Fale Conosco

7 de agosto de 2015

Governo apoia agricultores do Brejo para melhorar turismo rural



Numa ação conjunta de parceiros visando criar condições para ampliar e fortalecer a agricultura familiar e o turismo rural na região do Brejo foi realizado na Comunidade Caboclo, no município de Guarabira, uma reunião destinada a montar um projeto que venha agregar valor e trazer mais renda e melhorar a condição de vida dos agricultores e das artesãs.

O Governo do Estado, por meio da Emater, empresa de extensão rural integrante da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Sedap, está integrado na elaboração de projeto de desenvolvimento das potencialidades do turismo rural e do artesanato na Comunidade Caboclo, onde residem 75 famílias, integrantes da Associação Comunitária local que já atuam em alguma atividade complementar a produção agrícola. Também participam desta iniciativa o Cooperar, a Diocese de Guarabira, por meio da Cáritas, e a Prefeitura Municipal.

Como na região as famílias já trabalham com artesanato, criação de avicultura alternativa, organizam trilhas ecológicas e cavalgadas, por exemplo, agora está sendo sugerida a construção de um restaurante para atender a demanda de visitantes, de modo a aproveitar as potencialidades da gastronomia com utilização dos produtos da agricultura familiar. Com isso concretizado, serão definidos os denominados Cantinhos de Leitura, em locais que possa se contemplar a natureza.

Na semana passada, a Coordenação Regional da Emater em Guarabira reuniu técnicos das unidades operativas da região envolvidos nesta iniciativa, para discutirem e compartilharem atividades e propostas para plano de trabalho em turismo rural anteriormente construído pelas demais regiões do Estado.

A reunião contou com a presença da assessora em agroecologia Sandra Vital e o apoio do coordenador regional Alexandre Fonseca. A Comunidade Caboclo é assistida pelo técnico José Genuíno Medeiros.  “As iniciativas locais quando apoiadas pelas instituições técnicas e pela população vêm comprovar que as atividades não agrícolas contribuem como nova alternativa de renda e trabalho para a família rural”, comentou a assessora estadual Gláucia Gusmão.