João Pessoa
Feed de Notícias

Governo cria 323 leitos hospitalares em 15 meses

segunda-feira, 2 de abril de 2012 - 17:15 - Fotos: 

Foto: José Marques/Secom-PB

O Governo do Estado criou, em apenas 15 meses de gestão, um total de 323 leitos hospitalares em unidades de saúde paraibanas que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Até dezembro passado, a marca era de 311. Na última quinta-feira (29), o total foi ampliado, com a inauguração de 12 leitos específicos para atendimentos pediátricos no Hospital Regional de Guarabira. Este ano, o Governo deve criar outros 450 leitos.

Os números foram apresentados pelo governador Ricardo Coutinho, no início da tarde desta segunda-feira (2), durante o programa “Fala Governador”, transmitido pela Rádio Tabajara. De acordo com Ricardo, o hospital guarabirense, há poucos meses, apresentava situação de precariedade em alguns setores, como a pediatria. “Todo mundo ia ao hospital, mas os médicos, que não eram pediatras, não podiam oferecer atendimento adequado na área. Agora, com o serviço especializado, a realidade será diferente”, disse.

Ainda no Hospital Regional de Guarabira, já haviam sido inaugurados 35 leitos para atendimento clínico no final do ano passado. Com a ala pediátrica da unidade, as crianças de Guarabira e de outros municípios da região do Brejo paraibano não precisarão mais se deslocar para Campina Grande ou João Pessoa, em busca de atendimento.

Além da unidade guarabirense, outros cinco municípios paraibanos foram contemplados com novos leitos no ano passado. Em João Pessoa, o Governo do Estado criou 100 leitos em hospitais de retaguarda, que dão suporte ao Trauma da Capital. Já o hospital de Trauma de Campina Grande, que iniciou suas atividades com 66 leitos, expande sua capacidade com mais 33 de retaguarda, instalados no Hospital Dom Pedro I. Os demais estão distribuídos pelo Hospital Alice de Almeida, em Sumé (com 37 leitos); Hospital Materno Infantil, em Sousa (30); e o Hospital Regional de Cajazeiras (13).

Já para este ano, incluindo o que já foi instalado em Guarabira, 450 leitos devem ser criados pelo Governo do Estado, entre o Hospital Arlinda Marques, em João Pessoa (29 leitos); Hospital Regional de Picuí (sete); Maternidade Peregrino Filho, em Patos (21); Hospital Regional de Patos (40); Hospital de Taperoá (79); Hospital Distrital de Pombal (28); Hospital Regional de Cajazeiras (cinco); Hospital de Belém do Brejo do Cruz (18); Hospital e Maternidade de Mamanguape (143); e o Hospital Regional e Maternidade de Monteiro (80).

Índia – Ainda no “Fala Governador”, o governador contou detalhes sobre sua viagem à Índia, na semana passada, acompanhando a comitiva oficial da presidente da república, Dilma Rousseff, durante o IV Encontro dos Países do Brics, formado por Brasil, Rússia, Índia e China. Ricardo e o governador do Sergipe, Marcelo Déda, foram os únicos representantes das unidades federativas do Brasil a receber convite para a viagem.

“Isso demonstra que a Paraíba ganha importância, pois foi lembrada pela presidência para se fazer presente numa reunião que reúne países emergentes, em desenvolvimento, e que já respondem, juntos, por 54% dos investimentos de todo o planeta. Como representante do Estado, para mim foi um grande orgulho”, disse.

Em meio à programação da reunião, o governador paraibano realizou uma audiência com a presidente Dilma, que se predispôs a visitar a Paraíba ainda este mês, em data a ser confirmada. “Ela se comprometeu com a construção do nosso Centro de Convenções, frisando a percepção de que o empreendimento vai mudar o perfil turístico da Paraíba nos próximos anos”, afirmou.

Ainda no setor turístico, Ricardo solicitou à presidente um novo terminal de passageiros ao aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa, bem como a necessidade de modernização e ampliação do Porto de Cabedelo. “Falei sobre o aumento aproximado de 30% na movimentação de cargas registrada em nosso porto, no ano passado, e sobre a necessidade de transformá-lo num grande escoadouro de mercadorias para toda a região nordestina, complementando o trabalho dos portos dos Estados vizinhos.” Também segundo Ricardo, Dilma adiantou a possibilidade de incluir o Porto de Cabedelo no PAC dos Portos.

Canal – Na possível visita à Paraíba, ainda este mês, Dilma Rousseff deve assinar a ordem de serviço para o Canal de Integração Acauã-Araçagi. De acordo com Ricardo, a obra será uma espécie de ressurreição de uma área que já esteve entre as mais ricas da Paraíba. “Com o canal, temos perspectivas de grandes investimentos para a área, como em agricultura irrigada e retorno da pecuária. São perspectivas importantíssimas que estamos construindo para o futuro em médio prazo. Desde já, fico muito feliz com o interesse demonstrado pela presidenta”, disse.

Dilma também deve anunciar o Pacto da Mobilidade, pelo qual estão previstas obras como a construção de um viaduto na BR-230, na altura da entrada do bairro do Geisel, na Capital, com o intuito de minimizar o engarrafamento registrado diariamente na área; e a criação de duas passagens subterrâneas na BR-230, em Cabedelo, para interligar o sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que também consta na proposta.

Foto: José Marques/Secom-PB

Investimento privado – A unidade de Call Center da AeC, entregue nesse domingo (1º), em Campina Grande, pela empresa e o Governo do Estado, começou a funcionar nesta segunda-feira. Ainda no “Fala Governador”, Ricardo Coutinho frisou que esta é mais uma conquista da Paraíba, obtida por meio do empenho do Governo na captação de empresas para o Estado.

Ao todo, a unidade da AeC em Campina deve empregar cerca de 2,5 mil pessoas, enquanto a de João Pessoa, na ser entregue em meados de julho, trabalharão outros 3,5 mil profissionais. Só para 2012, a estimativa do Governo do Estado é de que a Paraíba receba cerca de R$ 1,5 bilhão de investimentos provenientes da iniciativa privada.

Nesta terça (3), um grupo de empresários portugueses deve chegar à Paraíba, para conhecer o Estado e avaliar a possibilidade de instalar aqui as suas empresas. “Dizemos que a Paraíba tem política tributária, logística instalada, é cortada por duas grandes rodovias federais e, inclusive, está executando o maior programa rodoviário que o Estado já viu. Vamos conversar com esses empresários buscando longevidade em investimentos, para, naturalmente, gerar cada vez mais empregos e renda aos paraibanos”, concluiu.