Fale Conosco

28 de maio de 2013

Governo anuncia novo pólo do Prima e entrega instrumentos no Sertão



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, firmou acordo de cooperação para a criação de mais um pólo do Programa de Inclusão Através da Música e das Artes (Prima), na cidade de Cajazeiras, e realizou a entrega de 110 instrumentos musicais para o início das aulas no pólo de Catolé do Rocha.  Atualmente, existem quatro pólos de ensino, envolvendo cerca de 400 estudantes. O objetivo é chegar a dez pólos até o final de 2013, interiorizando o programa e formando orquestras e corais infantis.

Para o secretário de Cultura, Chico César, é preciso perceber o papel transformador e revolucionário que o Prima carrega. “Esses instrumentos, trombones, violinos, violas, violoncelos, são armas de uma conquista muito forte para esses jovens. É empoderamento. Jovens pobres do Sertão, do Cariri, do Brejo terão a mesma condição de aprender instrumentos de orquestra como os jovens do bairro dos Jardins, lá de São Paulo. Os instrumentos do Prima são armas para o povo”, ressaltou.

Para o gerente de Promoção Cultural da Secult-PB, Milton Dornellas, o Prima é um processo contínuo. Segundo ele, tem sido possível perceber uma evolução nos jovens em pouco tempo, citando como exemplo o pólo de Cabedelo, o qual considerou uma referência do programa. “Com apenas um ano já temos resultados magníficos de entrosamento das pessoas, de envolvimento emocional e compromisso, de alunos e professores. Já temos dados de melhoria do rendimento escolar dos jovens, relatos sobre uma maior concentração e solidariedade entre eles”, relatou, observando que esta é a prova da eficiência do programa.

CAJAZEIRAS – A Secult-PB firmou  uma parceria institucional com a Prefeitura Municipal de Cajazeiras, garantindo criação de um novo pólo de ensino do Prima. Participaram da reunião o gerente de Promoção Cultural da Secult-PB, Milton Dornellas; a prefeita Denise Albuquerque; o secretário Municipal de Cultura, Aguinaldo Cardoso; o secretário Municipal de Administração, Rogério Silva; o assessor técnico da Secult municipal, Francisco Hernandes; e o vice-presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais, Gildemar Pontes.

O novo pólo funcionará na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Crispim Coelho, atendendo aos estudantes das redes públicas municipal e estadual de educação e a toda comunidade do Bairro São Francisco. Para a prefeita Denise Albuquerque, “o Prima é um programa de importância ímpar para a nossa cidade. Ele chega resgatando e trazendo novos valores para nossos jovens, para a comunidade carente da cidade, o pessoal do Bairro São Francisco e toda região, atingindo também o Bairro da Esperança, o Bairro dos Remédios, integrando essas pessoas a um projeto que criará a primeira orquestra sinfônica da cidade.”

Para Aguinaldo Cardoso, secretário de Cultura do município, Cajazeiras é uma cidade de muitos talentos que precisam ser descobertos. Segundo o gestor, “esse é um projeto a partir do qual poderemos descobrir novos talentos em nossa cidade e criar uma interatividade entre os municípios. Estamos muito animados e garantindo todo o apoio para o sucesso do projeto na cidade. Acredito que será um grande avanço para a cultura cajazeirense.”

A mesma opinião é compartilhada por Gildemar Pontes, vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura. Para ele, o Prima coloca a cidade em sintonia com outras que já vêm colhendo frutos dos investimentos em arte e cultura. “Temos percebido que há um florescimento das artes em outras cidades do mesmo porte de Cajazeiras em outros estados. Então, isso acontecendo em Cajazeiras significa que entraremos em sintonia com cidades como Iguatu, Juazeiro do Norte, Barbalho, Crato, Mossoró. É um circuito em que a arte começa a florescer e que gera oportunidades de criação de bandas de música, de orquestras sinfônicas, grupos de teatro. Todos os fatores que a cultura pode agregar são importantes para nossa cidade, que já tem uma tradição de lidar com a cultura e exportar talentos culturais”, declarou

CATOLÉ DO ROCHA – Em Catolé do Rocha, foram entregues 110 instrumentos para o pólo local, que já tinha suas atividades iniciadas com a parte de musicalização e vem funcionando no Centro Social Urbano daquela cidade. Agora, será iniciada a parte prática, na qual os estudantes passarão a desenvolver suas habilidades com os instrumentos. Para Milton Dornellas, “a tendência agora é aumentar o número de crianças envolvidas, os pais dessas crianças, e iniciar os exercícios com os instrumentos. O pólo de Catolé já é uma realidade”.

Ao comentar a parceria estabelecida nas duas cidades, o Secretário Chico César afirmou que “de uma forma bastante intuitiva, as prefeituras têm nos procurado para estabelecer colaborações. Para nós que fazemos a política cultural do Governo do Estado isso é muito auspicioso, porque sabemos que nós sozinhos não damos conta. E queremos que mais prefeituras se coloquem disponíveis para ajudar a colocar em prática essa política”. Ele argumentou que essa multiplicação de orquestras está dando certo na Venezuela há mais de 40 anos, “não somente porque tem revelado artistas exuberantes, mas porque tem tirado jovens de uma situação de vulnerabilidade muito grande”.

O programa – O Prima é um programa de inclusão social, que visa o ensino da cidadania por intermédio da música orquestral, atendendo a jovens estudantes da rede pública de ensino. Funciona em parceria com os municípios a partir de um acordo de cooperação estabelecido na adesão das prefeituras ao programa. Está distribuído em pólos de ensino localizados em áreas carentes ou de preocupação social no Estado, funcionando em escolas públicas das redes municipal e estadual e também em associações e prédios históricos, em parceria com prefeituras, ONGs e instituições culturais. Cada pólo de ensino oferece aos seus alunos a oportunidade de aprender instrumentos orquestrais e participar em grupos que variam entre orquestras jovens e infantis até bandas e corais, incluindo corais de adultos, onde se envolvem também as famílias dos jovens atendidos.