinado aos  empreendedores culturais locais. Lojas de discos, moda, quadrinhos, cinema, coletivos culturais e agentes do mercado cultural expostos em stands, nos principais dias do evento, mostram seus produtos, divulgam e aquecem o mercado da produção cultural.

Esportes – O Festival Mundo 2011 incorpora os esportes radicais como legítima manifestação da cultura jovem. O evento vai contar com uma área de 600 m² com obstáculos reservada à prática de esportes radicais como bicicross, skate e patins.

Estarão presentes os esportistas Pedro Victor (campeão paraibano), Geninho (tetracampeão paraibano e professor do Inclusão Radical), Jason Alexander (Sejer), Diego FIorese (Atleta  profissional-SP), Diego Pereira (campeão alagoano), Carlos Eduardo Dudu (professor do Inclusão Radical), Yure Davison (atleta amador), Alecksavio vice (presidente ASKT-PB), Ferbson Brito (ASKT-PB).

Ingressos à venda – Já estão à venda os ingressos para os shows da do festival nos seguintes pontos de venda: Espaço Mundo (Varadouro), Música Urbana (Centro) e Furtacor (Shoppings Sul, Tambiá e Mag). Os ingressos antecipados são vendidos com desconto ao preço de R$ 10 (se adquiridos até a quinta-feira). Quem preferir comprar na hora, pagará R$ 15 mais 1kg de alimento (a doação é opcional).

Para os dias 10 e 11 de dezembro, os ingressos antecipados custam R$ 25 (o pacote para dois dias) se comprado até o dia 9 e R$ 15 (individual para cada dia). Quem preferir comprar na hora vai pagar R$ 35 pelos dois dias ou R$ 20 (individual para cada dia). A coordenação do evento também sugere a doação opcional de 1kg de alimento entregue na bilheteria dos shows.

Programação completa

02/12, sexta-feira

Galeria Archidy Picado

• Artes visuais: Vernissage da exposição de artes coletiva

19h às 20h

Teatro de Arena

20h às 21h – show: Reis da Cocada Preta

21h às 22h – show: Camarones Orquestra Guitarrística

22h às 23h – show: Móveis Coloniais de Acaju

03/12, sábado

Auditório Verde

14h às 18h – formação: Oficina de Mídias Sociais em Produção Cultural – com Hans Ponto

04/12, domingo

Auditório Verde

14h às 18h – formação: Oficina de Mídias Sociais em Produção Cultural – com Hans Ponto

05/12, segunda-feira

Auditório Verde

15h às 18h – formação: Oficina de Educação Sonora com Bruno Kayapy (Macago Bong)

Sala Espaço Cine Digital

14h às 18h -         formação: Oficina de VJ – Com Felipe Spencer

A partir das 19h

- cinema: Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo, de Rodrigo John [7’, 2011, RS] – Ele é um cachorro. Sua ex, uma cadela. Sua vida, osso duro de roer.

- cinema: My Way, de Camilo Cavalcante [7’, 2010, PE] – A alegoria da melancolia.

19h15

cinema: Chantal Akerman, de Cá, de Gustavo Beck e Leonardo Luiz Ferreira [62’, 2010, RJ] Um vídeo de entrevista.

06/12, terça-feira

Auditório Verde

09h às 18h – formação: Oficina de Educação Sonora com Bruno Kayapy (Macago Bong)

Sala Espaço Cine Digital –

A partir das 19:30

- cinema: As Corujas, de Fred Benevides [20’, 2009, CE] Em qualquer parte, na noite, estarão as corujas. Transcriado do conto homônimo de Moreira Campos.

- cinema: 1976, de Carlosmagno Rodrigues e Alonso Pafyeze [6’, 2010,MG] Três seres viventes são mantidos no fundo de uma piscina.

- cinema: Álbum de Família, de Wallace Nogueira [62’, 2010, BA] O documentário conta a história da viagem de um filho, o diretor do filme, em busca das lembranças de sua família.

07/12, quarta-feira

Auditório 1

14h às 18h – formação: Encontro Paraíba Fora do Eixo – com Coletivo Mundo (JP), Natora Coletivo (CG) , Coletivo Mugs (Guarabira), Coletivo Estação (Souza), Coletivo Cultucar (Cajazeiras)

Auditório Verde

15h às 18h – formação: Oficina de Educação Sonora com Bruno Kayapy (Macago Bong)

Sala Espaço Cine Digital

A partir das 19h30

- cinema: Mens Sana in Corpore Sano, de Juliano Dornelles [21’, 2011, PE] Garra, disciplina, tenacidade, força física e obediência.

- cinema: Luzeiro Volante, de Tavinho Teixeira [65’, 2011, PB] Deixai o mais distraído dos homens mergulhar em seus sonhos mais profundos.

08/12, quinta-feira

Auditório 1

14h às 16h -         formação: Debate: O papel dos festivais no mercado da música – com Talles Lopes (Abrafin) e Ivan Ferraro (Feira da Música de Fortaleza), mediadora: Carol Morena (Festival Mundo)

Auditório 2

16h às 18h – formação: Cultura, política e futuro – com Claudio Prado (Casa da Cultura Digital-SP), Chico César (Secult-PB), Léo Br (PCult-DF) e Ivan Ferraro (Rede Cem-CE)

Sala Espaço Cine Digital

Às 19h30

- cinema: O Sarcófago, de Daniel Lisboa [20’, 2010, BA] Um homem e sua peleja contra o inevitável processo de corrosão da carne e a tentativa de dominá-lo, retardá-lo, ignorá-lo.

