João Pessoa
Feed de Notícias

Governo da Paraíba entrega certificados a alunos reeducandos em Campina Grande

terça-feira, 14 de janeiro de 2014 - 16:15 - Fotos: 

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) entregaram na tarde dessa segunda-feira (13) os certificados de conclusão de curso a 16 apenados do Presídio Regional de Campina Grande Raymundo Asfora (Serrotão). Os reeducandos tiveram 180 horas aulas de serigrafia, dentro do próprio presídio, como parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Realizado em uma parceria entre o Governo da Paraíba e o Governo Federal o Pronatec realizou no presídio aulas entre os dias 21 de outubro e 23 de dezembro. O conteúdo repassado aos reeducandos foi sobre produção de estampas em camisas, cadernos e outros materiais.

De acordo com o secretário da Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, trata-se de mais uma ação de ressocialização promovida pela Seap em parceria com outros órgãos. “O Senai é um grande parceiro nosso e tem contribuído muito com a capacitação de apenados na Paraíba. O mesmo curso que é oferecido aos jovens na sociedade aqui fora também é dado aos reeducandos, com a mesma qualidade de ensino já reconhecida deste órgão. A Paraíba segue abrindo oportunidades de qualidade às pessoas que cumprem pena no estado”, destacou o secretário.

O supervisor da área de serigrafia e artes plásticas do Senai, professor Reginaldo Fernandes, participou da solenidade de entrega dos certificados e destacou que o curso abre oportunidades no mercado de trabalho. “Essa área gráfica é um setor de grande importância e pode ser trabalhada de forma artesanal. As pessoas que aprendem esse ofício têm chances se tonarem pequenos empresários”, comentou.

Durante o aprendizado, os alunos confeccionaram sacolas, fizeram impressões em camisas e produziram agendas. O núcleo de ressocialização da Seap está analisando a possibilidade de implantar uma pequena fábrica de sacolas na penitenciária, para que a produção se torne uma atividade permanente segundo o coordenador de ressocialização da Seap, Marconi Amorim. “Esta iniciativa possibilitará que o aprendizado seja compartilhado entre todos os reeducandos da penitenciária”, frisou.