João Pessoa
Feed de Notícias

Governador inaugura PB-214 e diz que Cariri terá mais estradas

sexta-feira, 14 de outubro de 2011 - 21:59 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho inaugurou, na noite desta sexta-feira (14), a PB-214, um trecho de 32 km que liga as cidades de Sumé e Congo, beneficiando diretamente 21 mil habitantes dos dois municípios do Cariri paraibano.  Ricardo foi recebido com festa na cidade do Congo, onde prefeitos e autoridades da região, além da população beneficiada, foram às ruas agradecer a entrega da estrada esperada há mais de 50 anos.         

O Estado está investindo atualmente R$ 350 milhões na construção de 31 rodovias estaduais, perfazendo um total de 860 km de estradas, dentro do maior programa viário da história paraibana. De acordo com Ricardo, o Governo já recebeu autorização da presidente Dilma Rousseff e encaminhou carta consulta para o BNDES, com objetivo de conseguir financiamento de R$ 500 milhões – desse valor, segundo ele, entre R$ 200 e R$ 250 milhões serão destinados à construção de estradas (os demais, serão usados no abastecimento de água).

Ele adiantou que os recursos do BNDES tornarão realidade um projeto que prevê a construção de um anel viário ligando as cidades de Cabaceiras, São Domingos do Cariri e Caraúbas, fazendo interligação com Congo, Camalaú, São João do Tigre, São Sebastião do Umbuzeiro e Zabelê. “Nosso plano é construir uma grande via paralela no Cariri, envolvendo seis cidades que estão hoje ilhadas. Isso vai trazer uma nova perspectiva econômica para a região”, explicou.                 

A meta do governador é, nos próximos três anos, diminuir de 52 para 15 o número de municípios sem acesso asfáltico. “Queremos levar estradas de qualidade e bem sinalizadas para todos os 223 municípios paraibanos. E temos pressa, pois conhecemos o sofrimento do povo que vive isolado”, explicou.

Ricardo disse que esteve com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, há cerca de 20 dias, para tratar da construção do asfalto entre o Congo (PB) e Jataúbas (PE), unificando o acesso entre os estados. A solenidade de inauguração da estrada contou, inclusive, com a presença do deputado federal e ex-prefeito de Santa Cruz do Capiberibe (PE), José Augusto Maia, e uma comitiva de vereadores de Santa Cruz do Capibaribe.  “Assim como estamos construindo a unificação de Logradouro com o Rio Grande do Norte, também queremos fazer a integração do Congo a Pernambuco”, disse o governador.

Democracia – Quem foi à cidade do Congo nos últimos dias observou que o cenário de buracos, pedras e muita poeira ficou para trás, dando lugar a um asfalto novo e bem sinalizado, que facilitará a entrada e a saída dos cerca de 700 veículos que trafegam diariamente pela rodovia.

O prefeito do Congo, Romualdo Quirino, destacou o caráter democrático da gestão do governador Ricardo Coutinho, que deu continuidade a uma obra que passou por dois governos anteriores e não foi concluída. Ele espera que a economia cresça 50% com a conclusão da estrada, principalmente no comércio e na indústria têxtil. “O que admiro é que, mesmo não tendo votado em Ricardo, ele realizou grande parte da obra com celeridade”, enfatizou.

Zequinha, ex-prefeito do Congo, disse que vem brigando pela obra desde 2008. “Este é um sonho que se realiza para mim, e sei que esse também é o sentimento do povo do Congo. Ricardo mostrou não promete, realiza. Em nove meses, terminou essa obra. E isso só aconteceu porque ele tem coragem de tomar as medidas que a Paraíba precisa”, ressaltou. 
 
Prefeitos do Congo, Prata, Coxixola, Serra Branca, Gurjão, o deputado estadual João Gonçalves, os secretários de Infraestrutura, Efraim Morais, Recursos Hídricos, João Azevedo, o secretário executivo de governo, Lúcio Flávio e o presidente da Cagepa integraram a comitiva do governador ao Cariri.             

A estrada – A obra custou R$ 12.601.997,41 do Tesouro do Estado e da Corporação Andina de Fomento (CAF), beneficiando diretamente uma população de 20.747 habitantes do Congo e de Sumé. Segundo informou o presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-PB), Carlos Pereira, o trecho recebeu serviços de terraplenagem, sistema de drenagem para águas pluviais e subterrâneas, pavimentação asfáltica, cercas delimitadoras da faixa de domínio, gramagem, paisagismo e sinalização vertical e horizontal. 

Ao longo da estrada, foram construídas três pontes. “A pavimentação da rodovia vai estimular o desenvolvimento sócio-econômico do Estado e já integra a sede de duas cidades, facilitando o acesso a Pernambuco. Isso facilita o escoamento da produção regional, melhora o bem-estar e a qualidade da vida da população local, além de oferecer conforto e segurança aos motoristas”, explicou o superintendente.

Divisor de águas – O deputado estadual Assis Quintans destacou que o governador Ricardo Coutinho promoveu um verdadeiro divisor de águas em relação à infraestrutura rodoviária do Cariri paraibano. Segundo ele, a construção da rodovia ligando o Congo a Sumé em nove meses de governo é um exemplo disso. “A região do Cariri é a que possui menos rodovias estaduais asfaltadas, mas o governador vai resgatar essa dívida secular”, completou. 

Quintans disse ainda que o governo está realizando o projeto executivo de engenharia para a pavimentação da estrada de Serra Branca a Coxixola e de Serra Branca a São José dos Cordeiros. Ele ressaltou a importância do planejamento para a construção do anel viário do Cariri, o que promoverá o desenvolvimento econômico da região. “Esse é mais um exemplo de compromisso que este governo tem com o Cariri paraibano e a sua população”, finalizou.      

Benefícios – O aposentado Francisco França, de 63 anos de idade, disse que esperava a construção dessa estrada até a BR-230 desde que começou a dar os primeiros passos. “Eu sinceramente não acreditava mais que isso acontecesse. Mas agora vejo o sonho realizado, graças ao governador Ricardo Coutinho”, comemorou.         

Francisco se lembrou de quando seu pai, enfermo, precisava de atendimento em Sumé ou Serra Branca. Segundo ele, dentro da ambulância era tão desconfortável que ele ficava ainda mais doente. “Agora temos uma estrada de verdade, ficará mais fácil chegar e sair da cidade. Acredito que o Congo vai crescer”, completou.