Fale Conosco

28 de fevereiro de 2013

Governador autoriza pavimentação de mais duas rodovias nesta sexta



O governador Ricardo Coutinho vai assinar nesta sexta-feira (1º) duas ordens de serviço autorizando a pavimentação das rodovias PB-150, ligando Alcantil/Santa Cecília de Umbuzeiro, com 24 km, e PB-138, entre Campina Grande/Catolé de Boa Vista, com 18 km. São mais duas estradas de barro que ganharão, em breve, asfalto, dentro do Programa Caminhos da Paraíba. O investimento é superior a R$ 34 milhões.

A PB-150 (Alcantil/Santa Cecília de Umbuzeiro), que beneficia diretamente os dois municípios, com uma população de 11.901 habitantes, terá a ordem de serviço assinada às 10h, em Santa Cecília. Pela rodovia trafegam, em média, 187 veículos diariamente, entre automóveis, camionetas, ônibus, caminhões e motos.

O investimento é de R$ 20.450.871,77, com recursos do Tesouro do Estado e da CAF (Corporação Andina de Fomento). As obras devem ser iniciadas em março. Será a 52ª ordem de serviço a ser dada no atual governo.

Às 16h, em Catolé da Boa Vista, Distrito de Campina Grande, será assinada a 53ª ordem de serviço, para pavimentação da PB-138, trecho Campina Grande/Catolé de Boa Vista, com pista de rolamento em CBUQ (com capacidade para tráfego pesado). O Governo do Estado vai investir R$ 13.959.073,36, com recursos próprios e da CAF.

Serão beneficiados os municípios de Campina Grande e Boa Vista, com uma população de 350 mil habitantes. Na rodovia trafegam, diariamente, cerca de 500 veículos. O início das obras ocorre neste mês de março. As duas obras têm como construtora contratada a Rocha Cavalcante Ltda.

Os principais serviços a serem executados são: terraplenagem em cortes e aterros, alargamento de pontes, sistema de drenagem para águas pluviais e subterrâneas, pavimentação asfáltica, cercas de segurança da faixa de domínio, gramagem e paisagismo em taludes e sinalização horizontal e vertical.

A pavimentação promoverá o desenvolvimento social e econômico das duas regiões, ampliando e modernizando a infraestrutura rodoviária do Estado, escoamento da produção agrícola, apoio à atividade de mineração, oferta de economia de transporte, conforto e segurança aos usuários da rodovia e geração de emprego e renda na região.