João Pessoa
Feed de Notícias

Governo comemora Dia da Indústria e crescimento do setor no Estado

quinta-feira, 24 de maio de 2012 - 18:27 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

Foto: José Marques/Secom-PB

O Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), comemora o Dia da Indústria, neste 25 de maio, com números que demonstram o crescimento do setor. O objetivo é tornar a Paraíba um dos Estados mais competitivos no Nordeste e, para isso, o governo vem tentando investimentos fora e dentro do País. Até o final deste ano, prognósticos indicam que é possível atingir mais de R$ 3 bilhões de investimentos privados em 19 municípios, com a instalação e ampliação de 123 empresas. Desse total, 43 serão ampliadas e 80 instaladas, possibilitando a geração de 7.348 empregos diretos.

As empresas ampliadas e novas estão situadas nos municípios de Alhandra, Conde, João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa, Catolé do Rocha, Cajazeiras, Queimadas e Caaporã. São empresas do ramo de calçados e artefatos de couro, construção civil, fabricação de móveis, têxtil, metalúrgica, alimentos, minerais não metálicos, produtos de matérias plásticas e autopeças.

Um dos destaques é o investimento de um grupo de portugueses, que assinou Protocolo de Intenções em março deste ano para se instalar em uma área de 62,4 hectares no município de Alhandra. O grupo de portugueses investirá R$ 1,6 bilhão, gerando 1.500 empregos diretos, com a criação de 16 empreendimentos no ramo de atividades como construção civil, telecomunicações, projetos de engenharia, área portuária, consultoria imobiliária, jurídica e planejamento, empresa do ramo de investimentos e incorporação imobiliária.

No distrito industrial de Mata Redonda, em Alhandra, cujo projeto está em fase de concepção pela Cinep, também vão atuar empresas na área de pré-fabricados, cerâmica, materiais de construção, hotéis e turismo, carpintaria e alumínio, importação e exportação de máquinas industriais e, ainda, do setor de ancoragens.  As empresas que confirmaram até agora a vinda à Paraíba são Euroviga, ACF, Casais, Telcabo, Grupo Verdasca, CSN, SCGlobal, Grupo JCorreia, Iberlage e Ancorpali.

Fain – O Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Estadual da Paraíba é uma das principais ferramentas que a Cinep possui para estimular o desenvolvimento do Estado. Tem por finalidade gerar estímulos financeiros para os empreendimentos industriais e agroindustriais com foro e domicílio fiscal no Estado. O fundo atua sob a forma de empréstimos subsidiados, destinados à implantação, realocação, revitalização, ampliação e modernização dessas empresas.

O público alvo do programa são as pessoas jurídicas, inclusive cooperativas e associações, que desenvolvam ou pretendam desenvolver atividades de transformação ou beneficiamento de matéria-prima agropecuária e mineral produzida prioritariamente na Paraíba. Os interessados em requerer benefícios (locacionais ou fiscais) pela Cinep podem obter informações acessando a página oficial da companhia na internet no endereço: www.cinep.pb.gov.br.

 

Em março do ano passado, foi publicada no Diário Oficial do Estado a Medida Provisória 190, alterando a Lei nº 6.000, que consolida as normas sobre o Fain. O chefe do departamento de incentivos da Cinep, Everaldo Aguiar, explicou que a MP gerou mais agilidade na concessão do benefício, já que acaba com a obrigatoriedade do contrato das empresas junto ao agente financeiro (instituições bancárias) e passa a ser feito diretamente pelo Fain.

Em 2011, o governo também ampliou o prazo da concessão de estímulos financeiros pelo Fain, em 30 anos, com a publicação do Decreto 32.388 em setembro do ano passado, em alteração à cláusula do Decreto 17.252 de dezembro de 1994, que concedia apenas o prazo de até 15 anos para incentivos fiscais.

Interiorização do Fain – Além de concessão de isenção de ICMS estendida, o regulamento do Fain permite novas propostas fiscais para contribuir com a interiorização das indústrias no Estado. Agora, empresas que se instalarem fora das regiões mais industrializadas, como a Grande João Pessoa , Campina Grande e Queimadas, podem receber descontos de até 99% de ICMS recolhido pela empresa ao Tesouro Estadual.

Cinep – A Companhia de Desenvolvimento da Paraíba é um órgão de economia mista vinculada à Secretaria do Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde). Possui uma equipe técnica qualificada, em várias áreas, e recebe, orienta e presta assessoramento para quem quer investir na Paraíba, pois atua como facilitadora na implantação de empresas. É também função da Cinep a administração e manutenção dos distritos da Paraíba.

 

Já foram concebidos, pela atual gestão, projetos para a melhoria de infraestrutura na rede elétrica e de esgotamento sanitário, drenagem, terraplenagem e arborização nos Distritos Industriais em Campina Grande, Cajazeiras, Grande João Pessoa, Patos, Sousa e Queimadas.

Empresários – A Paraíba foi o segundo Estado brasileiro escolhido pelo empresário paranaense Paulo Mendes dos Santos para seus novos investimentos. No município de Pedras de Fogo, ele vai erguer uma fábrica de máquinas para a indústria moveleira, que terá uma área de 26.000 m2, e vai gerar cerca de 200 empregos diretos e o dobro de forma indireta.

