João Pessoa
Feed de Notícias

Governo avalia projetos de inserção social de reeducandos

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 - 17:18 - Fotos:  José Lins / Secom-PB

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com o Instituto de Assistência a Saúde do Servidor (IASS), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap) e com o Programa de Extensão ‘Curso de Aperfeiçoamento das Relações no Trabalho’, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), realizou na manhã desta quarta-feira (30), no Auditório do IASS, a primeira sessão das atividades do laboratório de avaliação e intervenção clínica forense, que será apresentado por alunos do curso de psicologia da UFPB, sob orientação da professora de Psicologia Jurídica, Carmem Amorim, para usuários do sistema prisional paraibano que prestam serviços no IASS.

O órgão mantém como prestadores de serviços  doze reeducandos do regime semiaberto. O grupo trabalha no setor de serviços gerais, nas atividades de limpeza, higienização e manutenção do prédio. Para o secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, estas parcerias são de fundamental importância no processo de reinserção social. “O Governo do Estado, por meio da Seap, está realizando um trabalho focado na reinserção dos reeducandos ao mundo do trabalho, para que a reincidência ao universo delituoso diminua cada vez mais, e para que isso aconteça, se faz necessário firmar parcerias com instituições públicas como estas, como também com a iniciativa privada, para caminharmos juntos num desafio que é de toda a sociedade e não só do Governo”, disse.

O superintendente do IASS, Ricardo Aires, também falou da iniciativa: “Ficamos muito felizes em fazer parte deste projeto que tem uma filosofia muito boa e norteia as pessoas para que elas possam ter um retorno ao convívio social. Atualmente, já conseguimos visualizar melhoria no aspecto de comunicação destas pessoas com o ambiente de trabalho, elas estão se familiarizando. Este fato também sinaliza um avanço no aumento da autoestima dos mesmos, que naturalmente é abalada com o processo de cárcere”.

Desenvolvido a partir de um projeto pioneiro de pesquisa, a ideia do Programa é a de oferecer a oportunidade de qualificação e aperfeiçoamento dos conhecimentos com o objetivo de promover a reintegração pós-prisão e a construção de um novo projeto de vida. Durante a fase inicial, foi feito um levantamento do perfil dos reeducandos, com a finalidade de identificar  as necessidades e habilidades dos inscritos no Programa.

A programação do I Curso de Aperfeiçoamento das Relações no Trabalho foi desenvolvida em módulos com temas relacionados a formação para o mercado de trabalho, que vão desde a postura de um profissional às técnicas de manejo das tarefas.

A professora Carmem Amorim, que é coordenadora do projeto, acrescentou: “É de extrema importância a parceria da Universidade com as instituições públicas, pois se constitui como uma oportunidade de formar os alunos para que eles possam aplicar os seus conhecimentos práticos e teóricos em prol da sociedade. Infelizmente, ainda há uma grande reincidência delitiva e parte deste problema pode estar relacionado à carência de formação suficiente para uma adequada aderência às demandas da sociedade. Neste sentido, o projeto tem como objetivo trabalhar determinadas habilidades básicas de interação e comportamento social no trabalho”.