João Pessoa
Feed de Notícias

Gestores de saúde de 32 municípios com mais de 20 mil habitantes foram capacitados para o combate ao

terça-feira, 24 de novembro de 2009 - 15:12 - Fotos: 
Em 2008, 1.096 pessoas morreram de câncer na Paraíba. Destas, 227 sofriam de câncer de pulmão. O cigarro é o causador de 90% dos casos desta doença. Os dados são da Gerência de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, da Secretaria Estadual de Saúde, que vai atuar em conjunto com a Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) e o Procon Estadual para acompanhar a fiscalização e o cumprimento da Lei nº8.958/2009, sancionada pelo governador José Maranhão, que estabelece pesadas multas para os estabelecimentos comerciais nos quais os clientes estejam fumando em ambientes fechados.

De acordo com a gerente Maria de Lourdes Souza, recentemente, foram capacitados gestores de saúde de 32 municípios paraibanos com mais de 20 mil habitantes para o combate ao tabagismo. “Fumar  ainda é visto como um hábito comportamental, antes era até considerado um estilo de vida elegante, mas hoje é entendido como uma doença que causa dependência”, explicou.

As políticas públicas estaduais são desenvolvidas com campanhas de esclarecimento e conscientização em datas pontuais (15 de março; 31 de maio e 20 de agosto) e com a capacitação de profissionais de saúde dos municípios para atuarem na educação e prevenção do tabagismo.

Segundo ela, cabe aos municípios manterem os postos de atendimento aos fumantes, com uma equipe multidisciplinar completa. O Ministério da Saúde repassa às prefeituras os medicamentos necessários para o tratamento, desde a goma de mascar, o adesivo e a buproriona, substância usada naqueles pacientes que sofrem com os sintomas da Síndrome de Abstinência ( insônia, irritação, perda de concentração, cansaço, tosse, fome e  ansiedade). O tratamento adotado no país foi desenvolvido pelo Instituto Nacional do Câncer.

Entre as doenças provocadas pelo fumo estão o câncer (pulmão, boca, faringe, laringe, estômago, próstata, mama e colo de útero) e a hipertensão. No dia a dia, o fumante reduz o paladar e o olfato, além de ficar com os dentes amarelados.
 
Pesquisa – Uma pesquisa de opinião sobre a adoção de legislação para ambientes 100% livres do fumo será realizada brevemente pela Gerência de Doenças e Agravos não Transmissíveis com o objetivo de verificar o grau de aceitação da nova lei. Serão aplicados 1.200 formulários, com 18 perguntas, o que possibilitará verificar o grau de conscientização da população em relação ao tabagismo. Esta pesquisa foi desenvolvida pelo Instituto Nacional do Câncer, por orientação da Organização Panamericana de Saúde, que realizou levantamento semelhante no Uruguai.

Como se dá o tratamento

– Teste de Fageston – analisa a dependência do paciente em relação ao cigarro
– Adoção do processo cognitivo comportamental, com conscientização do tabagismo como doença, como dependência

– Em quatro sessões, o paciente recebe atendimento de equipe multidisciplinar (médico, psicólogo, enfermeira, assistente social e nutricionais)

– Em caso de dependência severa, a pessoa recebe o medicamento (goma de mascar, o adesivo e a bupropiona, substância que combate a síndrome da abstinência)

Campanha contra o fumo
31/05 – Dia Mundial de Combate ao Tabagismo
29/08 – Dia Nacional contra o Fumo
15/03 – Dia Estadual de Combate ao Fumo

 A fumaça de cigarro contém
– 95% dos elementos cancerígenos transportados pelo ar
– 50 vezes mais alcatrão
– Três vezes mais nicotina e monóxido de carbono

Síndrome da Abstinência: o fumante sente irritabilidade, tristeza, dor de cabeça, ansiedade, tonteira, alteração no sono, alteração no funcionamento intestinal e inquietação.

Dicas para resistir ao desejo de fumar
– Evite tomar café e bebida alcoólica; pense em situações prazerosas
– Caminhe um pouco e respire profundamente
– Tome água ou suco natural
– Coma alimentos de baixas calorias, inclusive frutas;
– Escove os dentes imediatamente após as refeições

Naná Garcez, da Secom-PB