João Pessoa
Feed de Notícias

Governador abre Salão do Artesanato em Campina Grande

segunda-feira, 7 de junho de 2010 - 08:24 - Fotos: 

O governador José Maranhão comandou na noite desta sexta-feira (4) a abertura do XII Salão de Artesanato da Paraíba – Mãos de Chita – que este ano está homenageando a cooperativa As Cabritas de Boa Vista. Na oportunidade o governador destacou a importância e a beleza do trabalho, e acima de tudo a valorização do dom divino de transformar qualquer objeto inanimado em uma grande e bela obra de arte. Segundo Maranhão, “o Governo da Paraíba assumiu mesmo e valoriza o artesanato”.

Para o governador José Maranhã, a realização do Salão de Artesanato não é apenas do governo estadual e do governo municipal, “mas é, sobretudo, o resultado de um trabalho coletivo de milhares de artesãos, artistas natos que trabalham os elementos naturais, os mais variados tipos, a madeira, o ferro, o tecido, as fibras, e conseguem fazer com as suas mãos habilidosas verdadeiras obras de arte”, comentou.

Idealizado pelo Programa de Artesanato Paraibano da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado da Paraíba, o evento acontece no mês de junho – de 4 a 27 e tem como objetivo aproveitar o grande fluxo turístico do “Maior São João do Mundo”, ocasionando uma maior divulgação e comercialização dos produtos feitos pelos artesãos paraibanos, integrantes daquele programa governamental. O Salão do Artesanato está localizado na av. Otacílio Nepomuceno, no bairro do Catolé, montado sob uma enorme tenda.

O governador também destacou a beleza do local, ornamentado com enormes luminárias penduradas no teto. E a exemplo do que foi sugerido por muitos, questionou porque não manter a exposição de forma permanente. “Sobre esse assunto a gente não precisa mais se preocupar, pois o prefeito já anunciou que a exposição permanente do artesanato de Campina e da Paraíba estará no prédio que Veneziano está construindo para esta finalidade”, reconheceu e foi muito aplaudido. A previsão de inauguração da Casa do Artesão de Campina Grande é no dia 28 próximo.

Ainda durante sua fala o governador Maranhão disse que “aqui está o que há mais puro na arte, porque é a arte natural, que nasceu da inspiração do cidadão, que a trouxe no coração. Eu costumo dizer que a arte e a inspiração não se aprendem na escola. Isso quem dá é Deus. Está no seu sangue. O artesão faz coisas lindas e que nós passamos a admirar. Eu valorizo muito o artesanato e acho que o Brasil também deveria valorizar. O artesanato tem força em qualquer local e é preciso valorizar isso”, disse.

Em nome da cooperativa As Cabritas falou a presidente Cláudia Silva Vitorino, que agradeceu o apoio dos governos estadual e municipal e todos os parceiros envolvidos no trabalho. Ela disse que “há alguns anos nós éramos apenas donas de casa e fazíamos nosso artesanato para guardar. Hoje somos profissionais reconhecidas no Brasil e fora do país. Isso devemos ao apoio que recebemos e ao reconhecimento que foi dado ao nosso trabalho”, comentou.

Além do governador Maranhão, também estiveram participando da abertura do XII Salão do Artesanato de Campina Grande o prefeito Veneziano Vital do Rego, a secretária de Interiorização da Ação do Governo Ana Cláudia Nóbrega, os deputados federais Vital Filho e Wilson Santiago, os deputados estaduais Guilherme Almeida e Ivaldo Morais, o secretário executivo da Interiorização Assis Costa, os secretários da Administração estadual Antonio Fernandes, do Turismo Diego Tavares e da Educação Sales Gaudêncio, a gestora do programa de artesanato na Paraíba Marielza Targino, vereadores e autoridades locais.

Ainda estavam presentes representantes do Sebrae, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste, e o superintendente do jornal A União, Nelson Coelho, todos parceiros do evento. Na oportunidade o diretor regional do Banco do Brasil, Carlos Alberto Ramos, fez a doação de caminhão baú para a cooperativa As Cabritas, de Boa Vista, que hoje se destaca divulgando o artesanato paraibano não só no Brasil mas em várias partes do mundo. A aquisição do caminhão era um sonho antigo das cooperadas, que hoje são cerca de 5.040 profissionais e envolvem mais de 25 mil pessoas no trabalho.

O projeto arquitetônico é da presidente de honra do PAP, arquiteta Sandra Moura, que em sua gestão tem formatado os salões nos moldes das mais importantes feiras internacionais de artesanato e decoração, onde são privilegiados grandes espaços para circulação, divididos em tipologias o que facilita sobremaneira a aquisição dos produtos pelos visitantes. Os espaços do 12º Salão foram divididos em 13 tipologias, a saber: cerâmica, madeira, tecelagem, fibras, fios, brinquedos populares, couro, cordel/xilogravura, metal, pedras, artesanato indígena, habilidades manuais e gastronomia. A ambientação dos espaços é de responsabilidade dos decoradores Haendel Melo, Babá Santana e Glauber Castro, já conhecidos na Paraíba pela criatividade.

Toda a ambientação do 12º Salão foi planejada dentro do tema escolhido “Mãos de Chita”, usando a matéria prima que é o tecido chita, que tem todo um colorido especial e bastante representativo em todo o Nordeste. O tema do Salão é uma homenagem ao grupo de artesãs que formam a Cooperativa As Cabritas, da cidade de Boa Vista, no cariri paraibano, que trabalham com o produto chita em suas bolsas, jogos americanos, almofadas, carteiras e demais acessórios. A escolha também se deu por se tratar de um grupo empreendedor dentro do Programa de Artesanato Paraibano, já atendendo expressivas encomendas de outros estados e também do exterior através de um trabalho bem estruturado que se tornou um modelo de gestão compartilhada com as artesãs da região.

Apolinário Pimentel, da Secom, com fotos de Ernane Gomes