João Pessoa
Feed de Notícias

Governo divulga PIB dos municípios paraibanos

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011 - 21:10 - Fotos:  Antonio David/Secom-PB

O Produto Interno Bruto (PIB) 2009 dos 223 municípios paraibanos foi divulgado na manhã desta quarta-feira (14), pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em coletiva à imprensa na sede do Ideme, em João Pessoa. Os cinco maiores PIB continuaram com João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Santa Rita e Patos. Já o maior PIB per capita permanece com Cabedelo desde 2003.

Pedras de Fogo, Curral de Cima, Juripiranga, Soledade e Cuité de Mamanguape apresentaram as cinco maiores variações positivas do PIB entre 2008 e 2009. Enquanto que Matinhas, Casserengue, Boa Vista, Santa Inês e Algodão de Jandaíra registraram as cinco maiores variações negativas, em ordem crescente. Os dados foram apresentados pelo secretário do Planejamento Gustavo Nogueira, o superintendente do Ideme, Mauro Nunes, o economista do IBGE, Jorge Souza Alves, e o economista do Ideme Geraldo Leite.

O PIB dos municípios é calculado sob metodologia uniforme em todo o país. É um importante indicador, que serve tanto como ferramenta para o planejamento de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento municipal quanto para estudos e análises por parte de pesquisadores e/ou órgãos da sociedade civil organizada.

Economia concentrada – A distribuição espacial do PIB da Paraíba segundo, cada Região Geoadministrativa, demonstra uma forte concentração da economia estadual em três pontos: João Pessoa, Campina Grande e Guarabira – que, conjuntamente, representaram 75% do PIB estadual, em 2009. Da mesma forma, o município sede de cada uma dessas regiões foi o centro dinâmico da economia local.

De acordo com o secretário do Planejamento e Gestão, Gustavo Nogueira, os dados precisam ser avaliados com atenção, para que se implementem políticas públicas que desenvolvam o Estado de maneira mais equalizada. Ele destacou que, seguindo recomendações do governador Ricardo Coutinho, no sentido de descentralizar e interiorizar o crescimento econômico do Estado, em 2011, o programa Empreender PB já liberou mais de R$ 7 milhões em financiamentos (e tem mais R$ 20 milhões previstos para 2012) e o Projeto Cooperar investiu R$ 20 milhões em Arranjos Produtivos Locais (APLs) – os dois programas são duas fortes ações focadas no pequeno e médio empreendedor.

Por meio da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), o Governo tem atraído investimentos de grandes grupos empresariais para o Estado. “Com políticas públicas voltadas para a distribuição de investimentos em todo o Estado, temos a expectativa de, em dois ou três anos, ver a reversão dessa concentração do PIB nas regiões de João Pessoa, Campina Grande e Guarabira”, declarou.

João Pessoa – Em 2009, João Pessoa continuou sendo o centro dinâmico da economia paraibana, tendo um incremento de 12,8% no valor de seu PIB (passou de R$ 7,658 bilhões, em 2008, para R$ 8,638 bilhões, em 2009), em decorrência do crescimento no Valor Adicionado e nos tributos relacionados ao processo produtivo. Isso contribuiu para que sua participação no PIB estadual passasse de 29,80%, em 2008, para 30,12%, em 2009.

As atividades econômicas que tiveram maior relevância para o crescimento nominal do PIB estão no setor secundário, mais especificamente, nos ramos de alimentos, bebidas, têxtil e calçados da indústria de transformação. O setor de serviços continuou a ter o maior peso da economia da Capital paraibana, em 2009.

Campina Grande – É o segundo maior centro econômico do Estado, caracterizando-se como entreposto distribuidor para diversas cidades da Paraíba e do Nordeste. As atividades econômicas mais importantes no município são o comércio, a indústria de transformação, a administração pública e a educação de nível superior, tanto pública (o município sedia duas universidades, sendo uma estadual e outra federal) quanto privada. Possui também dois importantes polos tecnológicos, nas áreas de couro e calçados e de tecnologia da informação.

O valor do PIB municipal passou de R$ 3,458 bilhões, em 2008, para R$ 3,894 bilhões, em 2009, um crescimento nominal de 12,6%. Com isso, a participação de Campina Grande no PIB paraibano ficou relativamente estável no período (passou de 13,5%, em 2008, para 13,6%, em 2009).      A atividade que mais contribuiu para que a economia campinense registrasse um resultado positivo foi o comércio, com crescimento de 1,1%  – a participação no valor do comércio estadual passou de 12,6%, em 2008, para 13,4%, em 2009.

