João Pessoa
Feed de Notícias

Gerência Regional da Agevisa promove em Patos palestras sobre os cuidados com a saúde do homem  

sexta-feira, 25 de novembro de 2016 - 19:27 - Fotos:  Secom PB

Aproximadamente 180 pessoas receberam informações importantes sobre os cuidados com a saúde do homem durante evento promovido em Patos, no Alto Sertão paraibano, pela 3ª Gerência Técnica Regional da Agência Estadual de Vigilância Sanitária, dentro do calendário programado pela Agevisa/PB para a campanha Novembro Azul, iniciativa de âmbito nacional que tem por finalidade conscientizar as pessoas, especialmente os homens, sobre a importância da prevenção do câncer de próstata.

O evento foi realizado na sede da 6ª Gerência Regional de Saúde, numa parceria que envolveu o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde e da Agevisa/PB, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a FIP – Faculdades Integradas de Patos, e teve como ponto alto a palestra do médico urologista Elizeu José de Melo, que fez um amplo relato do comportamento do público masculino em relação aos cuidados que precisam ter para viver de forma mais saudável.
Representando a diretora-geral da Agevisa/PB, Glaciane Mendes, a diretora técnica de Estabelecimentos e Prática de Saúde e de Saúde do Trabalhador, Maria Eunice Kehrle dos Guimarães, ressaltou a importância da campanha Novembro Azul lembrando que a incidência de casos de câncer de próstata vem aumentando assustadoramente em todo o mundo, segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia. “Estamos falando de um câncer de grande acometimento no sexo masculino que, quando descoberto em seu início, tem um bom prognóstico, sendo, portanto, bem maiores as chances de cura”, enfatizou.

A gerente-técnica da Agevisa/PB em Patos, Elza Barbalho, falou da importância da parceria entre os órgãos do poder público e da sociedade no enfrentamento do câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens, perdendo somente para o câncer de pulmão. “Para enfrentar este problema de forma eficiente, o melhor caminho é a prevenção, e é com este objetivo que a Agevisa/PB vem investindo em informação, especialmente por meio de eventos como este, onde temos a oportunidade de falar diretamente à população, notadamente ao público masculino, sobre como proceder para ter uma vida saudável e, portanto, livre de riscos que podem ser fatais”, enfatizou.

Elza Barbalho lembrou o sucesso do primeiro encontro “Saúde do Homem”, promovido pela 3ª Gerência Regional da Agevisa/PB em novembro de 2015. Na primeira edição, dentre outros exames e testes realizados por entidades parceiras, foi disponibilizado o exame de próstata para mais de 40 homens. Agora, na segunda edição do evento, quase duas centenas de pessoas, especialmente homens, tiveram acesso a vários serviços de saúde, como verificação de pressão arterial, teste de glicemia, teste rápido de Sífilis, HIV e Hepatite e vacina Tríplice Bacteriana (DTP) contra difteria, tétano e pertússis (coqueluche ou tosse convulsa).

A gerente regional de Saúde, Liliane Sena, falou da falta de hábito do público masculino de procurar os serviços disponibilizados para a prevenção do câncer de próstata e apontou o machismo como um dos principais motivos para esta realidade. “O machismo que impera fortemente na nossa cultura faz com que os homens tentem passar uma imagem de resistência, de que não precisam ir ao médico, e estes acabam procurando atendimento médico somente quando estão verdadeiramente doentes, muitas vezes em situação bastante delicada, de comprometimento extremo da saúde”, ressaltou.

Palestra – Em sua palestra sobre saúde do homem, o médico urologista Eliseu José de Melo fez amplo relato do comportamento do público masculino em relação aos cuidados que precisam ter para viver de forma mais saudável. Ele citou o problema com as drogas lícitas e ilícitas; falou sobre os problemas relacionados ao álcool e aos produtos derivados do fumo; reforçou a necessidade de o homem buscar mais os serviços médicos especializados para cuidar da saúde; defendeu a prevenção como o principal meio de enfrentamento ao problema do câncer de próstata, e conclamou os homens a se conscientizarem sobre a importância do hábito de cuidar de si próprio.

Eliseu de Melo citou como agravante da falta de cuidados com a saúde do homem os poucos investimentos públicos em serviços especializados voltados para este fim, fato que leva à ausência de estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS) para receber o público masculino. “No ano passado, por exemplo, se investiu R$ 20 milhões em consultas ginecológicas no Brasil e apenas R$ 2 milhões em consultas urológicas direcionadas ao homem. Além disso, a rede pública de saúde carece de profissionais capacitados e de serviços especializados para atendê-lo o público masculino”, ressaltou.

Saiba mais sobre o câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente nas pessoas do sexo masculino, atinge um em cada seis homens e apresenta um alto índice de mortalidade.

Segundo dados da Sociedade Brasileira da Urologia (SBU), mais de 95 por cento dos casos de câncer de próstata já se encontram em fase avançada quando começam a aparecer os primeiros sintomas. Daí a importância dos exames preventivos, notadamente em homens com idade a partir dos 50 anos.

A Sociedade Brasileira da Urologia recomenda aos homens a partir de 50 anos que procurem o médico urologista para discutir a prática e a realização da avaliação, que consiste na verificação da dosagem sérica do PSA (Antígeno Prostático Específico), via exame de sangue, e no exame digital retal, com periodicidade anual. Os dois exames são complementares. Portanto, não se deve realizar apenas um deles.

Os homens com maior risco da doença (histórico familiar, obesos, sedentários, com hábito alimentar inadequado, e os pertencentes à raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 45 anos.

A prática da prevenção está relacionada à diminuição de aproximadamente 21% na mortalidade causada pelo câncer de próstata, conforme dados da SBU.

Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura do câncer de próstata chegam aos 90%. Mas isso só é possível por meio dos exames, pois, na fase inicial (quando as chances de cura são maiores) não há qualquer sintoma.

Na fase avançada (quando a cura é mais difícil), o homem pode sentir, dentre outros sintomas, vontade de urinar com urgência; dificuldade para urinar; levantar várias vezes à noite para ir ao banheiro; sentir dor óssea, insuficiência renal e dores muito fortes.

Uma vez diagnosticado o problema, e de acordo com a fase do tumor e as características do paciente, cabe ao médico definir as melhores formas de tratamento. Nos estágios iniciais, a Prostatectomia Radical é o tratamento padrão, e consiste numa cirurgia para retirada da próstata. Nestes casos, os índices de cura são bastante elevados.