Fale Conosco

21 de novembro de 2012

Governo capacita municípios para melhorar assistência farmacêutica



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) reúne, nesta quarta (21) e quinta-feira (22), representantes dos 38 municípios paraibanos que foram contemplados com recursos financeiros do Programa  Qualifar-SUS,  do Ministério da Saúde, que tem como objetivo  melhorar  a assistência farmacêutica.  A capacitação acontece durante todo o dia no Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-RH) e conta com a participação de dois representantes do Ministério da Saúde.

De acordo com o chefe do Núcleo de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde, Manoel Mariano Neto, o programa contemplou em todo o Brasil 400 municípios e na Paraíba 38 dos 199 inscritos foram selecionados.  A prioridade é para aqueles municípios que fazem parte do Programa Brasil Sem Miséria.

Manoel Mariano explicou que cada município recebeu cerca de R$ 22 mil. Esses recursos devem ser investidos em melhorias na assistência farmacêutica como também em custeio. Durante a capacitação os participantes estão recebendo todas as orientações e tirando dúvidas sobre como empregar corretamente os recursos.

Sobre o Programa – No mês de março deste ano, o Ministério da Saúde publicou a Portaria Conjunta nº.1 (12/03/2012), que institui um Grupo de Trabalho (GT) para qualificar a Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde, com foco no serviço farmacêutico nas redes assistenciais prioritárias do Ministério da Saúde. A Assistência Farmacêutica representa um complexo campo de trabalho no SUS. Com caráter multiprofissional, abrange os serviços relacionados com medicamentos e outros insumos terapêuticos utilizados nos serviços de saúde.

A Assistência Farmacêutica tem sido amplamente discutida no Brasil, sobretudo na última década. A implementação de políticas como a Política Nacional de Medicamentos e a Política Nacional de Assistência Farmacêutica exige a capacitação dos trabalhadores do SUS, para alcançar a efetividade das ações executadas na área.

Dessa forma, a gestão efetiva da assistência farmacêutica vem ganhando importância no cenário nacional, devido à sua aplicabilidade na racionalização do uso de medicamentos, o que diminui consideravelmente os gastos com recursos terapêuticos.