Fale Conosco

16 de julho de 2009

Governo comemora 60 anos do Correio das Artes com noite cultural



O Governo da Paraíba através das Secretarias da Educação e Cultura, e da Comunicação Institucional e Jornal A União, lançou na noite desta quarta-feira (15), com a presença do governador José Maranhão, a edição de aniversário dos 60 anos do suplemento cultural Correio das Artes.

Na mesma solenidade, foram lançados o Projeto Itinerarte, o Concurso Nacional de Conto e Poesia e o Concurso de Redação para alunos de escolas públicas e particulares de 1º e 2º graus da Paraíba. O evento, aberto ao público, aconteceu às 19h30, na Fundação Casa de José Américo, localizada, na avenida Cabo Branco.

O governador José Maranhão prestigiou a noite dedicada aos 60 anos do Correio da Artes e à cultura. O evento reuniu cerca de 600 convidados entre poetas, escritores, jornalistas, artistas, políticos, empresários, e contou ainda com as presenças de dois acadêmicos da Academia Brasileira de Letras, Arnaldo Niskier e Murilo Melo Filho, amigos do superintendente de A União, Nelson Coelho. O presidente da Academia Paraibana de Letras, Juarez Farias, também marcou presença na solenidade que teve atrações como o poeta repentista Oliveira de Panelas e o grupo “Tamborete”.

Maranhão afirmou que o evento se traduzia em um momento muito significativo para a cultura paraibana. “Nós estamos comemorando 60 anos da fundação de um suplemento literário dentro do jornal ‘A União’, que é o mais antigo da Paraíba e o terceiro mais antigo do país. A União tem relevantes serviços prestados à cultura paraibana e é o único jornal a ter um suplemento literário com tanta longevidade”, declarou o governador.

Na mensagem do governador Maranhão que abre a edição especial do Correio das Artes, ele revela que o suplemento que conquistou prêmio nacional em 1981, detém inegável prestígio nos meios literários e artísticos do país. “Publicação que dignifica as tradições culturais do nosso Estado, o Correio das Artes é um patrimônio que deve ser preservado como uma das mais admiráveis conquistas da intelectualidade paraibana”, acrescentou o governador.

Ao falar em nome do Governo da Paraíba, por delegação do governador Maranhão, o secretário da Educação e Cultura, professor Francisco Sales Gaudêncio, afirmou: “É muito agradável celebrar 60 anos quando você cultiva, estimula as idéias. É isto o que o senhor governador José Maranhão tem feito nos últimos anos. 

A secretária de Comunicação Institucional do Governo, jornalista Lena Guimarães, integrou a mesa de autoridades no evento e reafirmou o compromisso do governo Maranhão com os que fazem as artes e a cultura no Estado. Os imortais da Academia Brasileira de Letras, Arnaldo Niskier e Murilo Melo Filho também fizeram uso da palavra enaltecendo a dimensão cultural do Correio das Artes.

O diretor superintendente de A União, jornalista Nelson Coelho, revelou que a noite era histórica para a cultura e a intelectualidade paraibana. Destacou ainda que o jornal presta um serviço republicano da maior importância para a história e para a cultura, que é manter durante 60 anos um suplemento literário que honra as tradições culturais da Paraíba e é disputado pelo Brasil inteiro.

Nelson Coelho revela em sua mensagem na edição comemorativa que o Correio das Artes abrigou as mais diversas tendências culturais existentes no país. Esteve sempre antenado com o que de melhor foi produzido na cultura nacional, publicando os mais diversos autores de forma plural e criteriosa. Coube ao atual editor do Correio das Artes, poeta Antonio Mariano, anunciar a entrega de homenagens a dezenove ex-editores do suplemento e familiares que representaram os já falecidos.

O número especial da revista cultura Correio das Artes contém poemas, contos, textos de crítica de cinema e literatura, depoimentos de leitores, colaboradores, escritores, personalidades do meio intelectual e acadêmico, autoridades governamentais e ex-editores do suplemento a respeito da importância do Correio das Artes para a cultura nacional.

O concurso de redação tem como tema os autores paraibanos Augusto dos Anjos, José Américo de Almeida, José Lins do Rego, Paulo Pontes e Ariano Suassuna. Ocorreu ainda o lançamento do selo comemorativo (Correios e Telégrafos); a entrega de Placa Comemorativa a 19 ex-editores e a familiares do jornalista Edson Regis e do advogado Silvio Porto, fundadores do Correio das Artes.

O Correio das Artes, suplemento cultural do jornal A União, foi fundado em 27 de março de 1949 pelo poeta e jornalista pernambucano Édson Regis, seu primeiro editor. Desde seu número inaugural manteve o objetivo de contribuir com a literatura e a arte do Brasil, divulgando escritores e artistas e revelando novos valores. 
  
Nestes 60 anos, passaram pela editoria do Correio dezenove nomes da literatura e do jornalismo. O suplemento teve um bom momento de prestígio nacional quando recebeu o prêmio de Melhor Divulgação Cultural em 1981 concedido pela Associação Paulista dos Críticos de Artes, sob a editoria do poeta Sérgio de Castro Pinto, passando a integrar, também, nessa fase, o acervo da Modern Language Association of America (USA), órgão que cataloga as principais publicações do mundo.

Prestigiaram o evento o secretário da Educação e Cultura, Sales Gaudêncio, o secretário da Casa Civil, José Ricardo Porto, o secretário das Finanças, Marcos Ubiratan, o subsecretário de Cultura, Flávio Tavares,  o presidente da Fundação Espaço Cultural, Maurício Burity,  a presidente da Fundação Casa de José Américo, Letícia Maia, o presidente do Iphaep, Damião Ramos Cavalcanti, o superintendente da Rádio Tabajara, Ruy Leitão, dentre outros convidados, além dos deputados estaduais Gervásio Filho e Olenka Maranhão.

Josélio Carneiro com fotos de Ernane Gomes, da Secom