Atraído pelo aumento das vendas no Nordeste, de onde vem 22% do seu faturamento com a venda de 70 máquinas/mês, Paulo não hesitou em optar pela Paraíba, cujo mercado deverá lhe proporcionar um faturamento de R$ 3 a R$ 4 milhões no primeiro ano de instalação da fábrica. “Na Paraíba, teremos com certeza retorno garantido, pois o Nordeste esta em ascensão”, destacou Paulo Mendes.

Uma empresa de distribuição de alimentos que barganhava por um novo espaço na Grande João Pessoa, agora terá a oportunidade de ampliar e concentrar seus negócios numa área de 29.000 m² em Santa Rita, disponibilizada pelo Governo do Estado através da Cinep.  Com isso, serão gerados mais 150 empregos nos próximos 180 dias e investidos R$ 35 milhões através do Fain.

Com 17 anos de mercado e um portfólio de mais de 1.000 itens, a empresa cresceu em rentabilidade com um faturamento de R$ 5 milhões/mês e gerou 250 empregos, sendo necessário se adequar às exigências da operacionalidade do empreendimento. Diante disso, o empresário Diógenes Cunha optou pela decisão de ampliar os seus negócios, transferindo as unidades do bairro 13 de Maio, na Capital, que tem uma área de 5 mil m², e a de Cabedelo, de 3.000 m², para uma área maior.

O gerente administrativo da empresa, Iremar Gomes Bezerra, disse que agora vai ficar mais fácil atender ao efetivo de 3.500 clientes ativos em quase 90% dos municípios paraibanos e gerar mobilidade urbana no bairro 13 de Maio. “O investimento do governo veio em bom tempo e agora vamos ter mais oportunidade para gerar uma logística eficiente, aumentar o leque de produtos e gerar mais empregos”, disse.

Foto: José Marques/Secom-PB

Polo cimenteiro – Com a instalação de três grandes grupos do setor de cimento nos próximos dois anos – Brennand, Cimpor II e Elizabeth e duplicação da produção da Lafarge –, que vão injetar mais de R$ 1,2 bilhão em investimentos, a Paraíba tem potencial para se tornar o maior produtor do Nordeste.

Atualmente, com duas fábricas cimenteiras (Lafarge, em Caaporã, e Cimpor, em João Pessoa) e produção de cerca de dois milhões de toneladas por ano, o Estado tem perspectiva de produção de mais de 7,5 milhões de toneladas/ano de capacidade instalada.

A Paraíba tem abundância das matérias-primas essenciais à produção de cimento: calcário, argila e areia. O calcário calcítico e o calcário magnesiano, por exemplo, ocorrem em grande quantidade no litoral paraibano, abrangendo de Rio Tinto a Pitumbu, além da região do Cariri. Já as argilas, ricas em sílica, e as areias silicosas, podem ser encontradas também por toda a extensão do litoral paraibano.

O Grupo Cimpor, por exemplo, tem projeto para a cidade do Conde, com investimento de R$ 450 milhões, geração de 150 empregos diretos e produção de 1,4 milhões de toneladas/ ano de capacidade instalada. Os três grupos empresariais, após a assinatura de protocolos de intenção com o Governo da Paraíba, iniciaram os procedimentos para instalação das fábricas.

“Instalar uma nova cimenteira na Paraíba é um projeto que nós ambicionávamos há muito tempo. Até por termos uma fábrica aqui, em João Pessoa, relativamente perto. Agora, finalmente vamos avançar nossas metas. A nova indústria em Caxitu, no município do Conde, é projeto muito importante para nós e, tenho certeza, que é também para o Estado, com um valor de investimento de R$ 500 milhões e cerca de 2 mil empregos”, comentou o diretor executivo da Cimpor, João Contreiras.

Cadeia Produtiva do Cimento – O Governo do Estado, em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), firmou em outubro do ano passado acordo de cooperação técnica em fortalecimento a 12 Arranjos Produtivos Locais (APL’s), na Paraíba.

“Escolhidas de acordo com a função do seu atual estágio de organização e importância econômica, a Cadeia Produtiva do Cimento, na Zona da Mata é uma das contempladas. Isto porque, além das unidades fabris cimenteiras, há as empresas sistemistas (fornecedoras), que se instalam no entorno das fábricas formando um polo industrial e de serviços, com logística, alimentação, oficinas, entre outros”, disse o diretor de Desenvolvimento Econômico da Cinep, Juliano Gorski Antônio.

Ele lembrou que este é o caso da Tecnomont – Montagens Industriais Ltda, empresa do Mato Grosso que produz caldeiras para a indústria cimenteira e também implantará uma unidade no Estado. A unidade ficará em Pedras de Fogo, no próximo ano, com investimento de R$ 5 milhões e geração de 500 empregos diretos.

“O Grupo Brennand escolheu a Paraíba para abrigar seu novo empreendimento no setor pela existência das ricas jazidas de calcário e demais matérias primas para a produção de cimento no Estado. Além disso, o governo recebeu o projeto com muita atenção e interesse, e nos apresentou a infraestrutura adequada, assim como incentivos fiscais atrativos para a instalação da cimenteira”, ressaltou o diretor jurídico do grupo, Horácio Mendonça.