João Pessoa
Feed de Notícias

Governo acerta detalhes para implantação do Projovem Urbano nas unidades prisionais

terça-feira, 17 de setembro de 2013 - 17:01 - Fotos: 

Uma reunião ocorrida na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), na tarde desta segunda-feira (16) adequou os últimos detalhes para o início do funcionamento do Projovem Urbano (PJU) em unidades prisionais da Paraíba. O encontro contou com as presenças do secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino; a secretária de Educação, Márcia Lucena; a gerente de ressocialização da Seap, Ziza Maia; a coordenadora de Educação nos Presídios, Eliane Aquino; o diretor da Penitenciária Criminalista Geraldo Beltrão, em Mangabeira, João Rosas, e a diretora do Presídio Feminino de Campina Grande, Alinne Cardoso.

Estão sendo disponibilizadas 150 vagas, sendo 90 para João Pessoa e 60 para Campina Grande. Nove estados da federação vão receber o programa em presídios, destes apenas a Paraíba contou com a participação massiva dos diretores de unidades prisionais durante a capacitação ocorrida no último dia 6, na cidade de Recife.

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, disse que a parceria com a Secretaria de Estado da Educação é de suma importância para a mudança de mentalidade das pessoas em situação de cárcere, uma vez que possibilita a difusão do conhecimento dentro das unidades prisionais. “Não podemos esquecer que estas pessoas que estão cumprindo pena vão voltar ao convívio social e, se não fizermos com que elas tenham a oportunidade de ampliar os seus horizontes e crescer intelectualmente, toda a sociedade será punida, pois só a educação, a capacitação profissional e o trabalho, dentro desse processo de ressocialização, serão capazes de diminuir gradativamente a reincidência ao crime”, enfatizou.

A secretária de Educação, Márcia Lucena, afirmou que o Projovem Urbano em unidades prisionais vai fortalecer uma ação que a Seap e Secretaria de Educação já vinham fazendo muito bem, que é levar ações de educação para dentro das unidades prisionais, para retomada do sentido de cidadania dessas pessoas, proporcionando a elas a chance de ter uma vida mais adequada e normalizada depois que cumprirem suas penas, e ainda elevando a autoestima para enfrentar o dia a dia dessas unidades.

O Projovem fortalece essa ação, que já vinha sendo feita e é super interessante, com uma linguagem voltada para juventude, uma linguagem metodológica, pois como temos muitos jovens dentro dessas unidades, eu acho que isso vai trazer um retorno ainda maior do que a educação do jovem e adulto, que vinha sendo praticada dentro da unidades por conta da metodologia especifica para jovem de 18 a 29 anos”, comentou a secretária Márcia Lucena.

A gerente de Ressocialização, Ziza Maia, afirmou que esta é mais uma ação positiva no que concerne à educação nas unidades prisionais, “oportunizando aos jovens que estão privados de liberdade a conclusão do ensino fundamental, além do acesso à disciplinas como Participação Cidadã, que proporciona ao indivíduo entender o seu papel dentro da sociedade, ajudando a refletir não só sobre o seu delito, mas, principalmente, preparando-o para o seu retorno ao convívio social, proporcionando um novo olhar e uma nova postura como cidadão”.

O Projovem Urbano nas unidades prisionais terá a duração de 18 meses e cada aluno receberá uma bolsa no valor de R$ 100,00 mensais, depositados em contas específicas para o referido fim. Parte desses recursos já está depositada em conta da Secretaria de Educação e serão repassados quando conclusivas as matrículas, iniciadas as aulas e decorrerem o mês.

Unidades atendidas

- Penitenciária Desembargador Silvio Porto (João Pessoa)

- Penitenciária de recuperação feminina Maria Júlia Maranhão (João Pessoa)

- Penitenciária de segurança Máxima Criminalista Geraldo Beltrão (João Pessoa)

- Penitenciária Regional Raimundo Asfora (Campina Grande)

Presidio Regional Feminino de Campina Grande (Campina Grande)