João Pessoa
Feed de Notícias

Funesc prossegue com programação que homenageia Solha

domingo, 30 de outubro de 2011 - 10:40 - Fotos:  Francisco França/Secom-PB

O Governo do Estado e Prefeitura de João Pessoa com o apoio da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) prosseguem neste domingo (30) com a programação de homenagem aos 70 anos de idade do escritor, cordelista, artista plástico e ator W. J. Solha. As atividades, abertas na noite deste sábado (29), incluem uma exposição de quadros de Solha, o concerto Cantata Bruta com a Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa e o Coro Sonantis, além de um Bate-Papo Literário.

Na noite do sábado familiares, amigos, membros da área cultural e o público em geral prestigiaram no Cine Bangüê do Espaço Cultural,em João Pessoa, a exposição de artes plásticas “Waldemar José Solha: O Tempo Não Para”, que reúne quadros novos e antigos do artista, e o concerto Cantata Bruta. Estão sendo expostas 29 telas do acervo de Solha, cedidas especialmente para o evento.

O homenageado W.J.Solha revelou que ao longo de sua vida tem tido muitos momentos especiais que servem de inspiração para suas obras. Solha, ao lado da esposa Ione, agradeceu aos amigos e aos organizadores do evento. Ao falar na abertura da exposição W.J. Solha fez um breve relato de sua trajetória no teatro, na literatura, na pintura, no cinema e disse sentir-se muito feliz e agradecido pelas homenagens.

Na ocasião Solha recebeu uma plaquete entregue pela presidente da Fundação Espaço Cultural (Funesc), Lu Maia, e pelo vice-presidente, William Tejo Filho, além de um buquê de flores de sua esposa Ione Medeiros Solha.

A presidente da Funesc, Lu Maia, representou o governador Ricardo Coutinho, que não pôde comparecer à solenidade e telefonou para Solha justificando sua ausência. Lu Maia revelou que W.J. Solha tem muito a produzir e destacou que as obras do homenageado ficam para sempre nas artes plásticas, no teatro e na literatura.

A programação continua neste domingo (30) com entrada franqueada ao público. O Bate-papo Literário começa às 18h, no Auditório Verde do Espaço Cultural com a presença do próprio W. J. Solha.

Em seguida, às 20h, o público poderá assistir ao concerto “Cantata Bruta” no Cine Bangüê. A obra é uma criação coletiva de seis compositores que atuamem João Pessoa: Didier Guigue, Eli-Eri Moura, J. Orlando Alves, Marcílio Onofre, Valério Fiel e Wilson Guerreiro. Por dois meses, os compositores trabalharam na música da Cantata, cujo texto tem como referência central o premiado livro de Solha, “História Universal da Angústia”.

No seu currículo como artista plástico também constam obras como o painel em exposição permanente no auditório da reitoria da UFPB – “Homenagem a Shakespeare” –, instalação composta de 36 telas em acrílico sobre tela, formando um retângulo de7,20 mde largura; a instalação “Ando Muito Confuso”, na Coordenação de Extensão Cultural da Universidade; e a tela de3,60 m– “A Ceia” –, no Sindicato dos Bancários da Paraíba, todas com a mesma técnica, além das exposições individuais feitas no Banco do Brasil e na Galeria Gamela.

Programação deste domingo

18h – Bate-Papo Literário com W. J. Solha

Debatedores – Walter Galvão (jornalista/escritor), Astier Basílio (jornalista/poeta), e o coordenador de Literatura e Memória Cultural da Funesc, Archidy Picado Filho (escritor)

Local: Auditório Verde – Espaço Cultural

20h – “Cantata Bruta”, concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa com Coro Sonantis e solistas, e texto de W.J. Solha

Regência: Eli-Eri Moura

Local: Cine Bangüê – Espaço Cultural