Cabedelo – Terceira maior economia municipal, cuja dinâmica assenta-se principalmente no comércio, nas atividades imobiliárias e na indústria de transformação. Ressalte-se a existência de ramos da indústria que estão ligados às importações paraibanas, destinadas ao beneficiamento e à distribuição em seu território e no Nordeste, como as unidades de combustíveis, petróleo e cooke, bem como de trigo. Também são consideradas as atividades de alojamento e alimentação, ligadas à cadeia produtiva do turismo, e as relativas aos serviços de movimentação de cargas do Porto, o maior existente no Estado. A pesquisa constatou crescimento de 6,8% no PIB desse município, que passou de R$ 2,185 bilhões, em 2008, para R$ 2,333 bilhões, em 2009.

Santa Rita – Quarta maior economia municipal do Estado, a cidade possui base produtiva na agropecuária e na indústria. Na agropecuária, destaca-se a produção de abacaxi, cana-de-açúcar, mamão e mandioca. A bovinocultura também é expressiva nesse município. No setor secundário, destaca-se a indústria de transformação, mais especificamente os ramos de calçados, fabricação de velas, estofados, minerais não-metálicos (cerâmicas e tijolos), pré-moldados, bem como a indústria sucroalcooleira (açúcar, rapadura e álcool). Este município tem a maior incidência de fontes de água mineral do Estado e, por isso mesmo, possui várias indústrias nesse segmento. O valor do PIB de Santa Rita passou de R$ 0,979 bilhão, em 2008, para R$ 1,139 bilhões, em 2009, um incremento nominal de 16,3%, que fez com que sua participação no PIB estadual passasse de 3,8% para 4%.

Patos – Quinta economia municipal do Estado da Paraíba, com dinâmica econômica no comércio, na indústria e no setor primário. No comércio, é um importante pólo distribuidor de bens e serviços para ouost municípios do Sertão paraibano e dos Estados de Pernambuco e Rio grande do Norte. Na indústria de transformação, destacam-se os ramos de calçados, óleos vegetais e beneficiamento de cereais. No setor primário, destacam-se a pecuária (criação de bovinos e caprinos) e a agricultura (produção de milho, feijão e algodão), em anos de bom inverno. O valor do PIB de Patos passou de R$ 543,033 milhões, em 2008, para R$ 615,181 milhões, em 2009, um incremento nominal de 13,3%.

Cinco menores PIB – No grupo dos municípios com os menores valores do PIB em 2009, temos Quixabá (R$ 8.295), Areia de Baraúnas (R$ 8.849), São José do Brejo do Cruz (R$ 8.949), Amparo (R$ 9.380) e Coxixola (R$ 9.451).  A variação nominal de 11,8% no valor do PIB paraibano entre 2008 e 2009 (passou de R$ 25,697 bilhões para R$ 28,719), ocorreu de forma diferenciada entre os seus municípios, havendo casos de elevações positivas bem superiores à média estadual e, no extremo oposto, variações negativas de valores.

Variações – Os estudos do IBGE e do Ideme também mostram as cinco maiores variações positivas e negativas nos valores do PIB dos municípios da Paraíba, entre 2008 e 2009. Encabeçando o grupo das maiores variações positivas, temos o município de Pedras de Fogo, cujo PIB cresceu 31,8%. Curral de Cima foi o município que teve a segunda maior variação nominal positiva (31%), seguido de Juripiranga (27,4%), Soledade (23,6%) e Cuité de Mamanguape (22,8%).

No grupo dos municípios com as maiores variações negativas, temos, em ordem crescente: Matinhas, Casserengue, Boa Vista, Santa Inês e Algodão de Jandaíra.

Maior PIB per capita – O maior PIB per capita está em Cabedelo, seguido por Caaporã, Conde, Alhandra e João Pessoa. O principal destaque ficou por conta de Cabedelo, que detém a primeira posição estadual desde 2003, tendo um expressivo crescimento a partir de 2005, de forma a consolidar essa posição a partir daí. Entre 2008 e 2009, o valor do PIB per capita desse município passou de R$ 42.775 para R$ 44.979, um crescimento nominal de 5,2%.

Menor PIB per capita – No grupo dos cinco municípios que registraram os menores valores do PIB per capita, temos: Vieirópolis (R$ 3.412), Cacimbas (R$ 3.381), Imaculada (R$ 3.317), Manaíra (R$ 3.307) e Seridó (R$ 3.233).

PIB por setor econômico – Em 2009, os maiores valores de PIB encontrados no setor primário da economia paraibana (agropecuária, caça, pesca etc.), foram encontrados em Pedras de Fogo, Santa Rita, Itapororoca, Alagoa Nova e Araçagi. Por outro lado, as cidades de João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Cabedelo e Caaporã representaram os cinco maiores PIB em relação ao setor secundário, especificamente na indústria de transformação. No setor de serviços, os cinco maiores valores do PIB, em 2009, foram localizados em João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Santa Rita e Patos.