João Pessoa
Feed de Notícias

Governo do Estado alerta população sobre as doenças cardiovasculares

sexta-feira, 27 de setembro de 2013 - 18:44 - Fotos:  Ricardo Puppe / SES

O aposentado Francisco Nóbrega, 73 anos, que mora no conjunto Jardim Luna, na Capital, foi uma das primeiras pessoas a usufruir dos serviços oferecidos pelo Governo do Estado e a Sociedade Paraibana de Cardiologia para lembrar o Dia Mundial do Coração, nesta sexta-feira (27), no Shopping Tambiá. Ele verificou a glicemia e a pressão arterial e percebeu alterações e por isso foi orientado a procurar um médico para fazer exames mais detalhados.

Eu sempre faço esse acompanhamento e aproveitei o momento para fazer aqui”, disse o aposentado. Além do teste de glicemia e verificação da pressão arterial, a população também recebeu material informativo sobre as doenças cardiovasculares e seus fatores de risco. De acordo com dados da Gerência Operacional de Resposta Rápida da SES, nos últimos cinco anos as doenças cardiovasculares foram responsáveis por 38.027 óbitos na Paraíba.

Quem também teve acesso aos serviços foi a doméstica Maria de Fátima Rocha, que mora no conjunto Cidade Verde, no Bairro das Indústrias. Ela verificou a pressão arterial e constatou que tudo estava em ordem. Antônio Cabral de Lima, auxiliar de serviços gerais e que trabalha no Shopping Tambiá, também aproveitou a oportunidade para verificar a pressão arterial e a glicemia. “Graças a Deus está tudo em ordem e não esperava encontrar esses serviços tão perto de mim”, afirmou.

De acordo com o cardiologista Fábio Almeida, que é médico da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e diretor financeiro da Sociedade Paraibana de Cardiologia, as doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes por AVC e infarto no Brasil, enquanto que nos EUA e na Europa essas doenças são a causa principal dos óbitos por infarto, seguido do AVC. A hipertensão arterial, um dos fatores de risco das doenças cardiovasculares, responde por 80% dos óbitos por AVC e 60% por infarto. Ainda segundo o cardiologista, cerca de 30% da população paraibana tem problema de pressão arterial.

Outros fatores de riscos para as doenças cardiovasculares apontados pelo cardiologista são o diabetes, sedentarismo, o colesterol, o tabagismo e a obesidade que também acometem a população paraibana. Nesse contexto, Fábio Almeida chama a atenção para obesidade infantil que tem crescido muito no Brasil devido falta de exercícios físicos que deveriam ser oferecidos pelas escolas somado a má alimentação. “Hoje é comum diagnosticar crianças sofrendo de pressão alta, diabetes e obesidade e o Brasil está deixando de ser um país de subnutridos para se tornar um pais de obesos”, lamentou o médico.

A chefe do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da SES, Gerlane Carvalho, explicou que na Paraíba, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, tem realizado ações e implantado serviços para orientação e prevenção dos fatores de risco das doenças cardiovasculares, a exemplo do tabagismo, obesidade, hipertensão arterial, sedentarismo e diabetes. O atendimento ao paciente é feito nas unidades de saúde da família pelos profissionais que constantemente são capacitados e atualizados sobre as doenças, suas causas e prevenção.