Fale Conosco

19 de março de 2013

Governo distribui palma resistente à cochonilha do carmim em Aparecida



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca(Sedap), dá continuidade ao Programa Palma Resistente, nesta quarta-feira(20), na cidade de Aparecida, distribuindo 120 mil raquetes de palma forrageira resistente à praga da cochonilha do carmim. A atividade será realizada a partir das 10h, no Ginásio de Esportes João Queiroga de Souza.

Além de  Aparecida, serão beneficiados com a ação os agricultores familiares dos municípios de Uiraúna, Nazarezinho, Santa Cruz, São José da Lagoa Tapada, Sousa, Poço Dantas, Santarém, Lastro, São Francisco, Marizópolis e Vieirópolis.

O programa Palma Resistente completou um mês de atividades na sexta feira(15), e já distribuiu mais de um milhão de raquetes de palma resistente em 72 municípios do Estado. “Esse programa está cruzando o estado, dando esperança ao agricultor familiar paraibano. Em pouco mais de um mês entregamos um grande volume de palma,  garantindo uma cultura resistente na Paraíba, e ajudando o produtor rural a sobreviver a estiagem prolongada”, comentou o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Marenilson Batista.

Neste sábado (23), o programa distribuirá 35 mil raquetes de palma resistente no município de Soledade, beneficiando também os agricultores de Cubati, Nova Palmeira, Pedra Lavrada, São Vicente do Seridó, Santo André e Parari. A ação será conjunta com as atividades da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, e terá como título “Palma Resistente, Mulheres Persistentes”.

PALMA RESISTENTE – O Programa Palma Resistente distribuirá, em sua primeira etapa, 4,5 milhões de raquetes de palma resistente em todo o Estado, auxiliando o agricultor familiar a sobreviver neste período de estiagem prolongada. A segunda etapa do programa, prevista para o segundo semestre, entregará 10 mil raquetes por agricultor, junto com kits de irrigação e insumos, com o objetivo de criar 83 pontos de multiplicação no Estado. Em um ano, os próprios agricultores gerarão 13 milhões de raquetes resistentes.