João Pessoa
Feed de Notícias

Governo demonstra técnica de construção de barragens subterrâneas a alunos de escolas públicas

segunda-feira, 9 de maio de 2016 - 11:03 - Fotos:  Secom-PB

Os alunos do 6° ano da escola estadual da Comunidade Aroeira, Zona Rural do município de São João do Tigre, participaram de uma aula de campo com técnicos da Unidade Operativa da Emater em São João do Tigre, quando foram abordadas as primeiras aprendizagens sobre a técnica de construção de barragens subterrâneas.

Várias barragens subterrâneas estão sendo construídas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido (Seafds), através do Plano Emergencial de Enfrentamento à Estiagem (Programa Viva Água). O trabalho é desenvolvido em parceria com a Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa (GU), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, e prefeituras municipais.

Com o intuito de ampliar o conhecimento junto aos jovens sobre essa tecnologia, o Governo do Estado vem levando alunos de escolas públicas às áreas de construção das barragens para que conheçam as práticas que os ajudarão na convivência com as longas estiagens, criando condições de armazenamento de água e produção agrícola.

Para o secretário Lenildo Morais, a inciativa é muito louvável, pois leva para esses jovens paraibanos os conhecimentos dessa tecnologia inspirada nas ideias do líder indiano Mahatma Gandhi, que popularizou a fiação manual da charkha, uma roca de fiar giratória, como uma solução para diminuir a miséria.

“O objetivo de uma tecnologia social é produzir um novo patamar de desenvolvimento, que permita o acesso e a produção do conhecimento por toda a população, unindo os saberes acadêmico e popular na busca de soluções sociais inovadoras. É isso que está acontecendo em diversas cidades paraibanas, os técnicos da Seafds e os agricultores experimentadores dialogando e construindo diversas barragens subterrâneas”, afirmou Lenildo.

A construção de barragem subterrânea tem sido uma saída estratégica para convivência com a seca, porque cria condições de armazenamento de água que poderá ser usada para o consumo humano, animal, e para execução de pequenos projetos de irrigação, garantindo a produção de alimentos para as famílias agricultoras e os rebanhos.