João Pessoa
Feed de Notícias

Governo admite mover ação na Justiça para que Assembleia pague dívida com a Chesf e o IBGE

terça-feira, 13 de outubro de 2009 - 11:09 - Fotos: 

Governo admite mover ação na Justiça para que Assembleia pague dívida com a Chesf e o IBGE e o Estado possa assinar empréstimo de US$ 28 milhões com o Banco Mundial. Os recursos serão aplicados pelo Cooperar levando benefícios a comunidades rurais

O Governo da Paraíba poderá ingressar com uma ação na justiça para que o presidente da Assembléia Legislativa do Estado pague uma dívida daquele poder junto à Chesf  – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco e ao IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e com isto, o Estado possa receber o empréstimo de US$ 28 milhões junto ao Banco Mundial, para o desenvolvimento de inúmeras ações pelo Projeto Cooperar, na zona rural de 222 municípios.

No programa semanal de rádio, nesta terça-feira (13), o governador José Maranhão afirmou não acreditar que o presidente da Assembleia  Legislativa, deputado Arthur Cunha Lima, (PSDB), continue com a obstinação de criar dificuldades à contratação do empréstimo do Cooperar, um projeto que toda a Paraíba já conhece. Nos dois primeiros mandatos de Maranhão o Cooperar aplicou R$ 200 milhões, beneficiando milhares de agricultores familiares, melhorando a qualidade de vida dos paraibanos.

“O Executivo Estadual não está devendo nada à Chesf nem ao IBGE, é a Assembléia Legislativa que fez um acordo com a Chesf e o IBGE para pagar os serviços de funcionários que precisou para sua administração. Então essa dívida não é do Estado, é da Assembléia Legislativa”, destacou o governador.

Maranhão afirmou que a dívida é de um valor pequeno e a Assembleia Legislativa tem recursos suficientes no seu orçamento para liquidar essa dívida, e, não pagá-la, significa prejudicar a população, especialmente a população rural. O governador acredita que encontrará outras soluções para o problema. “Eu já estou entrando com uma ação judicial que vai certamente determinar ao presidente da Assembléia Legislativa pagar essa dívida”. Maranhão acrescentou que o não pagamento da dívida é um ‘capricho’ cujo objetivo é prejudicar a população que ficaria privada dos benefícios do Cooperar. São poços tubulares, pequenos projetos de irrigação, pequenos açudes, eletrificação rural, dentre outros benefícios, que são executados pelo Projeto Cooperar.

O governador José Maranhão revelou que tem certeza que a Justiça vai determinar o pagamento dessa dívida pela Assembléia Legislativa e conseqüentemente, dentro de poucos dias o Governo do Estado vai assinar o empréstimo com o Banco Mundial. “O projeto vai propiciar os recursos que são importantíssimos para  a qualidade de vida, o conforto e felicidade dos homens e das mulheres da zona rural da Paraíba”, afirmou Maranhão.

Josélio Carneiro, da Secom