João Pessoa
Feed de Notícias

Governador autoriza conclusão do Hospital de Picuí, neste sábado

sexta-feira, 23 de abril de 2010 - 11:34 - Fotos: 

O governador José Maranhão assina, às 10h deste sábado (24), a ordem de serviço para a conclusão da reforma e ampliação do Hospital Regional Felipe Tiago Gomes, em Picuí. A obra teve inicio em 2001 e, até agora, não foi concluída. Além dos 19.359 moradores da cidade, a unidade recebe pacientes de outros 17 municípios do Curimataú paraibano. Para concluir a parte física e equipar o hospital, o Governo do Estado vai investir mais de R$ 3,5 milhões. A solenidade acontecerá na própria unidade, localizada no bairro do Monte Santo. 
 
O hospital fica em uma área de 2.202 metros quadrados e a obra inclui a reforma de 1.398 metros quadrados, além de mais 111 metros quadrados de ampliação. Depois de pronto, passará a ter uma área de construção de 3.520 metros quadrados, incluindo ambientes do subsolo, térreo e primeiro andar. Serão 106 leitos, sendo 93 para internação (enfermarias, apartamentos, quarto de isolamento, recuperação, pós-operatório e pré-parto), seis de observação e sete de UTI. A obra custará R$ 2.257.196,48 e a previsão de gastos com equipamentos é de R$ 1,2 milhão.

Maternidade – Segundo o secretário da Saúde, José Maria de França, o projeto original da obra teve que ser refeito para a inclusão do serviço de obstetrícia. “Quando o hospital foi projetado, na época, existia uma maternidade na cidade. No início desta gestão fomos visitar a obra e descobrimos que a maternidade do município tinha sido desativada. Determinamos à Subgerência de Engenharia da SES que refizesse o projeto da obra, incluindo uma sala de parto. Termos no hospital, um serviço de maternidade, com todos os serviços de acompanhamento à parturiente, incluindo exames, parto e  pós-parto”, informou. 

A conclusão da obra é muito esperada pela população do Curimataú, pois o hospital é referência, na região, para urgência e emergência e clínicas médica, cirúrgica, pediátrica e obstétrica, além de realizar atendimento em diversas especialidades. “Quando Maranhão deixou o governo, aproximadamente 50% da obra estava pronta, mas, infelizmente, o governador que assumiu em 2003 não concluiu a obra. Ainda faltam ser construídos o novo bloco cirúrgico, a UTI para adultos, a sala de parto e a central de esterilização, que também vão funcionar no primeiro andar”, disse a diretora do hospital, Solange Balduíno.

No local onde hoje funciona o bloco cirúrgico, no térreo do prédio, será construído o centro de imagem, que vai realizar exames de ultrassonografia, raio-X e endoscopia. No mesmo espaço, também será construído o setor administrativo da unidade, que não existe. Já no subsolo, ficarão a farmácia, o almoxarifado e o laboratório de análises clínicas, que será ampliado. O setor de urgência e emergência também será reformado.

Quatro mil atendimentos – De acordo com Solange, o Hospital Regional de Picuí realiza uma média de quatro mil atendimentos, por mês, em urgência e emergência, e 1.800 consultas em diversas especialidades, como cardiologia, oftalmologia, dermatologia, fisioterapia, mastologia, ortopedia e otorrinolaringologia. Além disso, são realizadas, em média, 20 cirurgias por dia, entre eletivas e de urgência. Entre os procedimentos realizados estão histerectomia, cesariana, períneo, catarata, vesícula, adenóide e amigdalite.

Infiltrações – Segundo a diretora do hospital, Solange Balduíno, a população acredita que, agora, a obra será concluída. Ela disse que o prédio teve que passar por uma limpeza e que alguns setores ganharam uma pintura nova. “Quando chegamos aqui, em fevereiro do ano passado, o hospital tinha até sido notificado pela Vigilância Sanitária do município por causa de infiltrações no bloco cirúrgico e de falta de manutenção no setor de urgência e emergência. Fizemos pequenos ajustes e, graças ao secretário José Maria de França, até agora não tem faltado nada, nem medicamento, nem insumos, nem médicos”, disse.

Além de Picuí, o hospital atende pacientes de Algodão de Jandaíra, Cuité, Barra de Santa Rosa, Sossego, Baraúna, Nova Floresta, Cubati, Pedra Lavrada, Olivedos, Frei Martinho, Soledade, Damião, Cacimba de Dentro, Esperança, Juazeirinho, Nova Palmeira e Remígio.

Previsão de entrega – O superintendente de Obras do Plano do Desenvolvimento do Estado (Suplan), Gilson Frade, previu que os trabalhos sejam concluídos em 120 dias. Ele informou que os serviços serão executados pela Copal Engenharia e Planejamento, e fiscalizados pela Suplan. Gilson lembrou que o governo vem executando obras de reforma e ampliação em 12 hospitais em 11 municípios (Pombal, Patos, Itapororoca, Itabaiana, Queimadas, Taperoá, Sumé, Monteiro, Picuí, João Pessoa – Clementino Fraga e Napoleão Laureano – e o Trauma de Campina Grande). O superintendente da Suplan informou, ainda, que os próximos hospitais a serem licitados são os de Mamanguape e Cacimba de Dentro e o Hospital Arlinda Marques, na Capital.

Assessoria de Imprensa da SES/PB