Fale Conosco

10 de novembro de 2010

Galeria Archidy Picado expõe as Pérolas Imperfeitas de David Glat, a partir desta quinta-feira



Embora tenha nascido no Rio de Janeiro, o fotógrafo David Glat se tornou “baiano” em 1976, quando foi morar em Salvador (BA). Lá, desenvolveu uma carreira de fotógrafo publicitário, mas também passou a atuar como designer gráfico, assinando mais de 50 capas de LPs, CDs e DVDs.

De 2003 para cá, Glat tem se dedicado cada vez mais ao seu lado artista visual. Seus trabalhos autorais constam de fotografias e foto-instalações. E é um dos seus trabalhos mais impressionantes que chega a Paraíba nesta quinta-feira (11/11), através do Edital de Ocupação da Galeria Archidy Picado.

Pérolas Imperfeitas, mostra que abre na quinta, às 19h, e fica em cartaz até 12 de dezembro na Archidy Picado, no Espaço Cultural, consta de uma série de imagens do patrimônio barroco de Salvador, retrabalhado pela lente de David Glat.

A imagem convencional de ícones soteropolitanos, como igrejas, portais, ladeiras, casarios e fortificações, é desconstruída em um exercício barroco em que o fotógrafo utiliza uma linguagem visual contemporânea.

No texto de apresentação do trabalho, David explica melhor: “‘Ícones’ da nossa paisagem urbana são registrados através de movimentos de câmera e intervenções gestuais, incorporando o conceito de ‘fotografia expandida’, desenvolvido pelo Prof. Rubens Fernando Jr., no qual é valorizado o processo criativo, o fazer fotográfico, a imagem em expansão e a busca da multiplicidade dos procedimentos, com o propósito de produzir um resultado estético perturbador”.

Sem Photoshop – Para obter o efeito que quis em suas imagens, David Glat utilizou uma câmara rotativa analógica Seitz Roundshot 220, originalmente concebida para registrar imagens em 360º, e filmes negativos à cores. “A técnica fotográfica aplicada pode ser definida como ‘movimento dentro do movimento’: enquanto a câmara gira em torno do seu próprio eixo, o fotógrafo executa algumas movimentações intermitentes”, explica.

Nas palavras do curador do projeto, o artista plástico e crítico de arte Justino Marinho, a intenção do trabalho de David Glat “é levar o espectador a observar uma sucessão de jogos visuais formados por curvas, contracurvas, alongamentos, abstrações e ritmos, criados a partir de movimentações com a câmera, realizadas no momento mesmo da tomada das fotos e com poucos ajustes e manipulações posteriores. Uma viagem capaz de provocar visões distorcidas, exaltando emoções e explorando a dramaticidade”.

A abertura está marcada para o dia 11 de novembro, às 19h, e o próprio fotógrafo estará na galeria, no encerramento da exposição, no dia 12 de dezembro, para uma visita mediada por ele.

Funesc restaura 15 obras de seu acervo e Archidy Picado terá reserva técnica

Quinze, das mais de 100 obras que pertencem ao acervo da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), serão restauradas, anunciou o presidente da fundação, Maurício Burity. Além disso, a galeria de artes da Funesc, a Archidy Picado, localizada no submezanino 1 do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João pessoa, vai ganhar uma reserva técnica.

O projeto é fruto de um patrocínio de R$ 39 mil que a Funesc conseguiu junto ao Banco do Nordeste, via o Programa BNB de Cultura, encaminhado pela coordenadoria de Artes Visuais da Fundação Espaço Cultural.

De acordo com Sidney Azevedo, coordenador de Artes Visuais da Funesc, o dinheiro será aplicado na galeria e na restauração de 15 obras de artistas paraibanos que foram deteriorando ao longo do tempo, fruto da má conservação e da falta de manutenção das obras.
“É por isso que a reserva técnica é importante”, comenta Sidney, que explica: “A reserva técnica é um espaço, anexo a galeria, onde as obras serão guardadas de maneira apropriada, com gavetões e um ambiente livre de umidade e fungos que deterioram as obras.

O patrimônio da Funesc ganha, e muito, com essa reserva técnica”.
Quando assumiu a coordenação de Artes Visuais da Funesc, há pouco mais de um ano, Sidney Azevedo encontrou as obras acondicionadas de maneira totalmente inapropriada e sem a devida manutenção. “Incluímos no projeto a restauração de, pelo menos, 15 obras que estavam em condições precárias”, comenda Azevedo, citando que, entre elas, há telas de Flávio Tavares e Marlene Almeida.

Três restauradores – dois deles do quadro da própria Funesc – irão trabalhar intensivamente na restauração dessas 15 obras. Fazem parte do serviço o reentelamento, reintegração cromática, troca de chassi e limpeza. “Vamos trabalhar para conseguirmos outras parcerias para restaurar por completo o acervo da fundação”, revela o coordenador.

Até o final do ano, as obras devem estar restauradas e a reserva técnica, concluída. Sidney Azevedo comenta que, para comemorar, a Funesc deverá expor as obras na própria galeria.

SERVIÇO:

PÉROLAS IMPERFEITAS
Autor: David Glat  
Período: De 12/11 a 12/12, com visitações de segunda a quinta, das 12h às 18h, sexta, das 08h às 13h, sábado e domingo, das 14h às 20h.
Visita mediada com o fotógrafo: 23/11, às 15h.
Onde: Galeria Archidy Picado (no Espaço Cultural José Lins do Rego, rua Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho, João Pessoa – tel.: 3211.6272).
Quanto: Gratuito.
Informações: (83) 3211-6272.

 

Assessoria de Imprensa da Funesc