João Pessoa
Feed de Notícias

Governo agiliza o diagnóstico e o tratamento de doentes de câncer

quarta-feira, 7 de abril de 2010 - 17:54 - Fotos: 

O diagnóstico precoce e o tratamento do câncer garantem a cura de vários tipos da doença. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) está implementando uma série de ações para agilizar o diagnóstico e melhorar o tratamento dos doentes no Estado, entre elas o apoio ao Hospital Napoleão Laureano, com doação de medicamentos e conclusão da obra do novo centro de radioterapia da unidade.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado neste dia 8 de abril, é um alerta sobre a doença que matou 13.347 pessoas na Paraíba, entre os anos de 2005 e 2009. Para este ano, a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é que surjam 6.530 novos casos da doença, sendo 2.960 em homens e 3.570 nas mulheres.

Nos últimos cinco anos, a SES registrou 13.347 mortes por 134 tipos de  neoplasias, e os que mais mataram paraibanos foram os cânceres de próstata (1.200 casos), de estômago (1.114 casos), de brônquios e pulmões (1.060 ocorrências), de mama (834), de fígado (668), de esôfago (470), de colo de útero (438), de pâncreas (423), do aparelho digestivo (393), de laringe (263), de leucemia (225) e linfoma não-Hodgkin (207).

Novos casos – Segundo o Inca, os tipos de câncer que mais devem afetar os homens no Estado em 2010 são de pele não melanoma (1.330); próstata (com o surgimento de 790 casos), seguidos do de estômago (190); de cavidade oral (150); de traquéia, brônquio e pulmão (130); leucemias (90); cólon e reto (80), esôfago (80) e pele melanoma (20). Outros 100 casos que devem surgir estão distribuídos em outros tipos de tumores menos comuns.

Nas mulheres, a maior incidência também deverá ser de câncer de pele não melanoma (1.360), seguido de tumores de mama (550 casos); de colo de útero (300); estômago (130); cólon e reto (100); cavidade oral (90); traquéia, brônquios e pulmão (90); leucemias (80); esôfago (50) e pele melanoma (20). Outros 800 casos deverão surgir com tumores com outras localizações, somando um total 3.570 casos.

Doação de medicamentos – O Centro Especializado de Dispensação de Medicamentos Excepcionais (Cedmex), órgão da Secretaria de Estado da Saúde (SES), doou 540 ampolas do medicamento Zoladex (gosserrelina) ao Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa.

Segundo a direção do hospital, a medicação é suficiente para tratar homens com câncer de próstata, durante dois meses, no Laureano, por dois meses. O diretor do Laureano, João Batista Simões, falou sobre as dificuldades da instituição para adquirir o medicamento e disse que o Cedmex, nesta gestão, sempre fez doações para garantir o estoque da medicação.

Do total de ampolas doadas, 270 são de 3,6 mg (cada uma custa R$ 700) e 270 de 10,8 mg, que são vendidas, cada uma, por R$ 1.790,00. A doação representa uma economia de mais de R$ 600 mil na compra dos remédios. “Essa doação do Governo do Estado, através da pessoa do secretário José Maria de França, tem um alcance social muito grande. Nós vínhamos adquirindo esse medicamento com muita dificuldade, porque o preço foi subindo, mas o valor repassado pelo Ministério da Saúde, para a compra, continuou o mesmo. Mesmo antes dessa doação, nunca deixamos faltar a medicação no hospital, mas sempre contando com a ajuda de Roberlândia Freire (diretora do Cedmex), que atendia a nossa solicitação e completava o que estava faltando”, disse Simões.

Conclusão de obra – João Simões também lembrou que, além da parceria na doação de medicamentos, a SES concluiu a construção do setor de radioterapia, onde será instalado o novo acelerador linear adquirido pela instituição, por R$ 2 milhões, arrecadado com doações da sociedade. A obra, que custou cerca de R$ 1,5 milhão, foi concluída há dois meses. O serviço deve ser inaugurado até o final deste mês abril. O acelerador linear é um equipamento especial utilizado para sessões de radioterapia em pacientes com alguns tipos de câncer.

Prevenção – A Secretaria de Estado da Saúde (SES/PB) está alertando a população sobre a importância da prevenção do câncer. “Quando a doença é detectada no início existe possibilidade de cura, por isso as pessoas precisam conhecer o seu corpo e ficar atentas a qualquer mudança e realizarem os exames que estão disponíveis na rede de saúde. Neste dia de combate ao câncer, estamos fazendo este alerta à população através da imprensa”, disse a chefe do Núcleo Especializado de Apoio ao Diagnóstico do Câncer (NEADC) da SES, Débora Eugênia Braga Nóbrega Cavalcanti.

Segundo o Núcleo Especializado de Apoio ao Diagnóstico do Câncer da SES, no ano passado, a Paraíba realizou 184.096 exames citopatológicos de colo do útero, desses 584 apresentaram lesão de alto grau. “Essas mulheres estão sendo acompanhadas pelos seus municípios que direcionam o tratamento”, informou Débora Cavalcanti.

Ela destacou que na Paraíba, dezenove mamógrafos realizam os exames de pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Bayeux, Guarabira, Monteiro, Cuité, Patos, Sousa, Cajazeiras e Itaporanga. Em Princesa Isabel, o mamógrafo está em fase de instalação, assim como o de Pombal que aguarda instalação de um transformador da Energisa.

Diagnóstico – A SES vem desenvolvendo uma série de ações para o melhoramento do serviço de diagnóstico do câncer, no Estado. Na tentativa de dar assistência às mulheres com câncer de mama foi instalada a Coordenação Estadual do Programa Viva Mulher, que rastreia o câncer de colo de útero e de mama, sob orientação do Instituto Nacional de Câncer – Inca/MS. Outra ação tem sido a participação ativa no programa de Governo Praça da Gente, com atendimento de mastologia e dermatologia.

Ainda para detectar e tratar o câncer de mama está sendo implantado o Sistema de Informação do Câncer de Mama (Sismama) nos 223 municípios paraibanos. Os técnicos do NEADC também realizam o treinamento dos profissionais do Programa de Estratégia de Saúde da Família para utilização dos programas Siscolo e Sismama. A equipe também realiza capacitação das clínicas de radiologia que realizam mamografia pelo SUS na Paraíba, para trabalhar com o Sismama.

É responsabilidade do NEADC a assessoria aos municípios paraibanos no cumprimento das metas pactuadas nos indicadores de saúde no pacto pela vida: razão de exames citopatológicos na faixa etária de 25 a 59 anos; percentual de tratamento e seguimento de mulheres com lesão de alto grau; razão de mamografia na faixa etária de 50 a 69 anos e a população feminina e percentual de municípios que apresentaram índice de insatisfatoriedade acima de 5% (indicador complementar).

O Estado também mantém o Centro de Diagnóstico de Câncer (CDC). O serviço viabiliza 15 tipos diferentes de exames de diagnóstico do câncer e recebe pacientes de todo o Estado, que para ter acesso ao serviço, precisam ser encaminhados pelas unidades básicas de saúde e pela Central de Regulação. Em média, são 3.450 atendimentos por mês. Ano passado, foram 41.398 atendimentos, incluindo consultas, biópsias, ultra-sonografias e exames citológicos e anatomopatológicos, entre outros.

 

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB