Fale Conosco

13 de abril de 2009

Governador Maranhão inaugura primeiro Banco de Olhos da Paraíba



A Paraíba agora dispõe de um Banco de Olhos, equipamento essencial para coleta de córneas com o objetivo de devolver a visão às pessoas a partir de doadores anônimos ou não. O governador José Maranhão inaugurou nesta segunda-feira (13), às 11h30, o Banco de Olhos do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, com sede na Capital.

Para o funcionamento do novo serviço, serão investidos apenas R$ 45 mil mensais. O governador destacou que poderia até custar R$ 450 mil ou R$ 4,5 milhões. “Mesmo assim, seria absolutamente necessário e um recurso muito bem aplicado, porque a Paraíba não pode ficar à margem de um processo que acontece no Brasil inteiro. É um serviço que até então a Paraíba não dispunha, mas que já deveria disponibilizar para a população há alguns anos”, comentou.

O médico Haroldo de Lucena Bezerra, diretor do Banco de Olhos, informou que o fornecimento da córnea é feito pela Central de Transplante e o serviço é gratuito através do Sistema Único de Saúde.  Clínicas particulares também realizam o transplante.

A coordenadora do Banco de Olhos, enfermeira Miriam Carneiro, afirmou que a equipe é formada por oito profissionais. A partir de agora as córneas doadas para transplante na Paraíba não precisarão mais ser enviadas para os vizinhos Estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte. Agora as córneas serão preservadas com maior segurança. Os transplantes no Estado já acontecem em João Pessoa, Campina Grande e Sousa. Na lista de espera por uma córnea existem hoje 80 pessoas e a meta do Governo é zerar esta lista no máximo em seis meses, com a ajuda da população. O telefone do plantão 24 horas do Banco de Olhos é 3216 5744 ou o número da Central de Transplante, que recebe as doações: 3244 6192 ou 9981 1085.

Saúde é prioridade – Em uma solenidade marcada por momentos de espiritualidade e a presença de muitas autoridades o Banco de Olhos foi entregue à população sob as bênçãos do padre José Carlos, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, do bairro Miramar. Ao lado do vice-governador Luciano Cartaxo, dos deputados federais Marcondes Gadelha e Manuel Júnior e dos deputados estaduais Expedito Pereira e Raniere Paulino, o governador do Estado reafirmou que a Saúde é uma área prioritária em seu Governo.

“O primeiro Banco de Olhos da Paraíba é uma importante conquista da saúde estadual e mais uma ação administrativa do projeto de reconstrução do sistema de saúde do estado. É um benefício que propiciará uma seleção mais rigorosa das córneas doadas, assegurando maior índice de sucesso nos transplantes, além da agilidade na lista única de receptores”, enfatizou Maranhão.

Com o novo serviço, a córnea será analisada e processada da melhor forma, diferente do passado quando eram enviadas e armazenadas em outros Estados. O Banco de Olhos facilitará a captação e preservação das córneas que serão distribuídas pela Central de Transplantes, cumprindo os critérios de sua lista única que atualmente conta com 80 pessoas. A Central de Transplante recebe por mês 20 doações desse tipo de tecido que equivale a 40 córneas.

O Banco vai trabalhar em regime de plantão 24 horas com uma equipe especializada em córnea formada por dois oftalmologistas, um enfermeiro e três técnicos na área. O serviço está localizado nas dependências do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em ambiente ao lado da Central de Transplante da Paraíba.

O local que abriga o Banco de Olhos da Paraíba tem espaço de 40 m², dividido em três salas: sendo uma recepção administrativa, uma recepção para tecidos (córneas) e um ambiente de avaliação, dotado de uma capela de fluxo destinada à manipulação das córneas, dois refrigeradores e um equipamento denominado de lâmpada de fenda para avaliação dos tecidos.

O transplante de córneas é uma cirurgia ambulatorial, em que após o procedimento, o paciente já recebe alta médica e pode seguir para casa. É considerado um sucesso, pois não tem problema de rejeição e é indicado principalmente para as pessoas acometidas de ceratocone, úlcera de córnea, entre outras. Com até 6 meses, espera-se que o paciente esteja com a visão estabilizada, embora comece a enxergar após a retirada do curativo, num período de 3 a 4 dias.

A coordenadora da Central de Transplantes da Paraíba, Gianna Lys Montenegro afirmou que com este novo serviço em menos de 48 horas uma córnea terá condições de ser distribuída. O Banco de Olhos exercerá um rigoroso controle de qualidade, visando oferecer córneas viáveis e com mínimo risco de transmissão de doenças ao doador.

Além de promover o estímulo ao aumento do número de transplantes de córnea, o novo serviço com local de captação proporcionará ao Governo do Estado uma economia estimada em R$ 80 mil, por mês. Antes, era preciso enviar as córneas doadas na Paraíba para outros Estados, gerando um custo muito grande com deslocamento de viaturas, diárias e combustível, o que agora não será mais preciso.

Diversos secretários do Governo prestigiaram a inauguração do Banco de Olhos a exemplo de José Maria de França (Saúde), José Ricardo Porto (Casa Civil). Antonio Fernandes Neto (Administração), Lena Guimarães (Comunicação), Marcos Ubiratan (Finanças), Ruy Bezerra Cavalcanti (Agricultura), e o Procurador Geral do Estado, Marcelo Weick. O promotor de justiça Gualberto Bezerra representou o Ministério Público Estadual.