09/12, sexta-feira

Auditório 1

14h às 16h – formação: Ativismo, tecnologia e cultura – Com Daniela Silva (Transparência Hacker-SP), Uirá Porã (CE), Claudio Prado (Casa de Cultura Digital- SP) e Rodrigo Vieira (Ensol-PB)

Auditório 2

16h às 18h – formação: Territórios Criativos – Com Marcus Franchi (Sociólogo e Consultor Técnico do Fora do Eixo-DF) e Gilberto Monte (musico e gestor cultural).

Auditório Verde

14h às 18h -         formação: Oficina de Guitarra baiana com Beto Barreto (Baiana System)

Sala Cine Espaço Digital

Às 19h30

- cinema: Raimundo dos Queijos, de Victor Furtado [16’, 2011, CE] Um oásis de gente nesse lugar revela outro lado da vida na cidade.

- cinema: Permanências, de Ricardo Alves Jr. [34’, 2010, MG] Do lado de dentro o ar é mais denso.

- cinema: Baptista Virou Máquina, de Carlos Dowling [42’, 2010, PB] Futuro pós-industrial, a cidade deserta, BAPTISTA trabalha solitário incessantemente numa oficina de soldas.

10/12, sábado

Planetário

A partir das 16h – show: Monica Cury, Lucyane Alves, Edd Evangelista, Vinícius de Lucena e Valério Fiel tocam “Matinais” / show: Glue Trip

Praça do Povo

A partir das 17h – artes cênicas: Grupo NECCO/UFPB Apresenta Clow-Bar

Shows: Brasis (PB), Chico Limeira (PB), Monstro (PB), Nuda (PE), Planant (RN), Dalva Suada (PB), Plástico Lunar (SE), Cérebro Eletrônico (SP), Zé Cafofinho (PE),          Macaco Bong (MT)

Sala Cine Espaço Digital –

A partir das 16h

- cinema: O Assassino do Bem, de Hiro Ishikawa e Thiago Pedroso [14’, 2010, SP] Se ele te matou, é porque você é chato.

- cinema: Cinema Platônico, de Barbara Kahane [15’, 2004, RJ] São Sebastião do Rio de Janeiro, São Sebastião do Rio de Teresa! Tereza espera e insiste, espera e insiste…

- cinema: DeepWater, de Clara Mancuso e Guilherme Garcia [8’, 2010, SP] A história de uma mulher tentando superar a si própria em duas dimensões paralelas.

- cinema: Homem Cone, de Felipe Garcia [7’ 2010, SP] Um dia de cone.

- cinema: Cercado, de Felipe Carreli [14’ 2009, SP] Economia, desenvolvimento, avanço das fronteiras agrícolas. Um bioma, o cerrado, cercado.

- cinema: Sorria, Você Está Sendo Filmado, de Eduardo Santos [3’, 2005, MG] Uma sacola de frutas. Uma maleta. Um dia comum numa cidade grande. Mas cuidado! Você pode estar sendo filmado.

- cinema: 257 m², de Marco Rudolf e Thaís Dahas [20’, 2007, CE] O espaço das não-palavras que habitam um outro tempo, um outro ser.

- cinema: Tijolo, de Frederico Cardoso [10’, 2004, RJ] Quando criança, Zezé queria ser astronauta.

11/12, domingo

Planetário

A partir das 19h – show: O Melhor Amigo do Homem / show: Monotone

Praça do Povo

A partir das 16h – Shows: Warcursed (PB), Thyresis (PB), Rotten Flies (PB), Zefirina Bomba (PB), Malefactor (BA), Vivendo do Ócio (BA), Autoramas (RJ), Baiana System (BA), Kamau (SP)

Artes Cênicas: A Cena Dança apresenta “Ponto de Vista” /  Paralelo Cia de Dança apresenta o “Experimento Pina”

Sala Cine Espaço Digital –

A partir das 19h

- cinema: À la Carte, de Rafael Frazão [15’ 2007, SP] Um mergulho nas epifanias de um homem à beira da mudança.

- cinema: Verão, de Hiro Ishigawa e Thiago Pedroso [9’, 2010, SP] Um dia de sol, um dia de chuva.

- cinema: Janela do Madeira, de Felipe Carreli [13’, 2009, AM] Algumas pessoas olham a vida passar. Outras passam pela vida sem ver. O cotidiano de Nova Olinda do Norte.

- cinema: As Cores da Cana, de Leonardo de Moraes [6’, 2008, SP] Um executivo termina seu árduo dia de trabalho e relaxa num boteco nas proximidades. Ele só não sabe o que vai encontrar lá…

- cinema: Sardinhas em Lata, de Keila Serruya [4’, 2010, AM] O povo de Manaus anda imprensado, apertado e só vive atrasado quando utiliza o transporte público.

- cinema: Essa Desceu Fácil, de Verônica Veridiano [6’, 2004, RJ] Quando cai mal não tem jeito, desce fácil.

- cinema: A Festa de São Benedito, de Carlos Magalhães [8’, 2010, SP] A força e a fé da Cultura do Congado.

- cinema: O Cheiro, de Gabriel Ruiz [9’, 2009, SP] Um plano real: cozinha, preparando carne para o seu almoço. Um plano imaginário: se passa em um bar, um restaurante e um quarto.

- cinema: Brô MC’s, de direção coletiva [9’, 2010, MS] Documentário com rappers indígenas realizado nas aldeias Jaguaripu e Bororô, em Dourados/MS.

- cinema: Histórias de Concreto, de Célia Harumi Seki [13’, 2010, SP] Cidade grande, barulho, fragmentação. Um homem acorda e se depara com os motivos de sua doença, sua descrença nas pessoas e em si mesmo.