João Pessoa
Feed de Notícias

Governo da Paraíba avalia ações contra Aedes aegypti em webconferência com o Ministério da Saúde

quinta-feira, 14 de abril de 2016 - 17:35 - Fotos: 

Com o objetivo de fazer um balanço das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus – o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participou, na manhã desta quinta-feira (14), de webconferência com a equipe da Sala de Situação Nacional (Ministério da Saúde – Brasília). Na reunião, que aconteceu no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde na Paraíba, foram repassadas recomendações e direcionamentos adequados às diretrizes nacionais no que diz respeito ao combate ao mosquito e estudo dos agravos causados por ele.

Participaram da reunião representantes da SES (Vigilância em Saúde e Saúde do Homem e Pessoa com Deficiência), 1ª Gerência Regional de Saúde, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Defesa Civil Estadual, além do Ministério da Saúde em âmbito estadual. Por vídeo, participaram ainda representantes de Pernambuco, Bahia, Goiás, Tocantins e Mato Grosso.

Segundo o gerente de Vigilância Ambiental da SES, Geraldo Menezes, as webconferências são momentos de avaliação das ações do Governo do Estado, além de proporcionar uma aproximação com representantes de vários estados do Brasil. “Estas reuniões semanais são de extrema importância, facilitando a troca de experiências entre os Estados, além do estabelecimento de metas a serem cumpridas e estratégias de combate ao mosquito Aedes aegypti”, comentou.

Durante o encontro desta quinta-feira (14), foram apresentadas as ações em parceria com a Superintendência do Patrimônio da União na Paraíba (SPU). De acordo com Geraldo Menezes, a partir desta integração entre a SES e o SPU, foram visitados imóveis fechados em todo o Estado. “Encontramos focos do mosquito em vários deles e todos foram devidamente tratados. Nosso próximo objetivo é ter acesso aos imóveis pertencentes ao Patrimônio da União e que estão sob litígio, para que os responsáveis por estes imóveis participem o quanto antes das nossas ações de enfrentamento ao Aedes”, informou.

Entraram em pauta, também, as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016. “João Pessoa e Campina Grande estão entre os 329 municípios por onde passará a tocha olímpica. Sendo assim, será intenso o fluxo de pessoas no Estado e estamos alinhando ações de planejamento de saúde, especialmente no que se refere ao cuidado com o tratamento da água – evitando, assim, possíveis doenças e, consequentemente, internações e até mortes”, destacou Geraldo.

Ações – Os ciclos de visitas são planejados, ininterruptamente, de forma que a totalidade dos imóveis seja inspecionada de acordo com o seguinte cronograma:

1º ciclo – Concluído em 29 de fevereiro.

2º ciclo – Concluído em 31 de março.

3º ciclo – Conclusão até 30 de abril.

4º ciclo – Conclusão até 30 de junho.

Aedes na Mira – A Sala de Situação Estadual, da Secretaria da Saúde registrou até o momento 1096 denúncias da população de 52 municípios paraibanos sobre possíveis focos do mosquito Aedes aegypti. As denúncias chegam à Sala pelo Aedes na Mira, aplicativo desenvolvido por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Companhia de Processamento de Dados da Paraíba (Codata), para celulares e outros dispositivos móveis; pela central de atendimento e redes sociais.

A Sala funciona no Espaço Cultural, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, com a presença de representantes da Gerência de Vigilância Ambiental, da SES; Defesa Civil; Polícia Militar; Exército Brasileiro e Corpo de Bombeiros. De acordo com levantamento da Sala de Situação, das 1096 denúncias, 359 foram referentes a lixo; 228 de depósitos ao nível do solo (copo, tampa, sacola plástica, bacia, tambor, balde, etc); 179 de caixa d’água elevada; 142 de depósito natural (plantas, folhas, troncos); 105 relacionadas a pneus e 83 referentes a depósito doméstico.

Além do Aedes na Mira, as denúncias podem ser feitas pela Central Telefônica (083 3218-7455 ou 0800 083 1341) e via WhatsApp (083 98822-8080). Para facilitar o processo, as pessoas podem encaminhar fotos para que a equipe da SES analise a demanda e as providências sejam tomadas rapidamente.